em

Artigo | A Origem da Mulher-Maravilha

Mitologia Grega

O tão esperado filme da Mulher-Maravilha estreou em todo o país com a bela Gal Gadot como intérprete da Guerreira Amazona. Mas antes de ela se tornar a Wonder Woman (nome em inglês) que todos conhecemos ela teve uma vida bastante diferente e que poucos imaginam ou sabem. Sua origem não é de outro planeta, ela não é uma uma humana que se esconde em uma fantasia, muito menos uma mutante com superpoderes genéticos. Ela é uma deusa Amazona, e a principal referência da deusa da DC é a mitologia grega. 

Antes de falar de sua origem vamos dissecar quem eram as Amazonas na mitologia grega e porque isso é importante. A mitologia grega como qualquer outra mitologia fala de mitos, lendas, histórias de heróis, vilões e deuses. Quem algum dia assistiu ao seriado Xena – A Princesa Guerreira talvez já tenha uma noção do que eram as Amazonas, apesar do conceito nessa série ser um pouco diferente. As Amazonas eram guerreiras que viviam em uma nação apenas para mulheres em que homens não eram bem-vindos. Houve relatos de que elas realmente existiram, mas isso não foi realmente comprovado levando a definição atual de que as Amazonas seriam mulheres que andam a cavalo e não mais em grupos.

Segundo os contos da Mitologia Grega, as rainhas amazonas mais conhecidas são Pentesileia que alguns dizem ter participado da Guerra de Troia e a outra seria sua irmã Hipólita, o cinturão que ela usava é bem conhecido por fazer parte dos trabalhos de Hércules que seriam doze no total. 

Quem assistiu ao filme da Mulher-Maravilha deve já saber que Hipólita é a mãe da nossa deusa, ela também é mãe de outra personagem chamada Donna Troy que é chamada de Moça Maravilha. Há muitas histórias de origem de Donna e ela chegou a ficar no lugar da nossa Wonder Woman na época em que aconteceu a clássica saga Crise Infinita. Quanto a Hipólita, na mitologia ela é a Rainha das Amazonas e uma das mais poderosas guerreiras. Sua fama é tanta que já foi retratada em muitas obras literárias e no cinema. 

Elas (amazonas) vivem em Temiscira ou Themyscira como é a grafia usada pela DC para a cidade que, assim como na mitologia, era reduto das amazonas. E é em Temiscira que todas amazonas sucumbiram, no nono trabalho de Hércules. Elas lutaram contra o campeão para evitar o roubo do cinturão de Hipólita, mas ele as derrotou. Grande parte das guerreiras amazonas foram mortas e as que sobreviveram acabaram escravizadas, levando assim ao extermínio de toda classe.  

Origem nas HQs

premiere mulher maravilha cancelada

A Mulher-Maravilha ou Diana Price (seu alter ego) já teve várias origens abordadas pelas histórias em quadrinhos, assim como vários uniformes. Não se sabe porque a DC fez tantas mudanças aos longos dos anos, a origem de um super-herói não deveria ser trocada ao bel prazer dos editores. A mais aceita é a que vamos contar aqui nessas linhas. 

A heroína foi criada em 1941 por Charles Moulton (William Moulton Marston) e veio para quebrar paradigmas em uma época em que as mulheres não tinham muito espaço na sociedade, tanto que os super-heróis de sucesso da DC na época eram apenas homens como Lanterna Verde, Batman e Super-Homem. Ele estava com dificuldade em criar um novo personagem e foi sua esposa Elizabeth Marston que lhe deu a ideia do que fazer. Sugeriu a ele alguém que não vencesse não só pelos super poderes, mas com o amor e que se fosse fazer algo que fosse uma mulher, não um homem.

