Ao longo de 5 filmes lançados até o momento, o Homem-Aranha ganhou diversas sequências memoráveis onde diferentes diretores esforçaram-se para traduzir visualmente seus confrontos, habilidades e momentos relevantes para seu caráter. Reunimos aqui, primeiro, os 10 melhores momentos dos três filmes de Sam Raimi.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Confira:

10. A Dança Emo

Homem-Aranha 3 (2007)

Eu sei, eu sei! Todos vocês odeiam essa cena, mas venho aqui defender que ela é perfeita em seu propósito: servir como uma elaborada piada sobre a transformação sombria de Peter Parker após o uso contínuo do uniforme simbionte. Temos aí um Tobey Maguire todo convencido de franjinha emo, rebolando pelas ruas ao som de Drive that Funky Soul, de James Brown, pelas ruas de Nova York, com a reação assustada e cômica de todas as moças que cruzam seu caminho sendo um toque perfeito. Como não se divertir?

9. Batalha contra o Novo Duende

Homem-Aranha 3 (2007)

Sam Raimi é simplesmente um mago na condução de grandes cenas de ação. Começando o terceiro filme com o pé na porta, temos a introdução de Harry Osborn como o primeiro antagonista, que assume o manto de seu pai e vira o Novo Duende Verde, perseguindo Peter pelos céus de Manhattan enquanto tenta assassiná-lo. Uma sequência grandiosa e empolgante, com efeitos visuais competentes e um senso de humanidade sempre presente, especialmente pelos dois lutadores estarem desmascarados.

8. Papo de Elevador

Homem-Aranha 2 (2004)

Aqui vai uma bela aulinha sobre como se fazer comédia em filmes de super-heróis (É, Marvel Studios, estou falando com você). Após uma súbita falha em seus poderes, o Aranha é forçado a pegar o elevador de um prédio para poder descer em segurança. Ele só não esperava a aparição de um morador do condomínio, o que rende a conversa de elevador mais desconfortável e hilária que poderíamos imaginar. É um humor sutil e que se desenrola em um único take e com uma predominância de silêncio, fazendo graça justamente desse imagético absurdo.

7. Grandes poderes, grandes responsabilidades

Homem-Aranha (2002)

Falta aos filmes de super-heróis contemporâneos uma cena simples, mas poderosa como essa. Quando o Tio Ben pára para conversar com Peter no carro após uma carona, justo no ponto em que o protagonista começa a se divertir com seus poderes, temos um diálogo preciso e sincero sobre as mudanças na vida de um homem. Ben alerta que este é o momento em que ele começa a definir a pessoa que será pelo resto da vida, e avisa também que grandes poderes trazem grandes responsabilidades. Excelente roteiro e atuações precisas de Maguire e Cliff Roberston, em uma cena que nos ensina muito não só sobre Peter Parker, mas também traz uma importante moral para a vida.

6. Transformação em Venom

Homem-Aranha 3 (2007)

Havíamos visto os pequenos vislumbres em trailers, comerciais de TV e imagens, mas a cena completa onde Peter Parker se livra do pegajoso simbionte alienígena, apenas para que este encontre um novo hospedeiro na forma de Eddie Brock, foi melhor do que poderíamos esperar. É uma recriação quase perfeita desse mesmo momento dos quadrinhos, onde testemunhamos no nascimento de Venom na capela de uma igreja. A direção de Raimi aqui é espetacular, com seus enquadramentos dinâmicos oferecendo um forte simbolismo em relação à transformação, além do excelente uso de efeitos visuais quando o pobre Eddie é atacado pelo parasita.

5. A Descoberta dos poderes

Homem-Aranha (2002)

O gênero de super-heróis atual carece de muita coisa do início dos anos 2000, mas a principal talvez seja essa: o maravilhamento e a descoberta dos poderes. Quando Peter começa a perceber a teia saindo de seu pulso, ou que possui a habilidade de escalar paredes, temos uma das sequências mais divertidas e empolgantes da trilogia, onde o espectador fica tão surpreso quanto Tobey Maguire, que salta de prédio em prédio gritando de felicidade e experimenta diferentes formas de “ativar” sua teia orgânica. Super-poderes são feitos para impressionar, e é triste notarmos como atualmente são um mero acessório. Shazam carai!

4. O Nascimento do Homem-Areia

Homem-Aranha 3 (2007)

Inteiramente formada através de efeitos visuais e sem a presença de diálogos, vemos a reconstrução de Flint Marko através de minúsculos grãos de areia, rendendo um espetáculo deslumbrante que permanece convincente e impressionante até hoje – quase como se um curta animado da Pixar repentinamente tivesse sido colocado no meio do filme. A música de Christopher Young é soberba, assim como os pequenos resquícios de expressividade no rosto de areia de Marko enquanto ele é motivado pela foto de sua filha.

3. Massacre de Octopus no Hospital

Homem-Aranha 2 (2004)

Sam Raimi raiz! Em uma sequência inesperadamente assustadora e violenta, Raimi nos lembra suas origens slasher de A Morte do Demônio ao trazer os tentáculos do Doutor Octopus despertarem durante a mesa de operação, atacando todos os médicos, que nada podem fazer além de gritar, correr e levantar motosserras contra as poderosas criações metálicas. Raimi utiliza silhuetas marcantes, planos holandeses e zoom ins nas bocas das pobres vítimas dos tentáculos, abraçando uma decupagem desvergonhadamente slasher. Uma cena apavorante, mas que deixa um sorriso no rosto pela grande homenagem.

2. O Beijo

Homem-Aranha (2002)

É um daqueles momentos em que você sente que está testemunhando o nascimento de um ícone. Depois de salvar Mary Jane de alguns bandidos de rua, o Aranha desce de ponta cabeça para conversar com a moça, que retribui o salvamento heróico com um inesperado beijo sob sua máscara levantada pela metade. É uma cena belíssima e essencialmente romântica, com a chuva e a trilha sonora de Danny Elfman oferecendo o clima apropriado para esse ponto de virada. Não importa o carisma de Andrew Garfield e Emma Stone nos filmes rebootados, nunca chegaram perto de uma cena assim.

1. A Sequência do Trem

Homem-Aranha 2 (2004)

Até hoje permanece imbatível. Talvez seja a melhor cena de ação já realizada dentro do gênero de super-heróis, com o Aranha e o Doutor Octopus levando sua briga para os vagões de um trem elevado, que impressiona pela coreografia de luta contra os tentáculos do vilão, a ambientação de toda a cena e o fato de que Octopus chega a jogar passageiros em direção ao herói. Só melhora quando Peter precisa desesperadamente parar o trem, que segue descontrolado para o fim da linha onde um destino horrível os aguarda. A definição de heroísmo está nessa cena emocionante.

Menção Honrosa

Cada segundo de participação de J.K. Simmons

Todos os filmes

Talvez seja o maior casting já feito na história do cinema de quadrinhos. Um perfeito alívio cômico e quase um antagonista pessoal de Peter Parker, o J. Jonah Jameson de J.K. Simmons forneceu algumas das melhores piadas e tiradas em todos os filmes, partindo de uma caracterização perfeita e uma performance absolutamente perfeita do ator. Já tivemos três Aranhas no cinema, mas apenas UM Jameson!

A nostalgia também bateu forte pra vocês? Qual sua cena preferida dessa maravilhosa trilogia do Homem-Aranha?

Comente abaixo!

Comente!