Informações técnicas

Distribuição: Fox
Duração: 532 min
Discos: 6
Embalagem: Box Digistack cardboard
Luva: Sim
Preço: essa edição não existe no Brasil, mas os discos podem ser encontrados na edição de 35 anos com embalagem comemorativa de H.R. Giger.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Vídeo

Razão de aspecto: 2.37:1, 2.35:1, 2.34:1, 1.85:1
Resolução: 1080p
Codec: MPEG-4 AVC (30.04 Mbps)

Áudio

Inglês: DTS-HD Master Audio 5.1 (48kHz, 24-bit)
Português: Dolby Digital 5.1 (448 kbps)
Espanhol: Dolby Digital 5.1 (448 kbps)
Alemão: DTS 5.1
Francês: DTS 5.1

Análise

O Modo MU-TH-UR

★ ★ ★ ★ ★

Antes de partirmos para a análise incisiva de cada um dos discos, vale explicar o que é o Modo MU-TH-UR, presente em todos os discos. É um modo de aprimoramente interativo onde o espectador pode ativar e desativar a aparição de extras suplementares que aparecem durante a exibição dos filmes, trazendo um material extra específico sobre uma determinada área da produção. É um método sublime, e que também pode ser acessado isoladamente através de uma seção batizada de Cápsulas de Informação, presente no quinto disco do box, e também pelo material dos Arquivos da Antologia, no sexto disco.

DISCO 01 – Alien, o Oitavo Passageiro

No Espaço ninguém pode te ouvir gritar.

O Filme (Versão do Cinema e Versão do Diretor de 2003)

★ ★ ★ ★ ★

Na seara do Cinema, Alien, O Oitavo Passageiro é um desses clássicos. Ao longo da minha vida, tive a chance de assistir ao filme inúmeras vezes e em nenhum delas enxerguei um único elemento que pudesse manchar a impressão de que a obra de Ridley Scott é uma das maiores conquistas cinematográficas já testemunhadas na história da Sétima Arte. Não há nada no longa indicando que os detalhes ou algumas das cenas foram um resultado do acaso – uma junção bem sucedida de sorte e casualidade. Tudo é uma prova cristalina de que aquilo que o espectador vê, ouve, sente e pensa foi intencional e impecavelmente realizado pelo diretor e a sua equipe. Crítica (Miguel Forlin)

Comentário em Áudio com o diretor Ridley Scott, o roteirista Dan O’Bannon, o produtor Ronald Shuset, o montador Terry Rawlings e membros do elenco Sigourney Weaver, Tom Skerritt, Veronica Cartwright, Harry Dean Stanton e John Hurt

★ ★ ★ ★ ★

Eu sei, quanta gente! Para o primeiro comentário em áudio do disco, temos excelentes insights de diferentes membros da equipe, algo que oferece um conteúdo rico e diversificado. O grande foco, claro, fica com Ridley Scott, que divide o microfone com o elenco para falar da construção do visual, da atmosfera e pequenos detalhes que rendem histórias e curiosidades muito divertidas. Vale também prestar atenção na faixa dedicada ao roteirista Dan O’Bannon, que revela como diversos aspectos de seu texto original acabaram na tela, sendo divertido ver a felicidade do escritor ao ver o tratamento impecável que seu material recebeu. Ótimo comentário, mas que infelizmente não traz legendas em português, apenas inglês.

Comentário em Áudio com o diretor Ridley Scott (Versão do Cinema)

★ ★ ★ ★ ★

Se você já gostava dos comentários de Ridley Scott no comentário em áudio anterior, prepare-se para uma faixa exclusiva que conta apenas com a voz do diretor, que oferece um insight bem mais técnico e pessoal da realização de seu segundo filme. É uma linha de pensamento muito interessante, que já começa com Scott falando sobre sua visão para os emblemáticos créditos de abertura, como o casting de cada personagem foi importante e muita, muita informação sobre o design do filme. O mais curioso é ver como Scott já revela diversas ideias que ele iria explorar em Prometheus, como seu desejo de descobrir quem era o Space Jockey ou como os ovos do xenomorfo na espaçonave representavam uma espécie de armamento, algo que ficou claro no prequel de 2012. Assim como o antecessor, apenas legendas em inglês.

