Hoje, há 20 anos atrás, One Piece era publicado pela primeira vez na revista Shonen Jump, iniciando uma aventura épica e com escalas sem precedentes em sua ambiciosa jornada para se tornar o quadrinho mais vendido de todos os tempos. E não poderíamos deixar essa data sem comemorar com uma lista separando os 20 momentos que fizeram da série o que ela é hoje.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter e fique por dentro de todas as notícias! «

Momentos que estão gravados na memória de qualquer leitor (ou para quem acompanha o anime também porque não) e que tornam One Piece a série que tanto amamos. Momentos de vitórias, derrotas e muitas, mas muitas lágrimas.

Para facilitar, colocamos o capítulo do mangá que cada momento ocorre para você poder voltar ao mangá e relembrar também.

Então embarquem nessa aventura e vamos para a lista!

20. Romance Dawn

Capítulo 1

Por que não começar com o início de tudo? O piloto de One Piece, com Luffy criança adquirindo sua habilidade de borracha após comer a Gomu Gomu no Mi e herdando o chapéu de palha de Shanks é a gênese do que seria a épica história do pirata do chapéu de palha. Ver a reação de Luffy após Shanks salvá-lo, sacrificando seu braço no processo, já mostrava o quão emocional a série poderia ficar, dando os primeiros passos nesse romântico amanhecer pirata.

19. Gear Fourth

Capítulo 784

Dressrosa foi o maior arco da série até hoje, com mais de 9 volumes do mangá inteiramente focados na ilha controlada pelo shichibukai Donquixote Doflamingo e sua família. Após Doflamingo cercar a ilha com sua habilidade manipuladora de fios, Luffy enfrenta Joker em uma das batalhas mais intensas da série até hoje, culminando na sua transformação em Gear Fourth, uma mistura de todos os Gears anteriores junto com a manipulação de haki. O que viria a seguir era uma demonstração de poder de Luffy como nunca tinha sido visto antes, deixando Joker em estado de K.O. por tempo indeterminado e finalizando uma das batalhas mais dramáticas do chapéu de palha.

18. O sino de Skypiea

Capítulo 299

O arco de Skypiea não é lá tão bem vista pelos fãs da série, mas é inegável que sua luta final é uma das mais intensas. Tentando derrotar o “invencível” Enel com sua Goro Goro no Mi, logia de eletricidade, todos são derrotados facilmente pelo vilão. O que Enel não contava era de que Luffy, o homem-borracha, era seu inimigo natural e única pessoa capaz de tocá-lo. Após Enel aprisionar Luffy com uma massiva bola de metal, o chapéu de palha usa essa “algema” em um soco que, além de destruir qualquer chance de Enel continuar em pé, toca o lendário sino de Skypiea, que é ouvido por todos os cantos da ilha do céu e chega aos ouvidos do descendente de Montblanc, Cricket Montblanc, honrando o nome da família.

17. Ace X Barba Negra

Capítulo 440 e 441

One Piece tem alguns momentos de excelência em sua narrativa, colocando foreshadowings de eventos secundários que lentamente se desencadeiam para formar arcos importantes na trama principal do mangá. O encontro de Ace e Barba Negra, antecipado por uma cômica e leve série de capas, seria dali para frente um dos momentos mais importantes de toda a história, abrindo portas para o arco mais épico e emocionante com a Guerra dos Melhores em Marineford. Ace acaba encontrando o traidor do bando do Barba Branca em uma pacata ilhazinha, que se torna o palco de uma das lutas mais incríveis e destrutivas já desenhadas por Oda, deixando o leitor de boca aberta e com um final em aberto, antecipando o que seria o início do fim da jornada de Portgas D. Ace.

16. Zoro X Mihawk

Capítulo 51

No meio da confusão causada por Don Krieg e seus capangas no Restaurante Baratie, Mihawk, o lendário shichibukai e espadachim, surge inesperadamente no meio da cena, fazendo com que Zoro o desafie para um duelo. Em um dos primeiros momentos da série que nos é apresentado uma ameaça que os mugiwaras ainda não poderiam enfrentar, Zoro é derrotado facilmente por Mihawk, que o torna o inimigo a ser batido pelo samurai.

