Foi liberada uma demo do jogo Resident Evil 2, remake do clássico jogo de 1998 que chega aos videogames no dia 25 desse mês. Aqui exponho minhas impressões sobre esse tão aguardado game que trará de volta Leon S. Kennedy e Claire Redfield tentando sobreviver à hordas de zumbis e diversas outras criaturas assassinas na cidade de Raccoon City.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Não é só nostalgia

Pelo que é possível depreender desses 30 minutos de gameplay, parece que a capcom guarda muitas surpresas, tanto aos fãs de longa data como novos jogadores. Caso você tenha jogado o original de 1998, você provavelmente se lembra onde encontrou o licker pela primeira vez no jogo. Ao me aproximar da área que tenho gravada na memória, fiquei apreensivo esperando encontrar a criatura. Mas não acontece ali. Ao invés disso, você encontra uma vitima do monstro e o suspense culminando no encontro com a criatura começa aí. É um ótimo trabalho da capcom para quebrar as expectativas de quem só esperava um “cópia e cola” com gameplay e gráficos atualizados como eu temia. O que você lembrava ter acontecido no Resident Evil 2 original ainda pode vir a acontecer nesse remake, mas não exatamente da forma que você se lembra e essa é uma decisão excelente da parte dos desenvolvedores.

Os gráficos

O jogo está visualmente estupendo! Com certeza um dos melhores gráficos da série, comparável ao quase realista de Resident Evil 7. É muito interessante notaro cuidado que tiveram com as feições dos personagens. Como no primeiro playstation existiam limitações gráficas, os detalhes de rosto dos primeiros Resident Evil não ficavam totalmente visíveis. Entretanto nesse podemos perceber todos os detalhes.

Jogabilidade

Logo de cara, podemos perceber influencia de Resident Evil 4 no gameplay. A câmera fica pouco atrás do personagem. Na hora de mirar, ela fica no ombro. O controle é quase de tanque, lembrando RE4, só que mais fluido. A mecânica de combinação de pólvoras para obter munição de Resident Evil 3 se faz presente. O menu parece o de Resident Evil 7. O jogador poderá achar caixas de armazenamento como nos jogos anteriores para guardar o que não couber no inventário. Facas podem ser usadas para se defender de zumbis que o atacam como em Resident Evil Remake.

Há máquinas de escrever, mas não se sabe se elas terão a mesma função que nos primeiros games, sendo o único modo de salvamento, sendo que agora a maioria usa salvamento automático. Pude perceber algumas novidades também, agora quando você encontra um zumbi querendo entrar por uma janela, você pode trancá-la usando tábuas de madeira, retardando o avanço da ameaça.

O que esperar de Resident Evil 2?

A Capcom trouxe de volta elementos dos jogos favoritos dos fãs da série e ainda aprimora em cima deles. Traz a velha atmosfera de tensão dos antigos games tanto aos veteranos quanto aos novatos em Resident Evil. Dito isso não espero nada menos do que um dos melhores jogos de Survival Horror da década, um Resident Evil que faça jus ao nome que carrega. E com esse em questão, a expectativa é redobrada pois trata-se do remake de Resident Evil 2, que é sem dúvidas o melhor da era do Playstation 1. Mal posso esperar para jogar essa nova empreitada da Capcom, que em minha opinião, está de parabéns com a qualidade dos jogos que vem produzindo.

Comente!