Com a estreia de Logan na última Sexta, o universo dos X-Men no cinema prepara-se para uma nova retomada. Com isso, o Bastidores viu a oportunidade de relembrar todos os filmes que comportam a franquia – que, prejudicada pela confusa linha temporal, batizamos como “Antologia X-Men”, da mesma forma que cada filme da franquia Alien parece seguir suas próprias regras e estilo.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Dessa forma, confira aqui o ranking:

10. X-Men Origens: Wolverine (2009)

Não há a menor dúvida. O filme que prometia iniciar uma nova onda filmes explorando o passado dos personagens da franquia é certamente uma das piores adaptações de quadrinhos dos últimos tempos, desperdiçando a fantástica história do Wolverine em um roteiro ridículo, uma direção descontrolada e um festival de ideias e personagens ruins – com destaque para o tenebroso Deadpool de Ryan Reynolds. O único fator que se salva, claro, é a esforçada performance de Hugh Jackman como o Carcaju.

9. Wolverine: Imortal (2013)

Com o primeiro filme solo do Wolverine fracassando dramaticamente, a Fox encontrou um rumo muito melhor e mais concentrado nas mãos de James Mangold, que levou o mutante imortal ao Japão e ofereceu uma trama mais centrada no personagem e em seus dramas pessoais. Funciona por explorar a mortalidade do personagem, assim como algumas criativas cenas de ação que colocam o Wolverine contra ninjas, samurais e até mesmo um trem-bala, mas acaba prejudicado por um terceiro ato estapafúrdio e artificial.

8. X-Men: O Confronto Final (2006)

O criticado desfecho da trilogia original, X-Men: O Confronto Final não merece todas as pedradas que injustamente foi sofrendo ao longo de sua existência. Claro, é inferior aos dois filmes anteriores e irritou os fãs por misturar duas histórias dos quadrinhos em uma narrativa simplista, mas é inegável que – como filme – a história funciona e é efetiva. Temos muito mais ação e poucos momentos de personagens tão intimistas quanto nos anteriores (fruto da substituição de Bryan Singer por Brett Ratner), mas o filme merece créditos pela coragem em matar personagens e explorar temas relevantes.

7. Deadpool (2016)

Filme responsável por despontar a agora crescente febre de super-heróis para adultos, Deadpool é bem sucedido ao apresentar o mundo do Mercenário Falastrão e quebrar a fórmula do gênero, seja pela estrutura quebrada que desenrola todo o filme em uma única cena de ação, seja pelo fato de o protagonista constantemente xingar todo mundo e interagir com o espectador. É divertido e violento, ainda que os riscos possam ser bem maiores em futuras continuações.

6. X-Men: Apocalipse (2016)

Eu sei, muito provavelmente serei crucificado por essa decisão, mas acredito fortemente que o terceiro filme na nova trilogia X-Men é um dos filmes mais subestimados dos últimos anos. Certamente que empalidece diante dos outros capítulos que veremos mais a frente na lista, mas Apocalipse impressiona pelo cuidado de Bryan Singer em testar os limites de seus personagens e apresentá-los diante de tamanha danação, assim como cenas de ação espetaculares e um visual impecável. Claro, o Apocalipse poderia ter sido mais original em seu grande plano, mas nem por isso deixa de ser uma figura interessante.

5. X-Men: O Filme (2000)

O filme que começou tudo. O cinema de quadrinhos contemporâneo deve tudo ao primogênito filme da franquia de Bryan Singer, que oferece uma abordagem cinematográfica a personagens fantasiosos e acabou mudando a forma de se adaptar quadrinhos para o cinema. Seja pelo casting perfeito de personagens, o tom sombrio e desolado que constrói uma atmosfera palpável e forte ou o fato de que a história perfeitamente serve como espelho para causas sociais e luta contra o preconceito, X-Men: O Filme é um triunfo. 

4. Logan (2017)

A emocionante despedida de Hugh Jackman como Wolverine é o mais adulto e dramático filme de toda a franquia, e também um dos mais distintos em todo o cinema de quadrinhos. Logan é um filme violento e que preocupa-se com seu protagonista de forma admirável, jogando-o em um western pós-apocalíptico ao lado de um decadente Professor X e uma brutal X-23, com a direção segura de James Mangold oferecendo uma história forte e impacante – ainda que defeituosa em relação a seus antagonistas. Uma homenagem digna.

3. X-Men: Dias de um Futuro Esquecido (2014)

Foi muito difícil organizar os três primeiros colocados, dada a qualidade envolvida nos filmes, mas acredito que esse é o caminho. O mais grandioso filme de toda a franquia une o elenco original da primeira trilogia com suas versões rejuvenescidas da linha temporal de X-Men: Primeira Classe, para uma empolgante e emotiva trama de viagem no tempo que coloca Wolverine como o mediador das duas partes. É um espetáculo de estilo e ação, e que também justifica sua estrutura complexa para corrigir rumos e oferecer momentos de personagem realmente impactantes – em especial o encontro dos dois Xaviers. E o que dizer daquela cena do Mercúrio, que é uma das melhores que o gênero já produziu?

2. X-Men: Primeira Classe (2011)

Com o encerramento da trilogia original e o fracasso do primeiro derivado de Wolverine, a Fox volta o olhar para o passado e aborda os primeiros anos da escola de Charles Xavier para mutantes, assim como o início de sua amizade com Magneto. Assim, Matthew Vaughn faz de X-Men: Primeira Classe um dos melhores filmes de quadrinhos dos últimos anos, desde o casting perfeito de James McAvoy e Michael Fassbender até toda a trama que envolve a descoberta dos mutantes em meio ao auge da Guerra Fria. É uma aventura envolvente, divertida e com um drama apropriado, além de um visual estiloso e cenas de ação inteligentes.

1. X-Men 2 (2003)

Tudo o que Singer já havia acertado no primeiro filme fica ainda melhor nesta sequência inacreditável. Com novos e complexos personagens, uma história mais robusta e um aprimoramento em praticamente todos os quesitos técnicos, X-Men 2 é um exemplo de continuação perfeita, e o melhor filme dos mutantes até agora. Admirável em suas elaboradas cenas de ação (com destaque para o incrível ataque de Noturno à Casa Branca) e também como mantém sua elegante metáfora em relação à luta contra o preconceito e as questões sociais, X-Men 2 é um exemplo de como se fazer um ótimo filme de quadrinhos.

Concorda? Discorda? Logan come todos no café da manhã? Diga nos comentários qual o seu filme preferido da franquia!

Comente!