Chris Evans se notabilizou no cinema por interpretar o herói da Marvel Capitão América. É quase que impossível desvencilhar a imagem do ator ao do vingador tamanha foi sua capacidade de recriação do personagem. Mas agora o protagonista do avenger deixou Steve Rogers para trás e o artista está tomando novos rumos, e um deles é o regular Missão no Mar Vermelho (Gideon Raff), produção da Netflix inspirada em fatos reais. 

Na trama, Ari Kidron (Chris Evans) é chamado pela Mossad (agência de inteligência de Israel) para realizar uma engenhosa missão de salvar judeus etíopes do Sudão e levá-los em segurança para Israel. Nisso uma equipe junto cm Ari Kidron se fingem de novos donos de um hotel no meio do nada chamado de Mar Vermelho. A Netflix está descobrindo nos filmes que se passam na África um bom filão a ser explorado. Lembrando-se de dois longas originais da plataforma de streaming O Menino Que Descobriu o Vento (Chiwetel Ejiofor) e O Caderno de Sara (Norberto López Amado) que são uma prova de como essas tramas tem um público fiel, isso por tratar de questões atuais, históricas e por, na maioria das vezes, esses filmes serem dramas capazes de fazer com que as pessoas se insiram na história e sigam os personagens e os perigos nos quais estão inseridos.

A ideia do roteiro de Missão no Mar Vermelho se assemelha a de outras produções que tiveram foco em operações de resgate reais, por isso é natural que ao assisti-lo tenha a impressão que já viu aquela história em algum lugar. O jeito com que o diretor Gideon Raff montou a narrativa fez com que ficasse parecido com dois filmes que se inspiraram na realidade, casos de Argo (Ben Affleck) e 7 Dias em Entebbe (José Padilha). Com a diferença de que o longa da Netflix é muito mais rápido na ação de resgate e seus desdobramentos são bastante atropelados no modo que são contados, principalmente o lado etíope da trama que em raras oportunidades são apresentados ao público. O que conta mesmo é o lado da equipe israelense e apenas isso, o sofrimentos dos judeus a serem resgatados é algo bastante secundário.

Mesmo tendo um olhar superficial sobre a questão dos refugiados funciona bem e encanta por ter um tema ligado a fatos heróicos e na ajuda de minorias que estão sofrendo um massare. Mas não por isso que o roteiro é um primor, na realidade ele é bastante fraco em criar uma ligação mais profunda entre personagens e os acontecimentos. Falta emoção em momentos chaves e a tensão dá uma falsa sensação de que os israelenses estão em perigo. Esses fatos são mal concebidos justamente por erros envolvendo a direção de Gideon Raff, pois o diretor mesmo contando a história de forma rápida não dá agilidade para as cenas, algo que acaba matando também a ação do filme, o tornando sonolento.

É um fato que Chris Evans é o queridinho de Hollywood e o ator se esforça bastante para dar vida ao personagem de Ari Kidron. Mas há um problema em seu protagonista, pois não há um sentimento de tristeza em seu semblante, nem de comoção quanto aos massacres que acontecem, fazendo com que fique um personagem sem vida, e mesmo com todo o carisma de Chris Evans fica difícil de acompanhá-lo em sua rotina de resgates.

Em contrapartida ao protagonismo de Chris Evans há um grande problema em relação ao elenco de apoio, que é pessimamente estruturado e além de não ter importância alguma para a trama acaba por ter personagens secundários fracos e sem destaque. Haley Bennett (A Garota no Trem) talvez seja a que ainda tenha algum destaque, mas de forma escondida sua personagem passa despercebida, ainda mais que o diretor não faz questão nenhuma de abordar nada de relevante sobre sua vida.

Mesmo tendo suas falhas narrativas Missão no Mar Vermelho acaba por ser uma surpresa no repertório da Netflix no meio de tanta coisa ruim envolvendo um histórico recente. O longa tenta tratar de um assunto pertinente e desconhecido pelo grande público e isso é elogiável, é um esforço em se trazer histórias esquecidas, mas que aconteceram e salvaram muitas vidas. Esse é o ponto alto do filme, o de contar uma história real para a massa, algo que possivelmente não aconteceria se a Netflix não se interessasse pelo projeto.

Missão no Mar Vermelho (The Red Sea Diving Resort, EUA – 2019)

Direção: Gideon Raff
Roteiro: Gideon Raff
Elenco: Chris Evans, Haley Bennett, Alessandro Nivola, Michael Kenneth Williams, Michiel Huisman, Michiel Huisman, Alona Tal, Anthony Oseyemi, Ben Kingsley
Gênero: Drama, História, Thriller
Duração: 130 min

Comente!