em ,

Análise | Immortals Fenyx Rising – Melhor jogo da Ubisoft?


A Ubisoft está em polvorosa nesses últimos tempos, lançando não um, nem dois jogos, mas três em um intervalo de menos de dois meses. E é espantosa a habilidade com que esses jogos foram desenvolvidos. Watch Dogs Legion é um jogo que teve alguns problemas no dia de seu lançamento, mas conseguiu me impressionar genuinamente, sendo definitivamente o meu favorito nessa sérieAssassin’s Creed Valhalla traz um sólido RPG tendo como cenário a Europa medieval na época dos vikings e agora temos mais um. 

O jogo nasceu de um bug em Assassin’s Creed Odyssey que transformava os NPCs do jogo em ciclopes, esse defeito nos estágios iniciais no desenvolvimento do game atiçou a imaginação dos desenvolvedores que quiseram fazer algo mais mítico, sem as amarras históricas que caracterizam Assassin’s Creed. O título provisório era Gods and Monsters, sendo mudado posteriormente para Immortals Fenyx Rising.

Livre para voar

Logo de cara  percebe-se que o jogo tomou de inspiração alguns dos títulos mais aclamados nos últimos tempos no mundo dos games. Tanto a estética quanto algumas mecânicas lembram muito The Legend of Zelda: Breath of The Wild. No caso do hit da Nintendo, eles tomaram o conceito de mundo aberto ao pé da letra, você pode ir para onde quiser e utilizar quaisquer métodos à sua disposição para chegar lá. Fenyx tenta recriar essa sensação com uma generosa dose de sucesso 

A locomoção é um dos aspectos mais interessantes do jogo. Além de conter um mundo extremamente belo e variado que por si só já é um prazer de explorar, é divertido usar as habilidades que lhe são concedidas para atravessar os obstáculos para se chegar a um lugar. Há a habilidade de correr mais rápido que o normal, que é a básica, as asas de Dédalo que possibilitam  o pulo duplo e a planagem, as mecânicas relacionadas a ela me lembrar uma espécie de híbrido entre God of War e Batman Arkham, muito útil principalmente se você desbloquear a habilidade do Boost fazendo com que se desloque com mais rapidez. 

Ainda há a opção de domar um animal para que possa cavalgá-los, as espécies de montarias vão desde alces, cavalos e até mesmo unicórnios se tiver a sorte de achar um. As vantagens de se usar montarias incluem uma barra de estamina maior, além de melhor velocidade que a corrida convencional e com a habilidade telekinesis gathering” ativada você pode coletar itens essenciais para a criação de poções apenas passando perto deles enquanto estiver na montaria. 

E é claro há também a escalada que como citei anteriormente é muito parecida com a encontrada em Breath of the Wild, é possível escalar qualquer superfície, mas é necessário ficar de olho na barra de estamina, caso deixe ela se esgotar quando estiver em uma altitude considerável, é morte na certa. Administrar bem a barra de estamina é um dos aspectos que compõem o desafio do jogo. 

Os cenários por si só já são um deleite, na sua estética mais animada e colorida, os designers sustentam a ilusão de vida abundante no jogo, capricharam bastante em elementos como vegetação, que é diferente a depender do lugar explorado, e da fauna animal, sendo composta por ursos, javalis, pássaros, cavalos e diversas criaturas mitológicas (grande maioria hostil), tudo isso ajuda na imersão e faz com que o jogador continue a explorar esse mundo. 

Desafios mentais 

E por falar em desafio, o jogo está repleto de todos os tipos, até mesmo os mentais! Sim, meus amigos, os benditos puzzle, falando francamente, fazia tempo que eu não via puzzles tão bons e variados, o único bom exemplo que posso me lembrar agora é o já citado The Legend of Zelda: Breath of the Wild. Enquanto muitos jogos abandonam ou simplificam demais esse aspecto que outrora fora tão valorizado, no argumento de que as pessoas estão mais imediatistas e não querem perder tempo com esse tipo de coisa, Immortals Fenyx Rising adota o puzzle sem medo de fazer algo desafiador, tornando a resolução dos problemas apresentados divertida e recompensadora por si só. 