Era uma época em que o movimento sufragista crescia bastante nos Estados Unidos. Ele era adepto da prática do Bondage, fetiche sexual em que pessoas gostam de ser amarradas e sua roupa ele criou pensando no patriotismo da personagem e na liberdade, vem daí a inspiração para o chicote. E uma curiosidade, ele foi quem criou o polígrafo, ou mais conhecida como a máquina da verdade é daí que vem o poder do chicote dela de obrigar as pessoas a contarem a verdade. 

A primeira edição com a Princesa Amazona saiu na revista All Star Comics em 1941 e, no ano seguinte, saiu sua primeira revista completa. Themyscira ou mais conhecida como Ilha Paraíso era o local em que as Amazonas da mitologia grega viviam e era proibida a entrada de homens lá. E a origem de Diana é um pouco diferente do que estamos acostumados a ver, ela nasceu como uma escultura criada por sua mãe Hipólita.

Aí acontece de ela se apaixonar pela obra e fez um pedido aos Deuses para que eles dessem vida para àquela estátua e assim ela ganhou vida como Pinóquio que deixou de ser brinquedo para virar humano, mas com a diferença de ela ser uma semideusa. Só que em publicações atuais a DC voltou atrás com a origem dela mostrando que de fato ela é filha de Hipólita com Zeus, o todo poderoso Deus supremo do céu.

De volta a origem original, ela ao “nascer” recebeu o nome de Diana, como sua mãe é rainha ela era chamada de Princesa Diana. E como filha da realeza e deusa recebeu muitos presentes dos principais deuses do Olimpo. Poseidon lhe concedeu a força do nado, Atena lhe deu a sabedoria, Hermes a velocidade, o poder e sua força vieram de Deméter, Afrodite lhe deu beleza e um coração justo, seu par de braceletes veio de Hefesto que também lhe deu imunidade ao fogo, Ártemis e Apolo lhe entregaram seus olhos potentes para caça e cura acelerada e por fim, de Zeus, ela recebeu o poder de voar. 

Esses são os presentes que na verdade são poderes que foram dados por essas divindades e que transformam a Mulher-Maravilha nessa super-personagem que é. Não à toa em entrevistas recentes Gal Gadot contou que se houvesse um embate entre Mulher-Maravilha e o Super-Homem a guerreira amazona levaria vantagem.

Essa foi sua origem, agora entramos em uma parte de sua vida que coincide com o que é mostrado no filme. Nas hqs é mostrado que o piloto Steve Trevor, piloto da força aérea americana cai na Ilha Paraíso e a Rainha Hipólita diz que a amazona que vencer o desafio realizado entre elas teria a missão de levar o piloto novamente para os Estados Unidos. No longa é um pouco diferente, o piloto avisa à Diana que uma grande guerra está por vir e ela por sentir que pode cooperar com algo parte para a terra dos “humanos” para ajudar na batalha. 

Nos Estados Unidos ela adotou o nome de Diana Prince e se alistou como enfermeira da Força Aérea Americana e como dá para perceber no filme ela ama Steve Travor. E daí em diante é tudo história. Fato é que a Mulher-Maravilha é uma importante personagem e faz parte do trio de ferro que é composto por ela, Super-Homem e Batman.

Durante sua história, teve muitas séries e animações feitas, todas para a TV, mas nada como uma produção exclusivamente dela nos cinemas e ainda mais dirigido por uma mulher, fato inédito para um filme de super-herói. É estranho que a DC tenha demorado tanto tempo para adaptar uma personagem tão importante e com tanta bagagem como ela, mas agora com essa super produção coloca a heroína em seu devido lugar que é o topo das paradas de sucesso.

Escrito por Gabriel Danius.

O que você achou desta publicação?

Avatar

Publicado por Gabriel Danius

Jornalista e cinéfilo de carteirinha amo nas horas vagas ler, jogar e assistir a jogos de futebol. Amo filmes que acrescentem algo de relevante e tragam uma mensagem interessante.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comente!

Pantera Negra | Confira agora o primeiro trailer do filme

Crítica | Mulher-Maravilha: Deuses e Mortais