em , ,

RaivaRaiva TristeTriste

Johnny Depp pede que pessoas lutem contra cultura do cancelamento

Johnny Depp ainda vive com as consequências duras de seu polêmico divórcio com a atriz Amber Heard. Atualmente cancelado na indústria e sem oportunidades de trabalhar novamente, o ator finalmente resolveu falar sobre o assunto e avisou que “ninguém está seguro” de ser cancelado.

Depp foi enfático: “Não importa se um julgamento, por si só, tem alguma licença artística. Quando há uma injustiça, seja contra você ou alguém que você ama, ou alguém em quem você acredita – levante-se, não se sente. Porque eles precisam de você”, disse ao receber um prêmio de honra no Festival Internacional de Cinema de San Sebastián, um dos mais prestigiados do mundo.

Sobre o fenômeno do cancelamento, ele disse: “Pode ser visto como um evento na história que durou o tempo que durou, essa cultura de cancelamento, essa pressa instantânea de julgamento com base no que essencialmente equivale a ar poluído”.

E continuou: “Está tão fora de controle agora que posso prometer que ninguém está seguro. Nenhum de vocês. (…) Não há mais chão, o tapete foi puxado. Não foi só comigo que isso aconteceu, aconteceu com muitas pessoas. Esse tipo de coisa já aconteceu com mulheres e homens. Infelizmente, a certa altura, eles começam a pensar que isso é normal. Ou que eles são. Quando não é”.

Depois de perder boa parte dos processos contra Heard e a imprensa que repercutiu o caso, Depp agora move um processo de difamação de US$ 50 milhões de dólares contra a ex-esposa que o acusa de ser abusivo mental e fisicamente. O julgamento deve ocorrer ano que vem.

Durante o festival, em uma coletiva de imprensa tensa, Depp admitiu que estava preocupado de que sua presença no evento “pudesse ofender as pessoas”, e afirmou que ele “não queria ofender ninguém”.

O que você achou desta publicação?

Publicado por Redação Bastidores

Perfil oficial da redação do site.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Diretor do novo 007 diz que James Bond de Sean Connery era um estuprador

Shang-Chi deve superar Viúva Negra e virar maior bilheteria nos EUA na pandemia