Você resolverá puzzles nas missões principais e eles possuem uma dificuldade crescente, admito que alguns me pegaram coçando a cabeça um pouco, mas nada que eu não resolvesse observando melhor o cenário e utilizando as ferramentas corretas e de forma eficaz que o jogo me dispunha. Algumas vezes você se achará no puzzle clássico de equilíbrio de pesos na balança, encaixando esferas em lugares específicosativando mecanismo corretos para cada tipo de ação, dentre tantos outros. 

Também podem ser encontrados puzzles enquanto explora o mundo, esses são chamados de desafios míticos e quando concluídos você ganha uma recompensa que são as moedas de Caronte, com o jogador pode fazer alguns upgrades para a Fenyx, sendo eles combos novos para cada uma das armas empunhadas, espada, machado, arco e flecha, melhorias que ajudarão na locomoção pelo mapa como o já citado boost na asa de dédalo, o impulso na escalada, o impulso na natação, etc. 

Você é um semi deus 

Outra coisa que gostaria de destacar é o sistema de progressão e o sistema de combate. O combate é bem fluido e tem nuances interessantes, alguns aspectos dele me lembraram outro jogo de sucesso, Sekiro: Shadows die Twice, pois os inimigos tem uma barra que representa a sua resistência e assim como em Sekiro, preenchendo essa barra, o inimigo fica vulnerável e há diferentes formas de elevar essa medida. As mais eficazes são alguns golpes especiais, como a que Fenyx usa seu escudo lançando-se para sempre e a aparada, que é realizada com a Fenyx girando sua espada contra ataques comuns de inimigosfazer isso é a maneira mais fácil de carregar a barra, mas não é eficaz contra os ataques vermelhos, então demanda bastante atenção do jogador. 

Algo que é interessante também ainda sobre o combate é a esquiva, Fenyx é ágil e pode desviar de praticamente qualquer ataque, basta não vacilar, caso você se consiga esquivar-se no mesmo instante em que o golpe do inimigo iria atingi-lo, o tempo desacelera, deixando o oponente completamente aberto e vulnerável por alguns instantes. 

Essa mecânica definitivamente ajuda para deixar o combate ainda mais dinâmico, principalmente contra os chefes, aliás essa é uma característica que não deixa nada a desejar, o jogo também tem uma bela variedade de inimigos e há um bom valor de entretenimento em descobrir a estratégia correta para utilizar em cada um. 

Sendo esse um jogo com diversos elementos de RPG, vem também com um sistema de progressão intrincado e até um pouco complexo, pois não é baseado num sistema de ganho de experiência, o sistema de recompensa está calcado principalmente na área da exploração.

O que fará com que ganhe novas habilidades são certos eventos e itens que o jogador encontrará no caminho, como as moedas de Caronte, ganhas completando os desafios míticos que havia citado anteriormente, encontrando baús e cristais para aumentar a potência de seus equipamentos e achando itens específicos como os raios de Zeus completando desafios das câmaras do tártaro e achando ambrósias explorando o mapa. 

A história importa 

Então, vamos comentar a história desse jogo. Incialmente ela me lembrou um pouco outro jogo da Ubisoft, o Prince of Persia de 2008, nele o deus Ahriman havia corrompido a versão fantasiosa da Pérsia apresentada no jogo e o Príncipe tinha que restaurar cada setor de volta ao que era antes, infelizmente aquele jogo se mostrou ser tedioso apesar da premissa até razoável, já Immortals Fenyx Rising é o que aquele jogo seria se fosse bom. 

Aqui o terrível titã Tifão é libertado e derrota os deuses expulsando-os do Olimpo e privando-os da sua essênciaO todo poderoso Zeus, pai dos olimpianos, vai pedir ajuda  ao titã Prometeu, esse por sua vez começa a contar uma história, a jornada de Fenyx e como ela conseguiria recuperar a essência dos deuses e derrotaria Tifão. 

E assim se dá a narrativa do jogo, com a interação entre Zeus e Prometeu provendo grande parte do humor do jogo, que acontece da seguinte maneira: Zeus é um individuo extremamente narcisista e orgulhoso, que não reconhece os tantos erros que faz e de certa forma a história que Prometeu conta é direcionada diretamente a ele, tentando fazê-lo notar os seus erros e imperfeições. O fato de que Zeus não se manca faz com que a interação seja muitas vezes hilária. 

