em , ,

Crítica | On the Rocks – A leveza encantadora de Sofia Coppola

Quando ouvimos o nome de Coppola, é muito provável o associarmos com família. E não me refiro apenas à famosa organização dos Corleone na trilogia O Poderoso Chefão, mas sim ao próprio Francis Ford Coppola, que sempre se caracterizou por histórias e métodos de filmagem ligados à família: o produtor Roman Coppola (filho), o compositor Carmine Coppola (pai) e o astro Nicolas Cage (sobrinho) são grandes exemplos desse método de “grande família cinematográfica”. E, claro, a filha Sofia Coppola.

Ganhadora de um Oscar e responsável por uma carreira diversificada e rebuscada, incluindo dramas de peso como Encontros e Desencontros, As Virgens Suicidas e O Estranho que Nós Amamos, e comédias leves como Bling Ring: A Gangue de Hollywood e Algum Lugar. Agora, adequando-se ao cenário da pandemia e isolamento da COVID-19, Coppola se une ao streaming da Apple TV+ para o lançamento de On the Rocks, seu novo e adorável filme de comédia que a reúne com Bill Murray.

A trama do filme acompanha Laura (Rashida Jones) uma mulher que leva um casamento aparentemente feliz com o marido Dean (Marlon Wayans) e suas duas filhas pequenas. Quando Laura suspeita que ele esteja tendo um caso com uma colega de trabalho, ela se aproxima de seu pai mulherengo e excêntrico, Felix (Bill Murray), que insiste em uma jornada de espionagem e tocaia para descobrir se existe ou não adultério.

Também escrito por Coppola, On the Rocks é uma experiência leve e adorável. Ainda que não tão profundo ou multifacetado como sua obra-prima Encontros e Desencontros, o filme da Apple (em parceria com a badalada A24), o longa oferece uma boa dose de humor graças à relação de sua dupla central, algo que ofusca até mesmo o grande conflito da trama. Mesmo com o medo e a paranoia de um possível adultério, Coppola nunca retrata a dúvida com suspense ou apela para lágrimas ou melancolia, já que a relação de Laura e Felix está sempre em primeiro plano na visão bem elegante e clássica da cineasta.

E é esse justamente o grande trunfo do filme. Bill Murray traz um de seus melhores trabalhos em anos, adotando a postura de um homem que parece movido por inconsistências: é um mulherengo que traiu a esposa, mas que está completamente dedicado a ajudar sua filha com uma situação que reflete seu próprio passado (em uma mistura de mea culpa pessoal com sua tentativa de reaproximação com Laura); tudo isso enquanto constantemente flerta com mulheres na rua e solta comentários de cunho machista com a naturalidade de um bon vivant, e tanto o texto inspirado de Coppola quanto a postura calma e suave de Murray garantem um personagem que, mesmo com ideias detestáveis, acaba se tornando uma figura incapaz de ser odiada – vide a excelente cena em que Felix é parado pela polícia e contorna a situação com nada a não ser seu carisma.

Ao lado de Murray, Rashida Jones faz um ótimo trabalho ao manter todas as complexidades de Laura. Por mais que Coppola nunca vá completamente para o melodrama, a performance de Jones claramente traz indícios sutis de seu desespero interno, que é brilhantemente demarcado nas hilárias (e constantes) cenas em que Laura apenas escuta a mãe solteira tagarela de Jenny Slate nas visitas diárias na escola de suas filhas. Em contrapartida, Marlon Wayans é hábil ao fazer um retrato perfeitamente duvidoso sobre Dean, sendo capaz de ao mesmo tempo parecer um marido dedicado e feliz, mas também de levantar suspeitas sólidas no espectador.

On the Rocks é tão leve e agradável quanto o tipo de bebida onde a expressão do título original geralmente é aplicada: apenas com gelo, algo padrão e simples assim. Por mais que não seja exatamente inovador ou original, ganha pela visão elegante de Sofia Coppola e as performances centrais de Bill Murray e Rashida Jones. Uma ótima pedida.

On the Rocks (EUA, 2020)

Direção: Sofia Coppola
Roteiro: Sofia Coppola
Elenco: Bill Murray, Rashida Jones, Marlon Wayans, Jessica Henwick, Jenny Slate, Liyanna Muscat, Alexandra Mary Reimer, Anna Chanel Reimer, Barbara Bain
Gênero: Comédia
Duração: 96 min

O que você achou desta publicação?

Avatar

Publicado por Lucas Nascimento

Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comente!

Natalie Portman revela que Jane Foster é digna do Mjolnir em Thor 4

Crítica em Vídeo | Rebecca – A Mulher Inesquecível (2020)