Se há um gênero cinematográfico que sempre teve vez no calendário de estreias são as as comédias românticas. São produções muitas vezes baratas de se fazer, com um público fiel e com altas chances de lucrar, pois trazem histórias leves e que dialogam a realidade de quem assiste. De comédia escrachada a romances água com açúcar, esse gênero sempre emplacou sucessos que marcaram época. Na lista estão os melhores e mais relevantes filmes já produzidos até hoje. 

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

15. Um Lugar Chamado Notting Hill (1999)

Julia Roberts e Hugh Grant eram figurões do alto escalão de Hollywood quando protagonizaram essa produção que com o tempo se tornou clássica. É uma história simples, sensível e muito bem estrelada pela dupla. Julia Roberts e Hugh Grant interpretam um casal que se encontra por obra do acaso e vivem idas e vindas no amor. Há sacadas muito boas do roteiro, que trabalha bem tanto o lado do humor quanto o romance entre os dois. 

14.  O Virgem de 40 Anos (2005)

Não é segredo que Steve Carell é um dos grandes humoristas de sua geração e O Virgem de 40 Anos foi uma produção que ajudou em muito a alavancar sua carreira. Ele interpreta um homem que vive sozinho, com os vícios de um adolescente e que parece não se interessar por ter uma vida a dois. Mesmo sendo uma comédia escrachada ela tem seus momentos românticos e passa uma mensagem de amadurecimento do personagem. Viver ao lado da pessoa que não é aquela que te completa pode ser tão ruim, quanto viver na solidão. O melhor a fazer é sair a procura da pessoa que o completa e isso é passado com bastante competência pelo diretor Judd Apatow (Ligeiramente Grávidos).

13. Escrito nas Estrelas (2001)

Apesar de Escrito nas Estrelas ser uma produção um pouco desconhecida no Brasil, mas que tem uma história de sucesso comercial. Seu orçamento foi de US$ 28 milhões e a bilheteria apenas nos Estados Unidos foi de mais de US$ 48 milhões, algo incrível para uma comédia romântica. John Cusack e Kate Beckinsale protagonizam, no dia de natal, um encontro daqueles que pode se chamar de destino. E é essa justamente a jogada do longa, o amor não é algo que acontece pelo acaso e sim algo que já está pré concebido, basta apenas encontrar sua alma gêmea que pode estar por aí. O jeito que Peter Chelsom (O Espaço Entre Nós) trabalha o roteiro é de surpreender por fazer com que em nenhum momento a trama caia na monotonia. Coloca situações que vão criando curiosidade no telespectador e que fazem os protagonistas terem uma motivação em busca do amor verdadeiro. 

12.  Feitiço do Tempo (1993)

Sempre quando uma produção é lançada, cujo a trama fale sobre looping no tempo logo tratam de dizer que a produção é estilo “feitiço do tempo”, nome dado por causa do clássico filme que foi pioneiro na estrutura desse tipo de filme.  No longa, acompanhamos o repórter Phil (Bill Murray) que viaja para uma pequena cidade com sua equipe para cobrir o dia da marmota, algo tradicional para a região e para a tv. Phil é um homem sério, arrogante e que trata quase todos com falta de respeito. Acaba conhecendo Rita (Andie MacDowell) e graças ao looping em que terá que viver o mesmo dia todos os dias acaba por conhecer o amor, se torna uma pessoa melhor e entende o porque de todos o odiarem tanto. 

11.  O Diário de Bridget Jones (2001)

Se há uma personagem que logo vem a mente de todos quando se fala em comédia romântica, esta é com certeza Bridget Jones. Com seu jeito único de ser conquistou um público fiel, algo que deu força para que outras duas continuações fossem levadas às telas. Em meio a uma grande decepção amorosa de Brigdet Jones passamos a a acompanhar em um caminho de mudança e transformação. Deixa de ser uma mulher que leva em conta o que dizem a ela e passa a viver um novo objetivo de vida. É daquelas histórias que impressionam pelo bom roteiro e pela interpretação de Renée Zellweger, tanto que a atriz recebeu uma indicação ao Oscar de melhor atriz. 

10. Amor a Toda Prova (2011)

Alguns anos antes de protagonizarem juntos a dupla do sucesso de crítica La La Land, Emma Stone e Ryan Gosling trabalharam nesta comédia romântica engraçada e original. O fato que mais chama a atenção é que os dois só aparecem juntos próximo ao final, antes disso era Steven Carell que aparecia como par de Gosling. Ele interpretava um homem de meia idade que precisava se reinventar e aprender novamente como é viver um novo relacionamento. Como toda comédia o foco são nas situações inusitadas que acabam deixando cenas que possivelmente nada aconteceriam bastante divertidas. O encontro principal entre todos os personagens é o principal, e as descobertas que ocorrem nesse trecho surpreendem a todos. Um filme feliz, inteligente e divertido, tudo que uma boa história precisa. 

9. O Amor Não Tira Férias (2006)

Com um elenco recheado de estrelas esta comédia romântica atraiu multidões aos cinemas e foi sucesso de crítica. Com uma trama simples, divertida e emocionante acompanhamos dois casais que são unidos pelo acaso. Há uma troca de casas entre Amanda e Iris, e uma passa a morar na residência da outra. A ideia é ótima e trabalha bem a hipótese de que as vezes uma pequena mudança pode fazer com que você encontre o amor da sua vida.

