Muitos lembram de Lost por seus mistérios e cenas de tirar o fôlego. Mas o que fazia da série ser tão envolvente eram seus personagens extremamente bem desenvolvidos, com o roteiro amarrando muito bem o passado de cada um dos sobreviventes com o que estava acontecendo na ilha. Afinal, os momentos mais emocionantes da série vieram de tais personagens. E vamos aqui eleger os melhores de todos na nossa lista.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Então peguem o voo Oceanic 815 e vamos para a ilha!

10- Mr. Eko (Adewale Akinnuoye-Agbaje)

Mr. Eko teve uma breve presença na série comparado a outros personagens, mas sua estadia já foi o suficiente para nos conquistar. Ex-traficante de drogas na Nigéria, Eko muda radicalmente após seu irmão morrer em um tiroteio causado por ele mesmo. Ele acaba usando a identidade do seu irmão para fugir e se converte a padre. Na ilha, Eko é a voz da razão para muitos no grupo de sobreviventes, oferecendo conselhos sobre fé e questionando os atos de personagens como Locke e Jack. Infelizmente, devido a desentendimentos com o ator Adewale Akinnuoye-Agbaje, o personagem teve uma morte prematura. O que, de acordo com os roteiristas, deu possibilidade da série explorar e dar um papel mais relevante para outros personagens, como Benjamin Linus. Mas Eko ainda assim marcou por ser um dos mais sensatos e se envolver diretamente com o tema da fé que a série tanto pregou ao longo da história. Imagina se Eko pudesse encontrar Jacob? O que eles conversariam?

9- Daniel Faraday (Jeremy Davies)

Caindo literalmente de paraquedas no meio da ilha, Daniel Faraday foi o melhor personagem apresentado no grupo mandado para ilha por Charles Widmore. E em boa hora também, já que logo depois a série se aprofundou em viagens temporais, explicadas cientificamente (ou algo próximo disso) por Daniel, formado em Física na Universidade Oxford. Seu carisma vem de seu jeito tímido e “geek”, sendo um personagem fácil de se espelhar, além de ser uma das pessoas mais de bom coração que acabaram tendo o infortúnio de cair na ilha. Infelizmente, Daniel tem uma conclusão trágica, já que seu destino havia sido traçado há muito tempo, quando sua própria mãe, Eloise Hawking, o matou no passado antes mesmo dele ter nascido.

8- Sun-Hwa Kwon (Kim Yoon-jin)

Apesar de sempre colocada com o seu marido Jin Kwon, tanto na ilha quanto nos flashes, colocamos individualmente Sun por ela acabar se destacando muito mais que Jin durante toda a série. Lost conseguia quebrar as expectativas dos espectadores incluindo estereótipos e personagens de diversas etnias, geralmente retratados de maneiras planas em seriados americanos, mas Sun é uma prova de como criar um personagem interessante, que se liberta das amarras da sociedade conservadora e de seu pai para se tornar uma mulher forte independente, dentro e fora da ilha. Sun cresce muito durante a série, e sua morte, junto com seu marido, é um dos momentos mais emocionantes da conclusão de Lost.

7- Sayid Jarrah (Naveen Andrews)

Ex-soldado iraquiano na Guerra do Golfo, Sayid Jarrah é a prova de que a ilha existe como uma espécie de purgatório dos atos anteriores na vida dos personagens. Apesar de ter sido um torturador profissional, sua maior fraqueza era a sua compaixão pelos outros, o que acabava levando Sayid em momentos de fraqueza e sofrimento. E Sayid sofre. Muito.

Sayid gradualmente vai perdendo todas as esperanças e amores durante a história da série. Da morte de Shanon até a de Nadia fora da ilha. Sayid vai vendo o pouco de esperanças que tem indo por água abaixo, até voltar a se tornar um assassino frio para Benjamin Linus, o que acaba levando-o a retornar para a ilha e morrer nela. Ressuscitado e infectado pela “doença” causado pela fumaça. Sayid se torna apenas um corpo, sem emoção ou ressentimento. Afinal, ele se tornou o assassino torturador que tanto o acusavam. Porém, há mais um momento de heroísmo, que acaba sendo seu último ato, ao salvar o resto dos candidatos no submarino.

