Abduções alienígenas participam das discussões mais acaloradas de todos os tempos, ganhando uma força considerável ainda na década de 1950, conforme teorias da conspiração cresciam em todo o mundo. Não é à toa que tais histórias, verdadeiras ou não, foram levadas para o cinema e para a televisão inúmeras vezes, aumentando a mitologia extraterrestre em proporções indescritíveis.

Entretanto, alguns contos permanecem no imaginário das pessoas e ainda geram alguma dúvida. Afinal, é um fato dizer que o ser humano torna-se bastante presunçoso em achar que é a única forma de vida inteligente do universo. E talvez foi partindo disso que o casal BarneyBetty Hill tenha alegado a abdução por alienígenas ainda em 1961. É claro que não há provas quanto ao real sequestro involuntário, apenas relatos das próprias vítimas, mas a quantidade de detalhes que ambos forneceram é, no mínimo, instigante.

Caso Hill, também chamado de Incidente Zeta Reticuli, ocorreu durante os dias 19 e 20 de setembro. Os Hill retornavam de uma viagem de férias no Quebec para Portsmouth, sua cidade natal. De acordo com eles, havia poucos carros na estrada e, quando passavam por New Hampshire, Betty viu um ponto brilhante no céu e avisou ao seu marido, pedindo para que ele parasse o carro e aproveitasse para levar o cachorro Delsey para uma caminhada. Ela, então, utilizou o binóculo para observar melhor. Barney comentou que aquilo definitivamente não parecia com nada do que tinham visto antes, nem mesmo um satélite ou uma aeronave.

Conforme voltaram à estrada, o casal alegou que o objeto parecia segui-los, percorrendo o mesmo trajeto conforme a topografia do local. A aproximadamente um quilômetro e meio ao sul de Indian Head, os Hill disseram que uma espaçonave gigantesca desceu em direção ao veículo, obrigando-lhes a parar. Com a pistola em mãos, Barney desceu do carro, mas logo percebeu a presença de humanoides que pareciam dizer para ele permanecer onde estava. Uma estrutura em forma de ponte baixou ao fundo e foi nesse momento que ele voltou correndo para sua esposa. “Eles vão nos pegar”, ele gritou, se afastando em alta velocidade.

Entretanto, essa fuga de nada adiantou. Ambos também afirmaram que, logo depois, começaram a ouvir vários ruídos mecânicos, que o deixaram num estado de alteração de consciência entorpecedora e o corpo todo formigante. Não foi até conseguirem chegar em casa na madrugada seguinte que perceberam impulsos estranhos provindos de seus próprios corpos e, após o banho, uma tentativa de reconstruir o que realmente acontecera.

No dia 21 de setembro, Betty ligou para a Força Aérea dos Estados Unidos para contarem o que havia acontecido, e ambos foram recebidos pelo astrônomo e físico Walter Webb. Porém, mesmo com os depoimentos, Barney sentia que algo estava errado e que houve certas coisas daquela noite que foram apagadas propositalmente da sua memória e que até mesmo explicariam o pó translúcido que deixara marcas no vestido de Betty ou a correia de couro de seu binóculo totalmente destroçada.

Dois meses depois, Betty começou a anotar pesadelos vívidos que começava a ter, descrevendo que, nos sonhos, lutava contra dois humanoides pequenos que a forçavam a caminhar pela floresta. Barney estava ao seu lado, em um estado de sonambulismo induzido. Ela também disse que, ao chegarem ao imenso veículo, outro humanoide aparecia para examiná-la, junto com o líder do grupo; Betty inclusive se recorda do examinador dizendo que queria ver as diferenças entre o grupo da nave e os seres humanos.

Em 1963, os Hill deram sua primeira declaração pública sobre o que acontecera na Igreja Utilitarista que frequentavam. Após isso, começaram a se recordar dos eventos e foram submetidos a novos depoimentos, chegando até mesmo a serem examinados em sessões de hipnose. De qualquer forma, vários especialistas declararam que a convergência de relatos provinha da submissão inconsciente de Barney aos sonhos de Betty, a qual tinha uma tendência natural à criatividade e ao convencimento.

Mas a publicidade veio à tona, e o casal estava disposto a discutir sobre o encontro extraterrestre entre amigos, famílias e pesquisadores. Entretanto, os Hill não desejavam publicidade, mas um artigo de jornal publicado em 1965 mudou tudo isso e até mesmo culminou, um ano mais tarde, no lançamento de The Interrupted (A Viagem Interrompida), escrito por John G. Fuller e que examinava o caso. O livro inclusive serviu de inspiração para inúmeros longas-metragens e é utilizado até hoje.

Barney Hill morreu em fevereiro de 1969 devido a um aneurisma cerebral, e Betty veio a falecer apenas em 2004, de câncer.

Comente!