Cenas Excluídas

★ ★ ★ ★

Aqui podemos ver todas as cenas inéditas que compõem a versão do diretor de 2003, sendo um modo de vê-las isoladamente sem assistir ao corte completo. Temos reunidos cerca de 6 minutos de material inédito, que trazem de destaque um sinistro plano que serviria como a primeira revelação do xenomorfo (durante a morte de Brett na sala de correntes) e a famosa cena que revela os “casulos” onde a criatura matinha os corpos de todas as vítimas, rendendo a tenebrosa cena em que Ripley é forçada a incinerá-los com um lança-chamas. 

Trilha Isolada do compositor Jerry Goldsmith (Versão Final e do Cinema)

★ ★ ★ ★ ★

Aqui temos um recurso que se repetirá em todos os discos dos filmes seguintes, que é a possibilidade de se assistir ao filme tendo a trilha sonora original como única faixa sonora. No caso, temos a excelente e atmosférica trilha de Jerry Goldsmith para O Oitavo Passageiro, disponível em ambas as versões disponíveis no disco.

DISCO 02 – Aliens, o Resgate

Agora é Guerra.

O Filme (Versão do Cinema e Edição Especial de 1991)

★ ★ ★ ★ ★

Aliens, O Resgate é sem dúvida alguma uma das melhores continuações já feitas, podendo até mesmo dizer que se equipara ao original em praticamente todos os aspectos, sem nunca limitar-se a uma cópia de estrutura ou ritmo. James Cameron transformou o terror em ação e a figura de Sigourney Weaver em um de seus mais icônicos representantes da história do gênero no cinema. Um filme inesquecível. Crítica 

Comentário em Áudio com o diretor James Cameron, a produtora Gale Anne Hurd, o supervisor de efeitos especiais Stan Winston, os supervisores de efeitos visuais Robert e David Skotak, o supervisor de miniaturas Pat McClung, e os atores Michael Biehn, Bill Paxton, Lance Henriksen, Jenette Goldstein, Carrie Henn e Christopher Henn

★ ★ ★ ★ ★

Assim como no comentário do primeiro filme, temos um MONTE de gente reunida nessa faixa de comentários em áudio, com uma divisão entre Cameron, Hurd e Winston, os Stoaks e McClung e uma faixa dedicada aos membros do elenco que participam da sessão. Resumidamente, é um ótimo comentário, que ganha uma riqueza profunda graças à presença de profissionais de diferentes áreas, com atenção especial para as palavras de Stan Winston enquanto revela alguns truques e métodos para a criação dos xenomorfos, o lado mais empresarial de Gale Anne Hurd ao explorar a difícil relação entre a equipe americana e a britânica nos estúdios da Pinewood ou o elenco se divertindo ao apontar nuances e histórias engraçadas sobre seus dias de filmagens. E, claro, James Cameron oferece insights muito interessantes sobre toda a ideia do projeto e o processo de criação de diferentes cenas, assim como a ótima dinâmica com Sigourney Weaver. Excelente, mas infelizmente não temos legendas em português, apenas inglês.

Cenas Deletadas e Estendidas

★ ★ ★ ★ ★

Aqui, temos 15 cenas deletadas e estendidas que rendem quase 20 minutos de material adicional cortado da versão de cinema. Curiosamente, todas essas cenas estão presentes na Edição Especial disponível no disco, então temos ao menos a praticidade de poder vê-las isoladamente caso o corte do cinema seja a escolha do espectador. Algumas cenas são realmente espetaculares, principalmente aquela que nos revela que a fila de Ripley morrera idosa, durante seus 57 anos de criogenia, e a longa sequência que nos apresenta à colônia de LV-246 e os pais de Newt.