15. A promessa para Nami em Arlong Park

Capítulo 81

O termo “um por todos, todos por um” poderia muito bem ser o lema dos mugiwaras. E um exemplo perfeito disso é no momento que Nami, após fugir do grupo para resolver sua promessa com Arlong na sua ilha de origem, pede para o chapéu de palha uma ajuda a derrotá-lo. Após anos tendo que trabalhar para o tritão, Nami finalmente confia a Luffy a tarefa de tirar esse fardo da sua vida. E assim Luffy, Zoro, Sanji e Ussop partem para o hotel do bando de Arlong para acabar a festa do homem-peixe.

14. Gear Second

Capítulo 387 e 388

Atualmente Luffy conta com 3 transformações de Gear, mas como diz o ditado, a primeira a gente nunca esquece. Aquecendo seu corpo para ficar mais rápido e forte, Luffy dispara em Blueno, membro da CP9, em uma das lutas mais rápidas do mangá, demonstrando a evolução de Luffy em controlar suas habilidades. Para quem falava que o chapéu de palha não poderia ter uma transformação a lá Super Saiyajin devido a sua akuma no mim estranha em virar seu corpo em borracha, Oda jogou na cara que ele podia sim fazer uma transformação tão marcante quanto as de Dragon Ball.

13. 3D2Y

Capítulo 597

Time skip é algo comum em séries de longa duração, oferecendo novos ares e apresentando um leque de habilidades e aumento de força para seus personagens principais. E quando Oda decidiu dar um pulo temporal, a forma como ele arquitetou foi inteligente e muito bem justificada, colocando os personagens diante de uma parede de distância entre suas habilidades atuais e a do que eles enfrentariam no Novo Mundo. Luffy, através de uma foto no jornal com uma mensagem tatuada em seu braço, deu o sinal para todos os mugiwaras espalhados no mundo de que era necessário uma pausa para que todos reunissem forças para encarar o que estava por vir, dando tempo para Oda retrabalhar o design dos personagens e restabelecer as regras do mundo de One Piece.

12. Parem a bomba na Praça de Alabasta!

Capítulo 206 a 210

Um dos primeiros momentos que Oda criou seus famosos clímax de arcos onde os personagens precisam correr contra o tempo para impedir a destruição ou que algo terrível aconteça. Em Alabasta, Oda arquiteta um arco complexo e com magnitudes sem precedentes para a série até ali, colocando o destino da ilha de Alabasta em jogo enquanto o bando precisa encontrar o local que uma gigantesca bomba seja atirada no centro da cidade. Enquanto Luffy confronta o líder da Baroque Works e Shichibukai, Crocodile, os outros membros buscam desesperadamente o paradeiro da bomba, antes que o tempo se esgote. Excitante, emocionante e épico!

11. Sabo vive!

Capítulo 731

Em um dos momentos mais recentes da lista, Luffy descobre que Sabo, um de seus primeiros amigos e que supostamente havia morrido quando os dois ainda eram crianças, estava vivo e bem, fazendo parte dos revolucionários junto com o pai de Luffy, Monkey D. Dragon. Depois de tantas perdas (especialmente a mais recente, de seu irmão Ace), Luffy encontrar Sabo foi um daqueles momentos mágicos que pegou tanto o personagem quanto o leitor de surpresa. Apesar do rosto de Sabo não aparecer na cena, a reação de Luffy entrega quem é com uma cara ao mesmo tempo hilária e de arrancar lágrimas dos leitores.

 

10. O sacrifício de Bon Clay

Capítulo 548

Correndo contra o tempo, Luffy precisava chegar no quartel-general da marinha a tempo de impedir a execução de seu irmão, Ace. Após receber uma inesperada ajuda de Boa Hancock em Amazon Lily e se infiltrar em Impel Down, a maior prisão do mundo, Luffy precisava partir imediatamente para Marineford. Porém, 6 andares separavam Luffy da saída. A única alternativa era correr! Magelan, o diretor da prisão e usuário da akuma no mi de veneno, estava impedindo a fuga do chapéu de palha e era o único que tinha a autorização de abrir o portão da prisão. Alguém precisava se passar por ele para enganar os guardas responsáveis por abrir o portão. Entra Bon Clay, capaz de mudar sua aparência e se passar por qualquer pessoa. Bon Clay acaba se disfarçando de Magellan e autoriza a abertura do portão, mas sem ter a chance de fugir com o bando. É aí que o sacrifício de um amigo é feito, com Bon Clay enfrentando Magellan cara a cara e nos deixando com a dúvida se ele conseguiu sair vivo ou não. Spoilers: ele está vivo.

