Não há dúvidas de que Pica-Pau é um dos personagens mais queridos do público brasileiro. Embora não tenha sido tratado de maneira adequada por seu estúdio detentor, sem uma série animada nos últimos anos e ganhando um filme de qualidade duvidosa que acaba de estrear, o cabeça vermelha marcou a infância de muitos – e ainda o faz.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

E nós do Bastidores resolvemos listar os melhores episódios do Pica-Pau, ou pelo menos os mais importantes. Não há uma ordem específica na lista, e esta pode ser um tanto pessoal, portanto, se algum episódio favorito do caro leitor estiver em falta, não esqueça de deixar um comentário.

Vamos lá!

PICA-PAU ATACA NOVAMENTE

Alguns dizem que o primeiro sempre é o mais importante. O episódio de 1940, mesmo não sendo oficialmente a estreia do Show do Pica-Pau, é o que contém sua primeira aparição e serviu de teste para que o personagem ganhasse a série própria um ano depois, em 1941. Andy Panda e seu pai estão confortáveis em sua casa, no entanto, um barulho incômodo surge no telhado. Eis que então os dois pandas lutam contra o Pica-Pau, uma tarefa árdua que só é concluída quando o pássaro fica desatento e sal é jogado em sua calda por Andy. Nisso, ele enlouquece, e então aparecem dois outros Pica-Paus enfermeiros de um hospício para capturá-lo, mas que no fim são tão birutas quanto transformando a vida dos pandas em um pesadelo.

O BARBEIRO DE SEVILHA

Em termos de espetáculo, este talvez seja o ápice de toda a série. Aqui temos o personagem em seu modo mais sádico, totalmente despojado, e com um dos momentos mais nonsense de sua história. Em uma ida à barbearia, Pica-Pau assume o comando do local atormentando a vida de vários clientes. O final é extremamente absurdo com Il barbiere di Siviglia de Gioachino Rossini sendo interpretado.

O REI DO VOO-DOO

Voo-doo é pra Jacu! Nesse episódio o Pica-Pau vê-se totalmente descrente na arte do Voo-doo. Ao instante em que profere palavras contra a magia por uma rádio, Zé Jacaré, que aqui é um praticante, põe à prova seus poderes e trás o pássaro até a sua caverna. Como sempre, Pica-Pau não é bobo e vemos-o atazanando a vida de um de seus vilões novamente.

OS AZARES DE UM CORVO

Era para ser mais um dia comum, sobrevivendo e procurando por comida. Porém, ao atormentar uma senhora na praça, nosso herói cansa-se da inospitalidade da cidade, e parte rumo ao interior. Chegando lá, encontra um homem ensaiando uma música com o seu corvo de estimação. Observando que ele incentiva o animal com comida nos finais dos ensaios, Pica-Pau decide assumir o lugar do corvo e manda este para cidade atrás da velhinha. É um dos episódios com final mais engraçado.

O TOQUE MÁGICO DO PICA-PAU

Um conto de fadas. O jovem príncipe é enfeitiçado por uma bruxa a se tornar um dragão, nisso, o rei cria uma recompensa valendo uma viagem a Acapulco para aquele que reverter a maldição. Sir Pica-Pau fica sabendo, e confronta a bruxa até conseguir sua varinha e palavra mágica. No fim, o herói consegue o objetivo em parte, já que transforma o príncipe em um Hippie pacifista, e o rei mais entristecido ainda decide manter as coisas como estão.

VAMOS ÀS CATARATAS

Este dispensa comentários. Até mesmo o menor fã da série animada deve se lembrar da icônica queda na cachoeira onde vemos os turistas de capa amarela comemorando. Aqui, Pica-Pau importuna a vida de um de um guarda e guia de turismo ao tentar incansavelmente descer as Cataratas do Niágara dentro de um barril.

O AGENTE SECRETO

Outro clássico. Neste, Pica-Pau é uma mistura perfeita entre Batman e James Bons. Com seu carro temático e bugigangas de espião (detalhe para o uso profético de um drone), o herói é chamado pela polícia para combater o mal feitor Luís, o Espalha Lixo, que, como o nome já diz, espalha lixo pela cidade.

NÃO PUXEM AS MINHAS PENAS

Uma referência direta a Frankenstein. Em uma noite de tempestade incessante, Pica-pau encontra um castelo obscuro como refúgio. Lá, um mecânico está finalizando sua maior criação: um androide puxador de frangos. O cabeça vermelha é obviamente o primeiro alvo da coisa, mas arrancar suas penas não é tão fácil quanto parece.

SPOOKY A NANNY

O Especial de Halloween da turma do pica-pau, literalmente, já que todos os personagens amados da série se reúnem neste episódio. Ele começa com o Pica-Pau fantasiado de fantasma, indo em direção a uma casa onde se encontram todos os seus amigos reunidos para comemorar o dia das bruxas, porém quando eles avistam o Pica-Pau se aproximando, eles resolvem pregar peças neles enquanto ele bate na porta da casa. O Pica-Pau então vendo que não iam parar de fazer brincadeiras com ele, decide entrar junto de um grupo de fantasmas dançarinos, mas acaba sendo descoberto e então se começa uma linda sequência musical que contém várias referências ao feriado que estão celebrando, e o nome da música que cantam é Spook-A-Nanny, que também é o título do episódio. – Ayrton Magalhães

O FANTASMA DA ÓPERA

Neste episódio temos um vislumbre do quanto o Pica-Pau é esperto e criativo. Após presenciar um criminoso fugindo para uma cidade abandonada de nome Spooksville, que tem uma fama de ser aparentemente mal-assombrada, o Pica-Pau assim sendo, resolve ir até a cidade para dar uma conferida nela. Então o meliante nota a presença dele e decide se fantasiar de fantasma para o espantar de lá, só que o bandido não contava que o Pica-Pau iria descobrir o truque e usá-lo contra ele. O Pica-Pau inventa várias coisas para assustar  o ladrão de lá, ele até entra numa cabeça de alce para dar mais credibilidade ao truque, é fantástico como o Pica-Pau vai usando simples artifícios para convencer o criminoso de que a cidade é de fato mal assombrada. Totalmente imperdível. – Ayrton Magalhãoes

Escrito por Kevin Castro

Comente!