Trilha Isolada do compositor James Horner (Versão Final e do Cinema)

★ ★ ★ ★ ★

Ah, James Horner. Que verdadeiro herói foi o compositor de Aliens, O Resgate, que teve um tempo curtíssimo de duração para criar os temas musicais eletrizantes do filme, e ainda conseguiu uma merecida indicação ao Oscar na época. Aqui, temos a oportunidade de assistir às duas versões do filme com sua fantástica trilha isolada.

DISCO 03 – Alien³

Três vezes o Terror.

O Filme (Versão do Cinema e Assembly Cut de 2003)

★ ★ ★ ★

Alien 3 merece sim figurar entre os grandes filmes da franquia, pois ele é grande e captura o espírito dos longas com muitíssimo respeito. Sua originalidade, seja no texto, na ótima direção, ou na fantástica trilha musical, mostra que, de alguma forma, David Fincher conseguiu vencer o sistema resultando nesse clássico Assembly Cut. No fim das contas, é um ótimo final para uma grande trilogia e uma excelente personagem. Crítica (Matheus Fragata)

Comentário em Áudio com o diretor de fotografia Alex Thomson, o montador Terry Rawlings, os designers de efeitos do Alien Alec Gillis e Tom Woodruff Jr, o produtor de efeitos visuais Richard Edlund e os atores Paul McGann e Lance Henriksen

★ ★ ★ ★

Essa é uma faixa de comentário em áudio que ainda amarga os traumas da produção. Não querendo desvalorizar o conteúdo oferecido pelos digníssimos profissionais que comentam o filme, principalmente Thomson que dá detalhes muito pertinentes sobre a fotografia com truques de iluminação e operação de câmera, MAS a ausência completa de David Fincher e Sigourney Weaver certamente é sentida. Os convidados quase nunca arriscam um comentário sobre o trabalho de Fincher sempre se limitando a dizer que ele é um gênio e algo do tipo. 

Porém, ainda há muito o que valorizar aqui. Os designers de efeitos toda hora comentam alguma coisa interessante sobre cenas futuras ou passadas daquele momento, além de termos a opinião sempre sincera de Woodruff que foi o ator quem vestiu a fantasia do xenomorfo. São detalhes e pequenas historietas de produção que valem ouro. Como por exemplo, o pequeno causo, em uma das cenas mais tensas da obra (quando Ripley vai atrás do alien sozinha) que Woodruff não aguentava permanecer quieto, se camuflando no ambiente, por conta dos grilos espalhados no cenário que estavam entrando dentro de sua fantasia. É algo absurdamente surreal. O bom humor de Edlund também cativa pelo carisma. O produtor sempre oferece comentários pertinentes e boas piadas para o espectador. Ironicamente, os dois atores que comentam na faixa acabam sendo o elo mais fraco. Recomendo ouvirem essa faixa exclusiva do corte Assembly. É tão distinta e valiosa quanto o próprio filme.

Cenas Deletadas e Estendidas

★ ★ ★ ★ ★

As cenas estendidas e deletadas já são as mesmas que fazem parte do famigerado Assembly Cut. Como provado, eram extremamente necessárias para melhor desenvolver o enredo, além de conferir melhor sentido de completude para o filme. São adições vitais que também podem ser vistas isoladamente. Uma boa sacada da Fox em oferecer isso para os espectadores que não querem largar o corte do cinema. Tem mais de vinte minutos de material válido que mostram passagens importantes como quando Golic liberta o xenomorfo de seu confinamento condenando todos seus colegas.

Trilha Isolada do compositor Elliot Goldenthal (Versão do Cinema)

★ ★ ★ ★ ★

Essas faixas exclusivas de trilhas isoladas são fenomenais. Além de oferecerem um charme de cinema silencioso para esses filmes. A trilha musical de Elliot Goldenthal é uma das maiores pérolas desse filme. O compositor aborda o clima soturno de tal forma que é impossível ficar indiferente às melodias tão certeiras que cria. Temas de triunfo, desolação e serenidade permeiam a obra inteiramente. Vale sim assistir ao filme com essa faixa isolada para compreender melhor o trabalho que Goldenthal faz aqui. 