 

9. Adeus, Vivi

Capítulo 216

Após as intempéries no arco de Alabasta, Luffy e o bando partem do país antes que a marinha consiga capturá-los, e que agora reconhece o bando como um grupo importante após Luffy derrotar o shichibukai Crocodile. Vivi, amiga dos mugiwaras e princesa de Alabasta, precisa esconder os vínculos com o grupo se quiser preservar a segurança de seu reino. Assim, o grupo parte sem dar adeus, mas encontra uma forma de se despedir de Vivi mostrando o X no braço esquerdo de cada um do bando como uma promessa, mostrando o vínculo de amizade eterna que Vivi criou com o grupo. E se um dia eles se reencontrarem, Luffy poderá chamá-la de companheira mais uma vez.

8. A escolha de Zoro em Thriller Bark

Capítulo 485

Apesar de ser o segundo em comando e a primeira pessoa que aceitou ser um companheiro do chapéu de palha, Zoro é um dos poucos membros do bando que ainda não receberam um arco próprio de desenvolvimentos para seu personagem (isso pode acabar mudando com a chegada do arco no País de Wano). Porém, em uma das cenas mais representativas do personagem, Zoro recebe todo o dano que Luffy tinha tomado na luta contra Gecko Moria e seu exército das sombras através da habilidade de Bartholomew Kuma, mostrando não só uma resistência praticamente inumana, mas também a fé e convicção que Zoro tem em seu capitão. Após receber o dano e jorrando sangue da cabeça aos pés, Zoro ainda estava em pé, como um fiel membro da tripulação do chapéu de palha.

7. A canção de Brook

Capítulo 486

Mais conhecido por seu visual peculiar e piadas tirando sarro de sua própria situação como esqueleto ambulante, Brook também teve um dos passados mais emocionantes de todos os chapéus de palha, mostrando as consequências de ter comido uma fruta que o ressuscitou após todos os seus companheiros terem morrido de fome e doença. Brook viveu anos à deriva, sozinho e sem ter para onde ir, apenas esperando o momento de reencontrar a baleia Laboon, amiga dos piratas Rumbar. Brook acaba caindo em lágrimas após contar sua história para Luffy, que chamou o pirata para entrar no seu bando e realizar o seu sonho de mais de meio século. Brook (e nós, leitores) caímos no choro.

6. A chegada na Grand Line

Capítulo 100 e 101

A primeira parte de One Piece, apesar de divertida, não representa nem metade dos momentos mais marcantes da série. As coisas dão uma guinada (literalmente) somente depois que o grupo formado por Luffy, Zoro, Nami, Ussop e Sanji chegam na Grand Line, o palco principal da série e a rota onde o tesouro de Gol D. Roger se localiza. Da quase execução de Luffy em Log Town, passando pelo momento onde cada membro coloca um objetivo em mente, da subida na corrente da montanha Red Line e, enfim chegando a Grand Line, apenas para encontrar uma enorme baleia que constantemente bate a cabeça na montanha, temos aqui o momento que a série deslancha e onde Oda parece finalmente estabelecer alguns objetivos com a série, passando da calmaria do East Blue e entrando nas turbulentas águas da Grand Line.

5. A separação do bando em Shabondy

Capítulo 513

Poucos momentos na série vemos Luffy perder completamente para seus inimigos, mas Oda sabe exatamente quando inserir momentos assim para criar reviravoltas chocantes. O impacto de presenciar Luffy e o resto do bando serem encurralados pelo shichibukai Bartholomew Kuma mostrou o quão fracos e despreparados o bando estava para enfrentar o Novo Mundo que os aguardava. Presenciar os membros sumirem um por um nas mãos de Kuma, até a cena que Luffy cai aos prantos por não ter a capacidade de salvar ninguém, torna o capítulo (tanto do mangá quanto do anime, muito bem animado) um dos mais impressionantes até então, deixando o leitor questionando o futuro do bando dali para frente.

