em ,

Lista | As 10 Melhores Cenas de Ação de 2017

Nada como uma boa cena de ação para nos manter impressionados, não? E para nossa sorte, o cinema de 2017 contou com uma bela safra de explosões, pancadarias e perseguições, todas presentes nos mais diferentes tipos de filme e produção. Aqui, a equipe do Bastidores escolheu as 10 melhores cenas de ação de 2017.

Confira:

10. Perseguição na geleira

Velozes e Furiosos 8

Uma das grandes peças do marketing do oitavo Velozes e Furiosos foi a ótima perseguição de carros que marca o clímax da produção, onde a equipe cruza uma geleira enquanto são perseguidos por carros, jipes, torpedos e, sim, até mesmo um submarino nuclear. Com muitos efeitos práticos e uma direção acertada de F. Gary Gray, que sabe valorizar o escopo e o tamanho da produção, é uma cena insana e que representa tudo o que a franquia vem acertando ultimamente. Ou Dwayne Johnson lançando um torpedo com UMA MÃO não é o suficiente?

9. Luta contra os Guardas Pretorianos

 Star Wars: Os Últimos Jedi

Sem entrar muito em detalhes, visto que a cena em si é um grande spoiler, mas Rian Johnson enfim traz alguma variedade para combates de sabres de luz. Protetores do Líder Supremo Snoke, os Guardas Pretorianos demonstram o poder de suas armas e dão certo trabalho para Rey, que faz coisas com a arma preferida dos Jedi que nunca havíamos visto antes em uma tela de cinema. Novamente, sem querer entregar muito, mas é um grande momento em um filme recheado de belas set pieces.

8. A revelação de Laura

Logan

Durante os minutos iniciais de Logan, já havíamos notado como a censura para 18 anos enfim permitia mostrar um Wolverine sanguinário e assustadoramente violento, mas foi quando a jovem mutante Laura enfim revela seus poderes, e um conjunto de garras de Adamantium muito similar ao do protagonista, que James Mangold soltou a franga. Subestimando o poder da jovem, o grupo de Carniceiros liderado pelo vilão de Hal Holbrook é facilmente subjulgado pela ira da menininha Dafne Keen, em um festival de sangue, membros decepados e muita gritaria. Sensacional.

7. Perseguição em Amsterdam

Dupla Explosiva

Para uma comédia de ação, Dupla Explosiva não é muito bem sucedido em provocar risadas, mas fiquei positivamente surpreso com a habilidade do diretor Patrick Hughes em comandar cenas de ação. Especificamente, a grande perseguição de carros, motos e barcos que se desenrola em Amsterdã, com os protagonistas de Ryan Reynolds e Samuel L. Jackson separando-se e conduzindo suas próprias perseguições, com o destaque permanecendo em Jackson e sua travessia de lancha pelo canal. Pelo uso de tomadas aéreas deslumbrantes, uma montagem energética e uma boa decupagem, essa cena é uma das grandes surpresas do ano.

6. Diana atravessa a Terra de Ninguém

Mulher-Maravilha

A cena que quase foi cortada de Mulher-Maravilha, mas que sabiamente viu a luz do dia e acabou por definir a personagem de Diana Prince. Quando a guerreira amazona atravessa um trincheira alemã, pelo simples motivo de defender e salvar os moradores de uma vila belga, temos um pouco da velha essência do super-herói, sendo a pura definição de heroísmo. A ação é ótima, e a imagem de Diana defendendo as balas de metralhadoras com seu escudo, liderando a passagem de seu grupo, é inebriante, e foi aqui que Gal Gadot definitivamente tomou a personagem para si própria. Isso é um super-herói.

5. Luta na Parede de Água

Blade Runner 2049

Cenas de ação não são o que normalmente associaríamos com Blade Runner, e a mera noção de termos pancadarias com Replicantes e seus caçadores foi algo que assustou os fãs da velha guarda. Porém, quando o oficial K de Ryan Gosling conduz um resgate audacioso para salvar Deckard, ele engata em uma luta com a habilidosa Luv de Sylvia Hoeks, Denis Villeneuve entrega a cena de ação mais bonita do ano, com os dois personagens lutando em meio à parede de água de uma represa. A coreografia elaborada, a fotografia colorida e a música catártica de Hans Zimmer e Benjamin Wallfisch dão o tom dessa baita sequência. Quem diria, Blade Runner pode ser badass.

4. Tiroteio no Museu

John Wick: Um Novo Dia para Matar

É óbvio que John Wick marcaria presença nesta lista, ainda mais pela maestria de Chad Stahelski em Um Novo Dia para Matar, uma continuação perfeita e que consegue superar seu antecessor em todos os sentidos. E sendo bem sincero, não foi fácil escolher UMA cena de John Wick 2 para marcar presença na lista, mas acredito que o tiroteio no museu seja a representação perfeita da cinessérie: um tiroteio violento, com sangue e pelos corredores de um museu luxuoso, elevando a pancadaria ao nível de Arte, algo que o remix eletrônico da música clássica só reforça. Uma baita cena!

3. Perseguição ao som de Bellbottoms

Em Ritmo de Fuga

Isso sim é começar um filme com os dois pés na porta. Já estabelecendo o estilo da direção e a personalidade da obra, Edgar Wright inicia Em Ritmo de Fuga com uma excelente perseguição de carros, com Baby fugindo de viaturas e helicópteros policiais enquanto escuta a contagiante “Bellbottoms”, do grupo The Jon Spencer Blues Explosion. É uma execução primorosa, com um visual que valoriza as cores e o trabalho dos dublês, contando com uma montagem dinâmica que permite planos mais longos e uma impressionante sincronia dos cortes com as batidas da música. Uma aula de como se fazer uma boa perseguição de carro.

2. Todas as cenas de aviação

Dunkirk

Christopher Nolan sempre foi conhecido por sua abordagem prática e dependente de efeitos práticos, já tendo capotado caminhões e demolido prédios para impactar o público. Mas agora, em seu épico de guerra Dunkirk, o cineasta britânico coloca o público no interior de aviões Sptifire, posicionando pesadas câmeras IMAX em aviões reais e simulando perseguições de dogfight, em uma amostra impressionante de como é ser um piloto na Segunda Guerra Mundial. Todas essas cenas garantem uma imersão incomparável, fruto da decupagem mais interessada em planos fechados e tomadas de POV. Rende alguns dos enquadramentos mais impressionantes do ano, e a trilha sonora de Hans Zimmer ajuda a manter a tensão e a adrenalina.

1. Plano sequência na Escada 

Atômica

Mesmo com todo o seu potencial, Atômica não é um grande filme. Tem problemas de ritmo e um roteiro amarrotado, mas juro que esqueci tudo isso quando esta cena inacreditável começou a se desdobrar diante de meus olhos. Através de um plano sequência fabricado (mas que não diminui o feito), vemos a personagem de Charlize Theron enfrentando capangas em combates violentos, cruéis e assustadoramente realistas; cada soco parece real, cada porrada com cano de arma provoca um impacto. E a câmera de David Leitch segue esses violentos embates de forma notável, passando por dentro de um apartamento, uma escadaria, e finalmente, uma breve perseguição de carros. O velho exemplo de uma cena que vale pelo filme todo.

Qual foi a sua cena de ação preferida do ano? Comente!

O que você achou desta publicação?

Avatar

Publicado por Lucas Nascimento

Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comente!

Crítica | ARTPOP – Uma Ode ao Sexo, às Drogas e à Criatividade

Star Wars: Os Últimos Jedi | Diretor fala que Kylo Ren ainda pode se redimir