Em 25 de setembro deste ano, a experiente guardiã do zoológico e ativista de animais Vera Blishch estava instruindo uma nova colega no zoológico municipal de Ussuriysk quando ela acidentalmente inclinou-se para a jaula de um urso por apenas uma fração de segundo.

Infelizmente, foi tempo suficiente para Manyunya, uma ursa de 20 anos, alcançar as barras e agarrar a perna da tratadora.

 Ela sofreu ferimentos graves, incluindo várias fraturas, e acabou precisando amputar a perna abaixo do joelho em um hospital local.

Com isso, e sabendo que os animais que atacam pessoas são sacrificados para eliminar o risco de atacar outros seres humanos, a primeira preocupação de Vera ao acordar de sua anestesia cirúrgica foi pelo bem-estar de Manyunya, insistindo que ela não era a culpada.

“De repente, fiquei tonta, não me lembro de como cheguei tão perto da jaula. Eu trabalho com grandes predadores há mais de 25 anos, muitas coisas aconteceram nesse período, mas posso dizer com confiança que os animais não são nunca os culpados. Manyunya nem é agressiva.”

Afirma Vera.

Segundo afirma um membro da equipe do zoológico, Vera havia se ajoelhado para demonstrar como alimentar um urso:

“Depois ela se levantou abruptamente e ficou tonta. Para não cair, Vera se apoiou na jaula gaiola por uma fração de segundo. Isso foi suficiente para a ursa puxar sua perna através das barras da jaula e atacar.”

Afirmou.

O Comitê de Investigação Penal de Infrações Animais e demais Infrações contra o Meio Ambiente da Rússia lançou uma investigação sobre o incidente, e uma decisão sobre o destino da ursa Manyunya ainda deverá ser tomado.