O doce amor pelas abelhas, pela vida isolada, e os cuidados com a mãe de 88 anos, fazem parte da rotina de Hatidze, uma mulher simples que vive tranquila no interior da Macedônia do Norte. Em Honeyland, um documentário feito de forma realista e com toques dramáticos, as diretoras Tamara Kotevska, Ljubomir Stefanov fazem um belo trabalho ao mostrar a vida desta mulher humilde.

Hatidze vive criando abelhas que lhe entregam mel, ela canta para os insetos toda a manhã, e vende o mel para a capital vizinha de Skopje. Em seu dia a dia ainda cuida de sua mãe, e ainda sobra tempo para a mulher cuidar de seu cabelo. As conversas de Hatidze com sua mãe dão um tom sobre as tradições do país, algo que enriquece bastante a trama, mostrando o lado cultural de uma região que vive ao seu modo.

O mais interessante deste documentário ocorre quando Hatidze tem novos vizinhos, até então a mulher vivia isolada do mundo e de todos, apenas com as suas abelhas para lhe fazer companhia. Uma família turca vai viver ao lado de sua casa, e acabam descobrindo que o mel pode ser uma grande fonte de renda, algo que acaba trazendo um grande colapso para todo o sistema das abelhas, com o mel sendo retirado mais cedo do que o previsto.

Essa situação envolvendo os turcos serve para mostrar como o país vai mudando de aspecto, principalmente em relação a imigração, e o poder do mel para a economia de uma família regional. A natureza é algo bastante presente na produção, com lindos cenários, a vida animal, e até mesmo com o nascimento de um cabrito sendo filmado e mostrado de forma crua.

Honeyland é uma bela produção que retrata o estilo de vida de uma mulher no interior e que fala bastante da cultura daquele lugar. Não à toa foi pré-indicado pela Macedônia do Norte para tentar representar o país no Oscar. Histórias belas como a contada no documentário, de maneira comum e autêntica, é justamente o foco do cinema documental, que foi concebido justamente para dar maior enfoque em questões que não seriam levadas ao cinema da mesma.

Esse filme foi assistido na 43ª Mostra Internacional de São Paulo

Honeyland (idem, Macedônia do Norte – 2019)

Direção: Tamara Kotevska, Ljubomir Stefanov
Roteiro: Tamara Kotevska, Ljubomir Stefanov
Elenco: Hatidze Muratova, Nazife Muratova, Hussein Sam, Ljutvie Sam
Gênero: Documentário, Drama
Duração: 90 min