DISCO 04 – Alien: A Ressurreição

Testemunhe a Ressurreição.

O Filme (Versão do Cinema e Edição Especial de 2003)

★ ★ 

É aqui onde as coisas realmente ficam estranhas. Mesmo com o fechamento belíssimo e simbólico para a Ripley de Sigourney Weaver no anterior, a Fox deu um jeito de criar um novo capítulo e contou com Joss Whedon escrevendo a história mais bizarra e fantasiosa da franquia, que recruta o francês Jean-Pierre Jeuenet para trazer uma visão única e grotesca do alien xenomorfo. É um filme que diverte pontualmente pelo absurdo da história, que toma diversas liberdades com a mitologia do personagem para uma história… Estranhíssima, novamente. Assumindo que é algo completamente derivado, o filme até funciona como uma diversão pulp, mas é absolutamente ridículo se comparado aos anteriores. Crítica

Comentário em áudio com o diretor Jean-Pierre Jeunet, o montador Hervé Schneid, os designers de efeitos do Alien Alec Gillis e Tom Woodruff Jr, o supervisor de efeitos visuais Pitof, o artista conceitual Sylvain Despretz, e os atores Ron Perlman, Dominique Pinon e Leland Orser

★ ★ ★ ★

Seguindo a linha de seus anteriores, temos todas essas diferentes pessoas falando sobre suas respectivas áreas. Porém, todo o foco está direcionado para o diretor Jean-Pierre Jeunet, que surge muito animado para falar de sua primeira experiência em Hollywood, suas ideias iniciais para o projeto (que acabaram na Edição Especial, veja mais abaixo) e também sobre sua visão completamente diferente dos outros filmes. Diverte também o fato de que Reunet divide o microfone com seu montador, Hervé Schneid, o que rende uma interação muito positiva e informativa sobre a criação de diversas cenas. O restante acaba não tendo tanto destaque, mas vale o destaque para o carismático Ron Perlman e o homem que um dia dirigiria Mulher-Gato, Pitof, para falar dos requintados efeitos especiais do filme. Não traz legendas em português, apenas inglês.

Cenas Deletas e Estendidas

★ ★ ★ ★

Aqui temos todas as cenas presentes na Edição Especial de 2003, que incluem cenas inéditas e tomadas alternativas para algumas sequências. O grande destaque fica para os dois extremos do filme, com a presença de uma elaborada nova cena de abertura (que inclui um bizarro bug alien) e o final alternativo que oferece a única visão da quadrilogia para a Terra, retratada de forma devastada e pós-apocalíptica. Tirando isso, temos mais 9 cenas curtas e que exploram um pouco mais da relação entre os personagens. Surpreendentemente, todo o material está legendado e até dublado.

Trilha Isolada do Compositor John Frizzell (Versão do Cinema)

★ ★ ★ ★

Encerrando o ciclo dos discos anteriores, temos a oportunidade aqui de assistir A Ressurreição com a trilha sonora de John Frizzell isolada, o que nos permite apreciar mais o trabalho divertido e apropriadamente fantástico do compositor. Porém, diferentemente dos outros, essa opção só está disponível para a Versão do Cinema do longa.

DISCO 05 – Making of da Antologia Alien

Os documentários da franquia.