6- Hugo “Hurley” Reyes (Jorge Garcia)

Falando em estereótipo, Hugo Reyes é apresentado em Lost como o típico personagem acima do peso que serve como alívio cômico para quebrar o gelo em momentos de tensão na série (os famosos “dude” que ele soltava sempre que havia um cliffhanger pesado demais e tinha que ser fechado de um jeito leve). Mas Hurley é muito mais que um alívio cômico, e ao final da história vira um dos personagens mais importantes e bem desenvolvidos.

Tirando seu constante azar com os números 4, 8, 15, 16, 23 e 42, Hugo também tem a habilidade de falar com os mortos, algo que o fez duvidar de sua sanidade e, junto com a crença do azar nos números, se forçar a ser internado em um hospício. O irônico é ver Hugo sendo o mais consciente das loucuras que acontecem na história, tendo os comentários mais sensatos e muitas vezes sendo utilizado pelos roteiristas como um reflexo dos pensamentos dos próprios espectadores sobre os absurdos que aconteciam na ilha. Por sua baixa autoestima Hugo sempre se achou o azarado, ou o menos útil no grupo de sobreviventes, mas no final das contas é ele quem acaba virando o escolhido para substituir Jacob e se tornar o guardião da ilha.

5- Tom Sawyer/James Ford (Josh Holloway)

O homem com um espírito tão vingativo que se apossou do nome daquele que jurava matar por ter destruído sua família. James Ford é o típico bad boy que todos nós adoramos odiar, seja pelo jeito arrogante ou pelos apelidos maldosos (e com muitas referências a cultura pop), e principalmente servindo de contraponto ao líder do grupo Jack, e criando o triângulo amoroso dos dois com a personagem Kate, algo um tanto quanto irritante durante o percurso da história.

 Mas Sawyer não estaria tão acima da nossa lista se fosse apenas isso. O personagem surpreende por sua incrível evolução durante principalmente a terceira até a quinta temporada. Após ter matado o verdadeiro Tom Sawyer (e pai de Locke), James Ford vira uma outra pessoa, alguém menos egoísta nas suas ações e capaz de se sacrificar pelo bem do grupo e amar genuinamente. E mesmo assim a ilha o continua punindo. Com a morte de Juliet em seus braços, Sawyer acaba a série extremamente diferente de onde começou, e mesmo com as cicatrizes deixadas pelo passado, tem a chance de sair da ilha e começar uma vida inteiramente nova.

4- Jack Shephard (Matthew Fox)

Os olhos que abrem e fecham a série, Jack Shephard é sem duvida um protagonista fascinante e cheio de falhas. O mote principal do personagem é muito interessante: alguém buscando uma forma de sempre consertar ou arrumar as coisas, mesmo que isso o leve até as últimas consequências. Por ter sido um médico à sombras do seu pai, Christian Shephard, Jack sempre levou o encargo da responsabilidade de ser o melhor. Porém, isso muda quando o médico cai na ilha e percebe que há certas coisas que não são possíveis de serem salvas ou alteradas. O destino já está determinado.

Um dos problemas do personagem é acabar se tornando o líder do grupo que tenta estar certo o tempo todo (e muitas vezes leva todos a emboscadas exatamente por isso). Além, é claro, de se envolver romanticamente em um triângulo amoroso frustrante e arrastado com Kate Austen. Porém, isso não tira as qualidades do personagem, tornando-o a voz da ciência e das explicações sensatas em uma ilha com fumaça preta e um cara que não envelhece. Pobre Jack… 

3- Desmond David Hume (Henry Ian Cusick)

Desmond é um caso curioso em Lost. Apesar de não ser um sobrevivente nem exatamente se envolver diretamente com o conflito dos Outros, David Hume é um dos personagens mais marcantes que saíram do seriado por protagonizar alguns dos melhores momentos da história. Afinal, seu objetivo em reencontrar o amor de sua vida, Penny, atravessa o espaço e tempo.