4. Luffy X Usopp/Luffy X Sanji

Capítulo 332 e 333/Capítulo 844

Briga interna é a pior coisa que pode acontecer para um bando de piratas, e os chapéus de palha já sofreram dois desses momentos que causam dor tanto para o grupo quanto para o leitor. Impedindo Luffy de deixar o navio Going Merry para trás, Usopp acaba enfrentando o capitão do grupo colocando o destino do barco em jogo. Mesmo sabendo que não haveria chance nenhuma de derrotá-lo, Usopp usa todas as suas habilidades para atacar Luffy, que também luta sem se conter. Após a previsível derrota, Usopp sai do grupo por um tempo, reaparecendo logo depois como o mascarado Sogeking, forma dele voltar a ajudar o grupo em Ennies Lobby sem ferir a honra dele e de Luffy.
Enquanto na segunda luta, temos um confronto entre Sanji e Luffy devido a promessa do cozinheiro em se casar com Pudding em troca da liberdade de seus próprios amigos. Luffy não aceita e acaba indo atrás dele, que enfrenta Luffy para impedi-lo de prosseguir e acabar se machucando ainda mais. Luffy, ao contrário da primeira luta, fica estático, recebendo todos os golpes de Sanji. Luffy promete para Sanji ficar no mesmo local até o cozinheiro mudar de opinião e retornar para o bando, o que mais tarde ocorreria.

3. “Eu quero viver!”

Capítulo 398

Após se entregar para a Marinha ao tentar poupar o bando do chapéu de palha do mesmo destino que a aguardava, Robin chega na ilha de Ennies Lobby para sua execução, sendo seguida pelo bando capitaneado por Luffy. Ao destruírem metade da ilha para encontrarem sua companheira, Robin se depara com Luffy e seus amigos parados diante dela, esperando apenas que ela pedisse ajuda dos seus companheiros para salvá-la do trágico destino. Intercalando com um dos flashbacks mais tristes, vemos o motivo de Robin ser perseguida desde criança, sendo parte de uma tribo que guardava a verdade por trás dos poneglyphs e do século perdido, algo que o governo mundial tenta esconder do resto mundo. Após realizar a importância do bando em sua vida e a determinação de Luffy em salvá-la, Robin grita para o bando e profere as palavras que a libertariam dali. “Eu quero viver!” é definitivamente um dos momentos mais fortes da série, em um arco catártico, bem planejado e intenso, que dificilmente será superado.

2. A despedida de Going Merry

Capítulo 430

Nem tudo é para sempre, e em algum momento um companheiro teria que ser deixado para trás. Após passar por tantas aventuras e desventuras, o fiel navio do bando, Going Merry, começa a sentir o impacto de todas as aventuras passadas pelo grupo, sendo impossível de ser navegado devido a quebra da base de sua estrutura. Após Ussop tentar impedir que o barco fosse aposentado pelo grupo, ele dá seus últimos remendos antes de partir de Water Seven. Ao final do resgate de Robin, o bando estava encurralado pelo Buster Call da marinha. Sem chances de Luffy e os outros fugirem dali sem um barco, Going Merry chega para salvá-los, dando seu último suspiro como barco do bando. Após a fuga, não resta mais possibilidade do navio prosseguir, com Luffy queimando o barco como forma de finalmente libertá-lo de sua obrigação. O bando presencia o navio incendiando, ouvindo a voz do navio agradecendo o grupo pelas aventuras que passaram até ali, em uma das imagens mais icônicas e emocionantes de toda a série.

1. A morte de Portgas D. Ace

Capítulo 574

A busca de Luffy para salvar Ace é um dos momentos mais importantes de One Piece, e o resultado é uma cena que entrou para a história não só do mangá, mas do gênero. Além de representar um momento de separação do chapéu de palha e o resto do grupo, que precisava individualmente encontrar forças e treinar para se reunir novamente e enfrentar o que estava por vir na segunda metade da Grand Line, é também o momento onde todas as qualidades da série de Eiichiro Oda brilham, mostrando o quão cuidadoso o autor foi em construir o mundo e uma situação para que, no momento que aquilo ocorresse, impactasse o leitor da maior forma possível.
Ao contrário de muitas histórias que se orgulham de tirar constantemente a vida de personagens importantes, One Piece é o exato oposto, sendo até criticado por poupar muitos personagens ao longo do mangá. Porém, isso pode ser visto como uma estratégia de Oda em entregar o máximo de impacto quando há uma perda. E isso pode ser visto aqui, quando perdemos um dos personagens mais importantes da série, representando não só uma perda mas uma nova fase na série, com a morte de Ace sendo uma derrota necessária para Luffy crescer e se tornar o homem que um dia virá a ser o rei dos piratas.

E para você, qual o momento mais emocionante da série? Aquele que te fez vibrar com os personagens ou chorar tanto quanto eles? Diga aí nos comentários abaixo!

Comente!