O Monstro Interior: O Making Of de Alien,o Oitavo Passageiro

★ ★ ★ ★ ★

Começa aqui a melhor série de materiais extras que você respeita. O Monstro Interior é um longo documentário dividido em 9 partes, com cada uma delas explorando em detalhes cada estágio da produção, o que incluem o processo de criação do roteirista Dan O’Bannon e o colega Ronald Shusett, a direção de Ridley Scott, a criação do xenomorfo com o artista plástico H.R. Giger, a escalação do elenco, as filmagens e toda a recepção do filme após seu lançamento. É um olhar verdadeiro e honesto, que revela as intenções humiçdes de O’Bannon em fazer um filme de sci-fi que se assemelhasse a algo da linha de produção de Roger Corman, mas que acabou sendo elevado a algo mais sofisticado e emblemático graças ao apuro de Scott, que revela aqui como conseguiu dobrar o orçamento fornecido pela Fox após apresentar storyboards de todo o longa durante a produção, em uma verdadeira jogada de gênio e que conquistou a confiança do produtor David Giler. Todas as cenas icônicas de Alien ganham uma atenção especial, com destaque para a fabulosa concepção da sequência do chestburster e as inovações no quesito de efeitos especiais e fotografia para o clímax.

É simplesmente maravilhoso. Ao contrário da maioria dos materiais extras contemporâneos, temos aqui uma visão nada polida ou embelezada, que revela o projeto e seu complicado processo de criação como de fato é, em entrevistas reveladoras, informativas e que oferecem uma ideia muito clara de como a indústria de Hollywood operava na década de 70. Indispensável para qualquer um interessado nos bastidores do Cinema.

Poder de Fogo Superior: O Making Of de Aliens, o Resgate

★ ★ ★ ★ ★

No mesmo formato e estrutura do anterior, Poder de Fogo Superior oferece um olhar detalhado na produção de Aliens, O Resgate, contando com um longo documentário dividido em 11 partes, que vão desde a concepção da ideia com James Cameron até o lançamento e repercussão do filme no verão de 1986. E, tal como o anterior, é uma maravilha. Vemos aqui todos os podres e histórias que a maioria dos extras tenta varrer para debaixo do tapete, expondo como a relação entre Cameron e a equipe americana do filme acabou entrando em conflito com os costumes britânicos nos estúdios Pinewood, as exigências de Sigourney Weaver para reprisar o papel e todo o trabalho admirável de Stan Winston (a criação da Rainha Alien ganha um segmento todo seu) e todos os técnicos de efeitos especiais, maquiagem e, em especial, da trilha sonora de James Horner, que acabou tendo uma janela de tempo curtíssima para entregar seu trabalho.

No mais, é um olhar fascinante e que entretém, ficando bem claro como Cameron e todos os envolvidos foram capazes de aprimorar o conceito de Ridley Scott e realizar uma continuação que literalmente reinventa o gênero. Uma verdadeira aula de cinema.

Destroços e Raiva: O Making Of de Alien³

★ ★ ★ ★ ★

Oh, sim. Todos ouvimos as histórias, as lendas e as fofocas da conturbada produção de Alien³, e o documentário Destroços e Raiva nos leva para uma detalhada e reveladora jornada de 11 partes sobre o primeiro filme de David Fincher. Felizmente, ao contrário dos extras de filmes como o novo Quarteto Fantástico ou Esquadrão Suicida, nada é ocultado e temos uma visão crua sobre todos os problemas, confusões e conflitos que se passaram nos bastidores, e que acabaram levando a uma versão de cinema decepcionante e irregular. Grande parte do tempo é dedicada à concepção do roteiro, que partiu dae um mix das ideias de três roteiristas diferentes, e a tentativa do estúdio em trazer de volta o terror claustrofóbico do primeiro filme após o espetáculo de ação do segundo filme, chegando – em certo ponto – a sugerir uma versão de “O Nome da Rosa no espaço”, o que no fim acabou dando origem à prisão espacial onde toda a trama se desenrola. O mais curioso é ver como a Fox ainda está aproveitando muitas dessas ideias descartadas, especialmente em Alien: Covenant.

