em , ,

Crítica | Esquadrão Trovão – Um dos piores filmes do ano

Hora ou outra a Netflix libera para o público, em sua plataforma de streaming, produções de gosto bastante duvidosos. Em meio a enxurrada de filmes e séries que estreiam por semana é comum que um ou outro acabe caindo na graça do público ou que acabe desagradando o mesmo.

No caso de Esquadrão Trovão, comédia dirigida por Bem Falcone (Alma da Festa), a ideia é bem básica e é muito utilizada por diversas produções. No caso, colocaram duas atrizes de sucesso como protagonistas, Melissa McCarthy e Octavia Spencer, que se tornam heroínas para lutar contra o mal. A receita tinha tudo para dar certo, mas na realidade o filme acaba se transformando em um grande transtorno para o espectador.

O objetivo de uma comédia é o de fazer as pessoas rirem, seja com piadas feitas pelos personagens ou de situações criadas ao longo da produção. Mas o que se vê em Esquadrão Trovão é justamente o contrário, o longa acaba atuando como um inimigo do humor de tão ruim e de tão mal planejadas que são as cenas cômicas.

Heroínas Por Acaso

Lydia (Melissa McCarthy) e Emily (Octavia Spencer) eram grandes amigas na época do colégio, até que uma briga entre as duas fez com que se separassem. Alguns anos depois, já na fase adulta, se reencontram com Emily sendo uma grande cientista e arquitetando um plano para realizar um experimento que a desse super força e a fizesse ficar invisível, enquanto que Lydia parou no tempo e não tem uma vida tão atraente assim.

Essa situação das duas terem brigado e de terem se tornado heroínas por acaso, pois não era isso que Emily esperava, sendo que o objetivo inicial era apenas o de lutar contra os vilões da cidade, é que faz com que o filme tente prender a atenção do espectador. Prender a atenção prende, mas só até o segundo ato quando a história vai se desenvolvendo e cai na mesmice de sempre das comédias pastelão.

Filmes e séries de super-heróis estão na moda, mas com pouca frequência vemos produções que tentem colocar como heroínas duas mulheres que são comuns, que podemos encontrar no dia a dia no metrô, e esse é o principal e único atrativo de Esquadrão Trovão, pois a ideia de usá-las para passar uma mensagem ao público acaba sendo um grande tiro no pé, até porque a história é carente de boas ideias que façam refletir sobre algum tema relevante.

Melissa McCarthy e Octavia Spencer

Melissa McCarthy se tornou aquela atriz de um filme só, mesmo tendo feito produções diferentes das comédias que está habituada a fazer, como Rainhas do Crime e Poderia me Perdoar? E aqui novamente interpreta uma personagem caricata, desastrada e bobalhona como os de sempre. Obviamente que a atriz se sobressai, pois se sente confortável em trabalhar em longas desse estilo.

Octavia Spencer não parece tão habituada assim a sua personagem. A atriz que está acostumada a trabalhar em produções de gêneros diversos, acaba tendo neste filme o seu primeiro papel como heroína. Como cientista sua interpretação está ótima, mas como heroína falta algo a mais. Primeiro que suas deixas não tem graça e ao fazer dupla com McCarthy acaba ficando na sombra da já experiente atriz deste gênero. Percebe-se que Octavia não está confortável com a sua protagonista, e não é de menos, já que sua personagem é fraca.

Ao assistir a uma comédia com humor pastelão é comum que os personagens não sejam tão aproveitados como deveriam, e isso acontece com a dupla que mesmo tendo um objetivo claro – o de vencer os vilões – acaba acontecendo o que já se imaginava, com as personagens se tornando vazias e não tendo uma função específica em cena que não seja a de fazer o público rir.

Essa é a sexta produção em que Ben Falcone dirige e tem Melissa McCarthy no elenco. A parceria entre os dois vem de longa data e não ao acaso a atriz está tão bem em cena, tendo experiência em fazer comédias do gênero e por ter trabalhado já com o diretor faz com que McCarthy se sinta mais confiante em cena, coisa que não se presencia com a atuação de Octavia Spencer.

Comédia Sem Graça

O que transforma esse longa em um projeto completamente sem graça são as piadas bastante constrangedoras, mas não são constrangedoras apenas pelas falas das personagens e pelas situações impostas pelo roteiro, mas também por causar uma vergonha alheia no espectador no jeito que tudo é conduzido.

Ao belo estilo besteirol americano o filme vai tentando causar risadas no público com piadas e situações extremamente forçadas que não fogem ao estilo do diretor nem ao de Melissa. Obviamente que há um público que curte esse tipo de produção, mas depois de assistir a vários longas com a atriz que são praticamente iguais o público acaba por se cansar de conferir sempre o mesmo conteúdo.

Esquadrão Trovão é mais uma obra que é produzida com o intuito de viralizar, tendo no elenco atores de nomes renomados e que tenta usar o tema dos super-heróis, que está em alta no momento, para tenta captar a atenção do espectador. O problema é que a experiência de assisti-lo é algo bastante desagradável.

 Esquadrão Trovão (Thunder Force, 2021 – EUA)

Direção: Ben Falcone
Roteiro: Ben Falcone
Elenco: Melissa McCarthy, Octavia Spencer, Jason Bateman, Bobby Cannavale, Pom Klementieff, Taylor Mosby
Gênero: Ação, Aventura, Comédia
Duração: 106 min

O que você achou desta publicação?

Publicado por Gabriel Danius

Jornalista e cinéfilo de carteirinha amo nas horas vagas ler, jogar e assistir a jogos de futebol. Amo filmes que acrescentem algo de relevante e tragam uma mensagem interessante.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comente!

Um Lugar Silencioso – Parte II recebe trailer final

Análise | Resident Evil Village – É tudo isso mesmo?