Com uma carreira de já quase quarenta anos, Sandra Bullock já vem ao longo de todo esse tempo criado um carinho e afeto de milhões de fãs até hoje. Os agraciando com sua presença sempre tão magnética em cena, mas sempre se provando algo muito maior como atriz do que apenas carisma entregando atuações devotas à humanidade de suas personagens independente do gênero em que estiver interpretando, em filmes que muitos já guardam com imenso carinho.

E essa lista procura lembrar e homenagear não só essas formidáveis atuações, como também esses filmes que se já eram bons, foram ainda mais engrandecidos pela presença da atriz.

A Casa do Lago (2006)

Sem dúvidas o clássico mais brega da lista, mas que não deixa de ter seu charme tão atraente. Seja tanto pela trama de viagem no tempo sem pé nem cabeça mas que funciona no quesito de fazer o público se intrigar e interessar pelo seu desenlace. E ter Sandra Bullock e Keanu Reeves pouco dividindo a cena mas mostrando possuírem uma excelente química só torna tudo mais encantador e envolvente de se assistir, o que faz de A Casa do Lago ser um filme de notas sim previsíveis, mas carregado de talento para o tornar especial.

Tempo de Matar (1996)

Não só uma ótima prova de como Joel Schumacher conseguia ser um bem competente cineasta quando lhe é dado um forte material para dirigir. E é o que ele faz aqui nesse ótimo drama de tribunal que debate e questiona sem pudor moralidade e racismo em uma trama e elenco muito bem conduzidos, mesmo que passe por território familiar. Mas nada nem sequer é arruinado quando você tem Sandra Bullock atuando como uma perfeita estrela e dividindo cena com um elenco de nomes como Matthew McConaughey, Samuel L. Jackson e Kevin Spacey com cada um entregando algumas de suas melhores performances. Um filme que merecia bem mais atenção e admiração do que tem.

Enquanto Você Dormia (1995)

É um daqueles filmes que você se depara com a típica trama de uma comédia romântica feita com o único propósito de fazer rir. Mas aí você vê o mesmo filme surpreendendo com um roteiro que sabe muito bem cutucar nas problemáticas dramáticas da trama e de seus personagens, fazendo seu formidável elenco fortemente se dedicar em ambos drama e humor em perfeita harmonia. Principalmente seu belo casal de protagonistas formado por um ótimo Bill Pullman e nossa sempre excelente Sandra Bullock demonstrando uma química tão pura e verdadeira que tanto falta em filmes do gênero hoje. Triste e delicioso de assistir.

Velocidade Máxima (1994)

O filme que não só solidificou Sandra Bullock como a melhor motorista de ônibus do cinema de todos os tempos, como também mostrou como ela e Keanu Reeves são uma dupla de protagonistas que mereciam muitos mais filmes juntos. Compartilhando o protagonismo nesse que com certeza é o Duro de Matar no ônibus, e onde mesmo Keanu Reeves sendo o perfeito tipo de herói másculo, descolado e carismático do gênero, é na performance ‘gente como a gente’ de Bullock atuando como a pessoa na situação errada na hora errada é quem conquista o público e rouba a cena à cada estante que uma curva perigosa ou manobra maluca deve ser feita para sobreviver. Um filme pra se assistir com um sorriso no rosto, um copo de água com açúcar no lado e torcer pra que esses dois sobrevivam no final e deem um beijaço.

Gravidade (2013)

E foi aqui mais do que nunca onde diretor Alfonso Cuáron, não só realizava seu filme mais ambicioso até então, como dava a maior chance de Bullock brilhar seu talento como a grande atriz que é, praticamente sendo a Náufrago no espaço, mas que ia muito além disso em sua complexidade contemplativa criada para emergir o espectador dentro do filme. Não só em sua criação de suspense e desolação enervante, mas também no drama íntimo de sobrevivência e renascimento que se cria através da performance de Bullock enfrentando a maior adversidade inimaginável, e conseguir encontrar nela uma razão ainda para se viver. Um excelentíssimo filme e uma excelentíssima atuação de sua atriz.

Menção honrosa:

Poção do Amor Nº 9 (1992)

Pode não ser mesmo lá um grande ou marcante filme como os antecessores da lista, mas é uma daquelas comédias românticas bem despretensiosa e redondinha em execução, o que já torna tudo fácil de assistir. Sem falar claro que foi um dos primeiros papéis de Bullock como protagonista e ela já não decepcionava em entregar carisma e charme de sobra. Uma delícia de assistir só por sua atriz.

Comente!