Só a concepção do filme já rende um material riquíssimo, mas tudo o que envolve a entrada de Fincher, na época um conceituado diretor de videoclipes, torna tudo mais interessante. Com o estúdio interessado em um produto específico, sem falar que o roteiro mal estava completo quando as câmeras começaram a rodar, a visão de Fincher acabou severamente prejudicada, e diversos embates acabaram ocorrendo com a Fox; há até mesmo a inacreditável imagem do cineasta pegando um microfone para xingar os executivos do estúdio de imbecis no meio do set. A força que Sigourney Weaver ganhou como produtora também é um aspecto importantíssimo, com a atriz trazendo exigências específicas para Ripley, como o fato de não haver armas de fogo no filme e um fim definitivo para a personagem. Há, também, todo o olhar para as questões técnicas e os efeitos especiais, que trouxeram de volta a presença de H.R. Giger para desenvolver uma nova versão do xenomorfo, assim como uma análise de toda a fotografia sombria e pasteurizada. 

Certamente o melhor dos quatro documentários presentes no disco. Aqui, fica bem claro como a produção de Alien³ desandou por completo, e é um verdadeiro milagre  ver a Fox abrindo o jogo e assumindo parte da culpa através de entrevistas sinceras e imagens de bastidores riquíssimas, que continuam comprovando que o material deste box é uma das mais profundas e informativas aulas sobre Hollywood que você possa encontrar por aí.

Um Passo Além: O Making Of de Alien – A Ressurreição

★ ★ ★ ★ ★

O último documentário do disco explora o curioso caminho para Alien – A Ressurreição, que parte justamente da confusão em todos os envolvidos para o que fazer com um quarto filme da franquia, considerando a morte de Ripley no anterior. A partir daí, vemos o jovem roteirista Joss Whedon explicando seu conceito para a clonagem da protagonista, o retorno de Sigourney Weaver para o papel e a total aversão do produtor David Giler à ideia, algo que ele não esconde em momento algum durante as entrevistas (“assim que li o roteiro, sabia que seria o fim da franquia”, afirma Giler). Então, vemos como a entrada de Jean-Pierre Jeunet mudou completamente o rumo da franquia, com o cineasta francês trazendo um toque completamente novo e que fugisse dos padrões hollywoodianos, o que leva o doc para a área técnica, que conta com o mesmo apuro e detalhe dos antecessores, com muito enfoque nos novos xenomorfos e na criação do bizarro Recém-Nascido. 

Mantém o mesmo padrão de qualidade dos anteriores, e é muito gratificante ver como todos os problemas e conflitos de produção são abordados, mesmo com a dinâmica mais amigável entre Jeunet e os produtores, algo que praticamente foi um sopro de ar fresco após a pesada filmagem com David Fincher no terceiro filme. 

DISCO 06 – Os Arquivos da Antologia Alien

Miscelâneas valiosas da franquia.

O sexto disco da antologia é uma fera magnífica. É um arquivo gigantesco das mais diversas informações, documentários e materiais de todos os 4 filmes, e por tal motivo, seria uma tarefa suicida analisar cada item da lista de extras um a um. Além do mais, temos diversas repetições de ideias e informações, como múltiplos documentários que exploram a ideia de Dan O’Bannon em O Oitavo Passageiro, os diferentes estágios da produção de cada respectivo filme e por aí vai. Todos os extras são divididos em três categorias: Pré-Produção, Produção e Pós-Produção e Lançamento, onde cada bloco traz diversas informações adicionais.

Vale mencionar também o precioso arquivo fotográfico, que traz imagens dos bastidores, ensaios promocionais e pôsteres de cada um dos filmes, além de todos os trailers e spots de TV de suas campanhas publicitárias. E antes que me esqueça, sabemos que um material extra é de altíssimo nível quando temos cópias digitais dos roteiros originais de todos os filmes disponíveis para leitura. Uma verdadeira maravilha.

Para não passar batido, segue abaixo uma lista com todos os extras disponíveis no disco, divididos por seus respectivos filmes.

