Se tratando de uma adaptação de um saga literária, obviamente que os filmes da saga iriam ter algumas mudanças em relação aos livros. Algumas dessas mudanças foram de fato muito ruins e até frustrantes, mas também houveram mudanças que vieram para melhor. Já que de fato nada impede que os cineastas façam algo melhor em alguns momentos do livro que estão adaptando para o cinema. 

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Com isso, listamos aqui cinco mudanças dos livros para os filmes de Harry Potter que foram para melhor, confira.

A VARINHA ESCONDIDA DE LUCIUS MALFOY

Jason Isaacs transformou o pequeno papel de Lucius Malfoy em um grande destaque durante os oito filmes da saga. Chegando a ser bem mais robusto que o Professor Snape, e certamente um dos aspectos mais memorável do personagem é a sua varinha oculta dentro da alça de sua bengala, que acaba sendo uma metáfora perfeita para seu personagem: mal indescritível oculto por algo de bom gosto.

HARRY SENTIR PENA DE VOLDEMORT

O momento culminante em Harry Potter e a Ordem da Fênix, onde Voldemort tenta possuir Harry, é literalmente um par de parágrafos no livro. Isso passa tão rápido que você não registra o que está acontecendo até acabar, mas na tela, David Yates e seus editores transformam isso em um grandioso momento. Voldemort tenta entrar na mente de Harry. Deitado no chão do Ministério da Magia com Dumbledore ao seu lado, Harry luta, imaginando seus amigos, imaginando Sirius, que perdeu a vida apenas alguns minutos atrás. Ron, Hermione e o resto de seus amigos entram em cena (outra mudança), e quando Harry os vê, ele vence a batalha pela a sua alma quando diz a Voldemort: “Você é fraco. Você nunca conhecerá amor. Ou amizade. E eu sinto pena de você”

HARRY E HERMIONE COMPARTILHANDO SEUS CORAÇÕES PARTIDOS UM PARA O OUTRO

Harry passa a maior parte do Enigma do Príncipe chegando à conclusão de que ele se apaixonou por Gina Weasley. No livro, estamos a par de seus pensamentos, mas o filme nos mostra como ele se sente ao transformar Hermione em sua confidente. Isso acaba fortalecendo as emoções por trás da amizade entre os dois. Hermione também está cuidando de sua dor com o relacionamento de Ron com Lavender Brown, e ela e Harry acabam passando muito mais tempo juntos. Eles fornecem apoio emocional um ao outro, algo que se prolonga nos próximos filmes e, especialmente, na famosa cena de dança na barraca em Harry Potter e Relíquias da Morte: Parte 1.

O DISCURSO DE NEVILLE

Um dos melhores momentos de Harry Potter e as Relíquias da Morte Parte 2 é quando Neville dá um passo à frente e começa a fazer um grande discurso que verdadeiramente não está no livro. Voldemort apenas escuta com aquele enorme sorriso de incredulidade enquanto o destemido Neville lista todas as razões pelas quais Hogwarts continuará lutando com ele, mesmo com Harry estando supostamente morto.

DIVIDIR AS RELÍQUIAS DA MORTE EM DOIS FILMES

Dividir o livro As Relíquias da Morte, de todo fato foi uma excelente ideia, já que assim, pudemos ver por completo toda a jornada de Harry, Ron e Hermione indo em direção a uma série de bloqueios em sua busca para derrotar o Lorde Voldemort. Um sentimento de frustração e desespero se instala quando o Trio se depara com uma viagem tediosa e desestruturada, sem fim à vista, e vemos como isso afeta até mesmo as mais poderosas amizades, ter um filme inteiro dedicado a tudo isso foi algo excelente de se ver, e certamente se fosse apenas um filme, não teríamos visto tudo isso por completo.

Comente!