8. (500) Dias com Ela (2009)

Marc Webb estreou nos cinemas dirigindo esta produção que foi um enorme sucesso de crítica na época em que estreou. Provavelmente é o filme da lista que trabalha melhor a decepção no amor. Todas comédias românticas hora ou outra tocam no tema de se decepcionar com o próximo, mas 500 Dias com Ela levou isso a outro patamar, dando um fim pessimista sobre o amor e mostrando como encontrar a sua alma gêmea pode não ser uma tarefa fácil. 

7. Quem Vai Ficar Com Mary? (1998)

Um filme para rir do início ao fim com as situações em que Ben Stiller se mete para conquistar a garota que tanto ama. Depois de um primeiro encontro desastroso na época de colégio, quando adulto busca a todo custo conquistar o coração de Cameron Diaz. Só que não será tarefa fácil, e o rapaz parece ter bastante azar, pois se mete nas situações mais vergonhosas e hilárias. É isso que torna Quem Vai Ficar Com Mary? um filme tão inesquecível, o fato de transformar situações cotidianas em algo absurdo e engraço. 

6.10 Coisas Que Odeio em Você (1999)

O nome já entrega o que virá pela frente, mas o título é uma ironia. Katharina (Julia Stiles) interpreta uma garota que não é muito amistosa com as pessoas, principalmente com garotos. Ela conhece Patrick Verona (Heath Ledger) que em um primeiro momento tentou a namorar a mando de seu amigo Cameron (Joseph Gordon-Levitt). O sentimento que Verona despertou de início em Katharina foi o de desprezo, isso aos poucos foi mudando. É uma grande história de amor sobre como pessoas tão diferentes conseguem despertar um sentimento tão igual e genuíno que é o amor. O clássico conta com o ator Heath Ledger, então começando com uma carreira que teria o ápice em Batman: O Cavaleiro das Trevas

5. Uma Linda Mulher (1990)

Foi com este filme que Julia Roberts ganhou o eterno apelido de “uma linda mulher”. Apesar de protagonizar a produção ao lado do astro Richard Gere ela acabou por puxar todos os holofotes para a sua personagem e fez com que público e crítica caíssem aos seus pés. É a clássica história em que o homem rico e bonito se apaixona pela garota pobre e faz dela uma princesa. É como um conto de fadas moderno que é belamente dirigido por Garry Marshall (O Diário da Princesa) que transformou o roteiro em um filme emocionante, sensível e que influenciou muitas outras produções no futuro. O papel de Julia Roberts foi tão marcante que foi indicada ao Oscar de melhor atriz. 

4. Noivo Neurótico, Noiva Nervosa (1977)

Claro que Woody Allen não poderia ficar de fora da lista. De sua vasta cinematografia este é o filme que mais se destaca entre as comédias românticas que produziu. Ele atua e dirige esta história que de início pode aparecer chata e monótona, mas não é. É sim uma obra inteligentíssima, com diálogos muito bem montados e personagens fortes e imponentes. Algumas piadas podem passar batidas por serem bastante locais e os diálogos por serem longos podem parecer apenas conversa jogada fora, mas não é. Tudo o que é dito durante o longa é por algum motivo, ou para detalhar alguma ação ou para entendermos melhor os personagens. Destaque para Woody Allen falando para a câmera como se estivesse falando com o telespectador, algo que foi um dos traços originais deste longa. Ganhou quatro prêmios Oscar de melhor filme, melhor ator, melhor atriz e melhor roteiro original.

3. Se Meu Apartamento Falasse (1960)

Billy Wilder havia saído do sucesso de crítica Quanto Mais Quente Melhor quando dirigiu esta produção bastante original. Se Meu Apartamento Falasse é um exemplo de como um roteiro bem montado pode fazer com que uma história simples se transforme em algo muito maior do que inicialmente parecia ser. Bud Baxter é um executivo que tem como estratégia subir na carreira fornecendo seu apartamento para que seus subchefes possam levar amantes para o lugar. É um filme inteligentíssimo no jeito que monta toda a trama, primeiro por fazer Baxter se apaixonar por uma moça que está se relacionando com seu chefe e que usa justamente para isso o apartamento de Baxter. A ideia é justamente a de mostrar que se você encontrou a pessoa que ama que vá atrás dela e não dê chance para que outro passe a perna em você. De tão original recebeu cinco Oscar, de melhor diretor, melhor filme, roteiro original, edição e direção de Arte.

2. Quanto Mais Quente Melhor (1959)

Não é de se estranhar que Billy Wilder faça uma dobradinha entre as principais produções do gênero em nossa lista. Quanto Mais Quente Melhor traz como personagem principal Marilyn Monroe. Ela simplesmente arrasa como a protagonista, está engraçadíssima, é sedutora e ainda mostra porque foi uma das maiores atrizes de sua geração. Mas não é Marilyn a principal atração e sim Jack Lemmon, ele está fantástico se transvestindo de mulher, suas falas e tiradas são ótimas e as situações que se mete são tão engraçadas que dão inveja aos filmes rodados hoje. 

1. Aconteceu Naquela Noite (1934)

Quem quer conhecer mais sobre o cinema clássico deve assistir a este filme de Frank Capra. É uma produção importante para o cinema, principalmente para o gênero das comédias românticas, já que ele estabeleceu várias ideias e conceitos que se tornariam quase que uma regra para estes tipos de filmes. O mais importante desses conceitos foi a criação de um par romântico para movimentar a trama, algo que é visto em quase todas os longas desde então. A história entre a moça rebelde que foge para se casar com o namorado e no caminho acaba por se apaixonar por outro homem também é algo que influenciou muitas produções desde então. Outro fato histórico acerca de Aconteceu Naquela Noite é que foi o primeiro filme a conquistar os prêmios Oscar nas cinco principais categorias.