Alien, o Oitavo Passageiro

Pré-Produção

  • Primeiro rascunho do roteiro de Dan O’Bannon
  • Ridleygramas: Anotações e marcações originais
  • Arquivo de storyboards
  • A Arte de Alien: Portfolio de Arte Conceitual
  • Teste de Cena de Sigourney Weaver
  • Galeria com retratos do elenco

Produção

  • O Chestburster: Sequência multi-ângulo
  • Galeria de Vídeo Graphics
  • Galerias de imagens da produção
  • Polaroides de continuismo
  • Os sets de Alien
  • Galeria do workshop de H.R. Giger

Pós-Produção e Lançamento

  • Cenas Deletadas Adicionais
  • Galerias de imagens
  • Experiência em Terror
  • Arquivo da Edição Especial de Colecionador em LaserDisc
  • O Legado de Alien
  • American Cinematheque: Q&A com Ridley Scott
  • Trailers & Spots de TV

Aliens, o Resgate

Pré-Produção

  • Tratamento original de James Cameron
  • Pré-Visualização: Videomatics multi-ângulo
  • Arquivo de storyboards
  • A Arte de Aliens: Galeria de Imagens
  • Galeria de retratos do elenco

Produção

  • Galeria de Imagens da Produção
  • Polaroides de continuismo
  • Armas e Veículos
  • Workshop de Stan Winston
  • Câmeras dos capacetes nos Fuzileiros Coloniais
  • Galeria de Video-Graphics
  • Weyland-Yutani Inquest: Dossiês da Nostromo

Pós-Produção e Lançamento

  • Cena Deletada: Burke encasulado
  • Montagem de Cenas Deletadas
  • Galeria de Imagens
  • Arquivo da Edição Especial de Colecionador em LaserDisc
  • Exporação dos Créditos de Abertura
  • Aliens: Ride at the Speed of Fright
  • Trailers & Spots de TV

Alien³

Pré-Produção

  • Arquivo de storyboards
  • A Arte do Arceon
  • A Arte da Fiorina

Produção

  • Construção da Fornalha: Sequência em Time-Lapse
  • EEV Bioscan: Vinheta Multi-Ângulo 
  • Galeria de imagens da produção
  • Workshop da A.D.I.

Pós-Produção e Lançamento

  • Galeria de Efeitos Visuais
  • Ensaio Especial: Arquivo de Fotos Promocionais
  • Featurette de Alien³
  • Featurette Promocional do Making of de Alien³
  • Trailers & Spots de TV

Alien: A Ressurreição

Pré-Produção

  • Primeiro Rascunho do roteiro de Joss Whedon
  • Teste de Câmera: Departamento de Criaturas da A.D.I.
  • Teste de Câmera: Figurinos, Cabelo e Maquiagem
  • Pré-Visualização: Ensaios em Multi-Ângulo
  • Arquivo de storyboards
  • O Portfolio de Marc Caro: Design de Personagens
  • A Arte de Ressurreição: Galeria de Imagens

Produção

  • Galeria de imagens da produção
  • Workshop da A.D.I.

Pós-Produção e Lançamento

  • Galeria de Efeitos Visuais
  • Ensaio especial: Arquivo de Imagens Promocionais
  • HBO First Look: O Making of de Alien: A Ressurreição
  • Featurette Promocional de Alien: A Ressurreição
  • Trailers & Spots de TV

A Antologia Alien

  • Duas Versões de Alien Evolution
  • A Saga Alien
  • Galeria e Roteiro da Atração Aliens 3D
  • Aliens in the Basement: A Coleção de Bob Burns
  • Paródias
  • Galeria da Dark Horse
  • Galeria de Emblemas e Logos

Conclusão

Não há como negar. O box da Antologia Alien talvez seja a melhor edição home video já produzida para Blu-ray, de todos os tempos. Não só impressiona pelo material impecável de sua embalagem ou a remasterização dos filmes, mas a quantidade de material extra, assim como seu conteúdo e distribuição ao longo dos discos, é um trabalho digno dos deuses. Tudo o que um fã de Alien, ou da própria Arte de fazer Cinema, está reunido perfeitamente aqui, e é um item que deve imediatamente fazer parte de sua coleção.

Leia mais sobre Alien

Salvar

Comente!