em , ,

Crítica | What If…? – 01×08: E Se… Ultron tivesse vencido?

É inegável para a grande maioria dos fãs das obras Marvel que Vingadores: Era de Ultron é, no mínimo, um filme frustrante. Sem explorar um terço do potencial do vilão Ultron, extremamente destrutivo nos quadrinhos, o longa não faz jus ao próprio título.

Felizmente, com uma nova oportunidade de explorar essa história através da sempre irregular What If…?, a Marvel traz um grande acerto que novamente injeta muita qualidade na série. 

Como o próprio título do episódio diz, a história escrita por Matthew Chauncey elabora na premissa de Ultron ter vencido os Vingadores e ter destruído a humanidade – sim, fãs do Homem de Ferro, preparem-se para vê-lo morrer de novo na série.

Trazendo a última esperança da humanidade nas figuras dos heróis mais frágeis dos Vingadores: Gavião Arqueiro e Viúva Negra, acompanhamos a dupla partindo à Moscou para encontrar um antigo segredo capaz de destruir o andróide psicopata que agora também conta com o corpo que seria o do herói Visão.

O oitavo episódio, em geral, eleva bastante o nível da narrativa que vimos até agora e até mesmo reserva algumas surpresas muito bem-vindas ao amarrar os episódios da temporada nessa história, deixando esse universo de contos paralelos um pouquinho mais coeso. 

Sabendo que há mais um episódio para finalizar essa narrativa, Chauncey deixa tudo se desenrolar sem muita pressa e até mesmo consegue criar alguns dramas curiosos como a falta de vontade de viver que acomete Clint Barton. Afinal, para que salvar o mundo se não há ninguém mais para viver nele? 

É uma questão pivotal que ressoa no personagem no episódio inteiro até o desfecho de seu arco. É algo tão sério na trama que até mesmo as piadas são brutalmente interrompidas em um diálogo entre os dois protagonistas – para quem se cansa do humor da Marvel, com certeza é um momento inesperado. 

Entretanto, a maior força narrativa do episódio não está somente na missão dos protagonistas em tentar deter Ultron, mas sim no que o próprio vilão decide fazer após destruir a humanidade.

Em sua jornada, Ultron acaba adquirindo também as Joias do Infinito em um encontro inusitado contra Thanos – aqui há uma conveniência narrativa inacreditável que põe em xeque todo Vingadores: Guerra Infinita. Mas como a proposta é boa, é fácil perdoar alguns absurdos que quebram muitas das regras do MCU – inclusive as mais recentes que ocorreram em Loki

Nessa busca frenética pela “paz”, Ultron adquire um nível de consciência nunca antes testemunhado, percebendo até mesmo o Vigia e, por consequência, descobrindo um multiverso infinito para destruir. 

Com diálogos que provocam bastante da natureza voyeur perturbadora do personagem, o Vigia finalmente se torna um personagem ativo e começa a entrar em ação. Somente por essa proposta única, o episódio já quebra a fórmula que estávamos acostumados até então e se torna original por si só.  

Infelizmente, assim como tantos outros, esse é mais um capítulo sem final, mas tudo leva a crer que a season finale da semana que vem deve amarrar essas pontas soltas importantíssimas. Como uma primeira parte dessa história, o episódio funciona muito bem e dificilmente seria melhor. 

Fora isso, há uma notória crescente na qualidade da animação. Com Bryan Andrews na direção mais uma vez, temos provavelmente o melhor episódio dirigido desde o centrado na figura do Doutor Estranho. 

A ação é fluída, com poucos cortes, e em um dos quebra-paus mais improváveis da Marvel, há viagens entre o multiverso com os personagens interagindo neles em frações de segundo. Apesar de já ter se tornado um recurso visual um tanto comum para obras que  trabalham nessa proposta, nunca deixa de ser impressionante, principalmente por elevar muito a tensão do perigo que Ultron representa mais do que nunca. 

Se trata possivelmente do melhor episódio da temporada até então, embora o do Doutor Estranho seja tão bom quanto e bem mais denso em termos de drama e desenvolvimento de personagem. De qualquer forma, é uma boa recompensa para quem acompanhou tantos episódios sofríveis dessa série extremamente inconstante. 

What If…? – 01×08: E Se… Ultron tivesse vencido? (2021, EUA)

Showrunner: A.C. Bradley
Direção: Bryan Andrews

Roteiro: Matthew Chauncey
Elenco: Jeffrey Wright, Paul Bettany,  Lake Bell, Jeremy Renner, Toby Jones
Gênero: Aventura
Streaming: Disney+
Duração: 30 min

Clique aqui para acessar o Guia de Episódios

O que você achou desta publicação?

Publicado por Matheus Fragata

Editor-geral do Bastidores, formado em Cinema seguindo o sonho de me tornar Diretor de Fotografia. Sou apaixonado por filmes desde que nasci, além de ser fã inveterado do cinema silencioso e do grande mestre Hitchcock. Acredito no cinema contemporâneo, tenho fé em remakes e reboots, aposto em David Fincher e me divirto com as bobagens hollywoodianas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Em ação, Netflix e Ifood oferecem cupcakes de PPK de Sex Education

Tom Hardy comenta sobre críticas negativas de Venom