em , ,

Crítica | What If…? – 01×02: E se… T’Challa se tornasse o Senhor das Estrelas?

Após uma estreia morna na quarta passada com o episódio focado na Capitã Carter, What If…? retorna elevando o nível da proposta trazendo agora um universo onde o T’Challa, tradicionalmente o herói Pantera Negra, como o Senhor das Estrelas. Ainda que a escrita permaneça medíocre, é aqui que a série começa a mostrar suas particularidades ao trazer realidades realmente distintas. 

7 Saqueadores e um Segredo

O curto episódio de meia hora escrito por A.C. Bradley comprova que o formato escolhido ainda é questionável, afinal é preciso condensar muita história para pouquíssimo tempo hábil de desenvolvimento. 

Estabelecendo T’Challa como o Senhor das Estrelas, descobrimos que a equipe de Saqueadores de Yondu acaba sequestrando o menino errado. Em vez de Peter Quill, é T’Challa, ainda criança, que acaba na nave do saqueador. Anos depois, T’Challa se torna o Senhor das Estrelas, agora um famoso herói reconhecido nas galáxias. 

Após reencontrar Nebula, T’Challa aceita o pedido de ajuda da heroína e parte com sua equipe para Luganenhum onde tentará roubar um item precioso da coleção do Colecionador que pode acabar com toda a fome no universo. 

Excetuando o começo do episódio, Bradley molda a narrativa nos conformes mais clássicos de uma história de roubo. Há a clássica montagem paralela dos personagens explicando o roubo enquanto a ação da execução do plano é exibida. Entretanto, enquanto traz os Saqueadores realizando uma ação que certamente é a cara do grupo de trapaceiros, toda a caracterização é distinta. 

A proposta de Bradley é basicamente mostrar o oposto do que esses personagens são na linha do tempo clássica: disfuncionais, desunidos e perigosos. Aqui todos são amigáveis, verdadeiros amigos da vizinhança, heróis, organizados e se comportam como uma família. Por divergir e tornar todos tão certinhos, é inevitável que o grupo perca um pouco de sua graça original. 

Essa versão do Senhor das Estrelas nada mais é que um Pantera Negra espacial sem o traje característico. Em essência, T’Challa continua o mesmo personagem já visto no MCU: focado, obstinado, heróico e de fraco senso de humor. Aliás, são nas diversas piadas que o episódio mais sofre, afinal Bradley não é James Gunn.

Seja nas interferências irritantes de Korath, agora um integrante dos saqueadores e uma personificação dos fanboys da Marvel, ou com diálogos vindos diretamente de memes como acontece com Thanos em uma versão radicalmente diferente da estabelecida canonicamente. Não há muita justificativa ou desenvolvimento para essas mudanças repletas de potencial. O que é uma verdadeira pena. 

Tornar o Colecionador o principal vilão da trama também é algo prejudicado pelo ritmo frenético dessa série. O personagem se torna ainda mais caricato, repleto de frases de efeito, mas ao menos coloca alguns dos itens de sua coleção em ação revelando diversas referências divertidas. 

Enquanto no episódio anterior tínhamos um visual mais brando, esse aqui explora com louvor toda a explosão de cores tão característica dos filmes Guardiões da Galáxia. Embora o visual seja acertado, a ação é bem menos interessante que a apresentada anteriormente. Sem fluidez e repleta de recortes na montagem, a falta de zelo por uma coreografia menos genérica fica escancarada. Não há inspiração alguma para distinguir os estilos de luta de alguns dos integrantes dos Saqueadores. 

Bradley também tenta apelar para alguns toques emotivos a la O Homem de Aço, inclusive, mas não é possível afirmar que realmente funcione com perfeição por causa da pressa. Infelizmente, T’Challa descobre uma verdade que deveria mudar toda a sua relação com seus amigos, mas se torna um aborrecimento temporário apenas. Em questão de minutos, tudo está bem novamente. 

O trabalho de dublagem continua medíocre assim como no episódio anterior. Mesmo trazendo nomes de peso para reprisar seus personagens – apenas Dave Bautista que não retorna para dublar Drax, todos parecem estar no piloto automático, incluindo Chadwick Boseman que traz, infelizmente, a sua última participação no Universo Marvel. Somente Benicio Del Toro que traz uma performance consideravelmente pior do que as vistas originalmente. 

Com tantos probleminhas e acertos apenas fundamentados na proposta original da série, What If…? ainda precisa de mais atenção para tornar essas histórias realmente fundamentais e interessantes. Por enquanto, ainda se trata de apenas um brinquedo novo que a Marvel nos ofereceu e que logo cairá em desuso. 

What If…? – 01×02: E Se… T’Challa se tornasse o Senhor das Estrelas? (What If… T’Challa became a Star-Lord?, EUA – 2021)

Showrunner: A.C. Bradley
Direção: Bryan Andrews

Roteiro: A.C. Bradley
Elenco: Jeffrey Wright, Chadwick Boseman, Josh Brolin, Michael Rooker, Benicio Del Toro, Karen Gillan, Sean Gunn, Djimon Hounsou, Seth Green
Gênero: Aventura
Streaming: Disney+
Duração: 30 min

Clique aqui para acessar o Guia de Episódios

O que você achou desta publicação?

Publicado por Matheus Fragata

Editor-geral do Bastidores, formado em Cinema seguindo o sonho de me tornar Diretor de Fotografia. Sou apaixonado por filmes desde que nasci, além de ser fã inveterado do cinema silencioso e do grande mestre Hitchcock. Acredito no cinema contemporâneo, tenho fé em remakes e reboots, aposto em David Fincher e me divirto com as bobagens hollywoodianas.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Série baseada no filme Exterminadores do Além estreia no SBT

PlayStation anuncia redução nos valores do PS5, PS4 e acessórios