Fenyx também é uma contadora de histórias que fica fascinada em conhecer todos esses deuses e criaturas de que ela tanto ouvira falar e contara histórias sobre e por ela saber tanto sobre eles, levanta o moral dos olimpianos que ela encontra sempre cabisbaixos e humilhados pela derrota nas mãos de Tifão

Fenyx é uma boa personagem, não exatamente uma personagem multifacetada e tudo mais, mas ela ainda é melhor que muito personagem de videogame. Muitas pessoas gostariam que a protagonista fosse silenciosa como o Link nos jogos de Zelda e eu entendo que dessa forma o jogador pode ter maior imersão, mas o trabalho feito nela foi razoável. 

Gostei muito da representação dos deuses gregos, se têm uma coisa que a Ubisoft provou ser boa em todos esses anos de Assassin’s Creed é que eles sabem fazer o dever de casa. Cada um dos deuses está representado muito bem, com aquele toque de humor, Afrodite, sempre sedutora, mas também um pouco desengonçada e inconveniente, a deusa Athena, uma das minhas preferidas em qualquer panteão mitológico, sempre sábia e aqui aprende também a brincar, Hefesto, deus da forja e dos artesão, bem representado até mesmo na forma de autômato quando o encontramos, sempre sentindo impulso de criar coisas novas e o belicoso Deus da guerra, Ares, sempre empolgado por travar novas batalhas e também galantear a deusa Afrodite. 

Além do humor que às vezes não está tão afiado como poderia ser, gostei também das voas sacadas que o jogo tem em relação aos mitos gregos, tidas por Zeus, Prometeu e por vezes pela Fenyx que conjecturam um pouco sobre as histórias que estão contando. Para quem não conhece os mitos gregos, esse é também um bom ponto de entrada pois alguns deles são bem expostos aqui. 

Quanto à animação, em grande parte ela é bem sólida, uma das melhores, eu diria, apenas por vezes nota-se um personagem ou uma criatura não se movendo como deveria, como uma fala sem um movimento da boca, mas creio que tenha sido algum bug que logo será corrigido, porque na maior parte, a animação flui muito bem. 

Algo que me irritou um pouco são as cutscenes que não podem ser puladas, é um pouco irritante, principalmente as que repetem sempre que você consegue um upgrade. 

A interpretação também é muito boa, no caso das vozes em inglês, os atores falam imitando um sotaque grego que ajuda no humor do jogo. A versão dublada em português brasileiro também é muito boa, apesar deles não fazerem sotaque nenhum, o que é compreensível, pois provavelmente ficaria ridículo e o diretor de dublagem teve a sensatez de não ir por esse caminho.

Acho interessante isso de ter jogos completamente localizados, ainda mais em um jogo mais voltado para pré adolescentes. Na minha época ou você sabia inglês ou ficava sem entender nada, portanto fico feliz dos jogos serem mais acessíveis para mais pessoas. 

Conclusão 

Immortals Fenyx Rising é um dos melhores jogos desse ano e dentre os que a Ubisoft lançou com certeza o que mais se destaca. Problemas encontrados em outros jogos da empresa como bugs frequentes, problemas de performance e má otimização se encontram muito menos aqui, sendo um jogo muito fluido em mais esse sentido, durante a minha jogatina, ocorreram poucos que eu possa me lembrar, apenas alguns chegando no final do jogo, mas é normal em um jogo em fase de pré lançamento, no mais o jogo rodou perfeitamente. 

Apresenta grande variedade de inimigos, puzzles e áreas a serem exploradas, diferenciando-se completamente da maioria dos jogos AAA lançados nessa década, eu diria que esse jogo é nível Nintendo, que além da estética  parecida se destaca sendo um jogo bem variado, assim como todo bom jogo sobre a marca Mario, The Legend of Zelda ou Donkey KongPeca apenas  por uma ou outra coisa na história, em termos de jogabilidade eu o achei quase perfeito. Eu não poderia recomendar mais esse jogo. 

Agradecemos à Ubisoft por ceder uma cópia deste jogo para análise.

Ficha técnica:

Immortals Fenyx Rising, 2020

Desenvolvedora: Ubisoft Quebec

Distribuidora: Ubisoft

Plataformas: Amazon Luna, PC, Nintendo Switch, Playstation 4, Playstation 5, Stadia, Xbox One, Xbox Series

O que você achou desta publicação?

Publicado por Daniel Tanan

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Estátua de Gundam em tamanho real é revelada oficialmente; veja

Fátima Bernardes está com câncer de útero: “Estou bem”