Em um dos episódios e momentos mais emocionantes, Desmond precisa encontrar Penny no passado e no presente para restabelecer sua constante temporal e interromper a viagem da sua consciência pelo tempo. E assim, como Penny, Desmond é a nossa constante durante a série, nos dando um motivo a mais para continuarmos acompanhando Lost e ver o que o destino irá trazer para o personagem. Conseguimos nos relacionar com Desmond por ele ser extremamente humano e alheio aos fatores que os cercam, sempre sendo peça-chave para eventos muito maiores do que ele pode controlar. Desmond afinal, é gente como a gente.

2- Benjamin Linus (Michael Emerson)

Quem diria que um vilão seria um dos personagens mais amados da série? O arco de Benjamin Linus durante Lost é fascinante: alguém com sede de poder, fazendo tudo para alcançar seus objetivos e assim, concretizar seus planos (seja capturar Jack, Kate e Sawyer ou trazer os Oceanic 6 para a ilha), acaba vendo seu império ruir pouco a pouco, até não sobrar mais nada. Benjamin começa a ter sua fé testada após a morte da filha, Alex, bem na frente de seus olhos. Ali começa uma mudança gradual de seu caráter, um homem que anteriormente tinha tudo e que viu sua vida radicalmente sendo transformada diante de seus olhos, sem a possibilidade de alterá-la.

Descobrimos ao longo da série que Ben nada mais é do que alguém com medo. Medo de perder sua família, medo de falhar, medo de descobrir o que pode acontecer caso seus planos não deem certo. E ele está determinado a fazer qualquer coisa para arrumar.

1- John Locke (Terry O’Quinn)

 

Se Jack é o protagonista da série, John Locke é a força motriz para a maioria dos acontecimentos e a representação física do tema principal na série: a fé. Antes preso em uma cadeira de rodas, Locke encontrou uma nova vida na ilha, uma vida em que ele pudesse ser livre das amarras de sua própria história, longe do passado tumultuoso com seu pai golpista ou com a rotina mundana e medíocre que vivia anteriormente. Ele tinha encontrado um significado na ilha, e não digam para Locke o que ele deve ou não fazer ou acreditar.

Mas, tudo acontece por uma razão, e Locke acaba se tornando uma peça em um jogo onde ele não tinha sido convidado. Ao morrer, Locke tem seu corpo possuído pelo Homem de Preto, que usa a imagem de John para manipular os outros personagens. Locke tem a fé e obstinação para mudar a sua vida, e se a ilha fez alguma coisa para os personagens, é alterar drasticamente o rumo de suas vidas. 

Menção Honrosa: Vincent

Talvez um dos personagens mais onipresentes da série, já que Vincent sempre aparece em momentos oportunos para salvar ou avisar alguém (e isso serve para quando ele sumia também). Mas não devemos esquecer que Vincent começa e conclui a série junto com o protagonista, Jack. Ou talvez seja ele o protagonista da série. Talvez…era tudo um sonho de Vincent?!

Menção Honrosa Real: A Ilha

  

Sim, a ilha! Após os sobreviventes do voo 815 caírem nela, foi questão de tempo até notarem que ali tinha algo especial. Precisamos de mais de 120 episódios para descobrir todos os segredos que o lugar reservava (ou quase todos). Em vários momentos a ilha é referenciada pelos personagens como se fosse um lugar vivo, consciente dos acontecimentos e parte integral das mudanças na vida deles. Afinal, se não fosse por ela, nada disso teria acontecido.

Concorda com a lista? Qual personagem de Lost mais te marcou? Comente abaixo!

Comente!