em ,

RaivaRaiva TristeTriste FofoFofo Ri MuitoRi Muito AmeiAmei UAUUAU ApáticoApático

Atores não-coreanos de Round 6 se irritam com críticas duras sobre “atuação brega”

Uma unanimidade entre a crítica especializada e boa parte dos fãs sobre um dos defeitos de Round 6 está justamente no elenco não-coreano.

Atores de língua inglesa integram parte do elenco para encarnar os VIPs, convidados especiais que assistem aos jogos mortais e realizam apostas sobre quem sobreviverá a cada desafio. Entretanto, tanto a atuação quanto o roteiro são extremamente caricatos beirando o cafona.

Após lerem as opiniões sobre suas atuações, parte do elenco não-coreano ficou bastante ofendido com a recepção do público e tentaram se defender na internet.

“Eu sofro de depressão clínica extrema, então tem sido um pequeno desafio”, disse Daniel C Kennedy, que interpreta um dos VIPs.

“Fiquei decepcionado com os comentários, mas, com o tempo, consegui filtrar melhor o feedback para melhorar na próxima vez. Essas coisas acontecem mesmo quando você faz parte de um projeto que obtém reconhecimento global.” 

Em longo texto no Instagram, o ator também comentou sobre um grande descaso envolvendo a má tradução do roteiro para o inglês, deixando as falas pouco orgânicas, além de ter apontado o exagero na repetição de uma piada envolvendo a posição sexual 69 que não funciona durante diversas cenas.

Veja:

Entretanto, enquanto Kennedy se ofendeu com as críticas, outro ator achou todo o sucesso da série incrível. É o caso de Geoffrey Giuliano que interpreta outro VIP na série.

“Eu não posso reclamar! Estou na série mais popular do mundo. Eu recebi cartas de fãs. Hoje mesmo uma mulher me pediu para enviar um autógrafo.”

“Duas horas depois ela me mandou uma foto com uma tatuagem em homenagem a mim no antebraço.”

Ele acrescentou: “Recebi alguns convites sexuais, de homens e mulheres. Este projeto me elevou da obscuridade absoluta e total. Virei um astro!”

Outro ator, John D Michaels, também falou que não receberam muitas orientações para trabalhar: “Existe um mito de que eles simplesmente nos escolhem de maneira aleatória.”

“É algo que varia entre as séries, mas artistas não coreanos costumam atuar com diálogos que são traduzidos por um não-nativo – às vezes até pelo Google Tradutor -, então pode soar artificial. Muitas vezes não recebemos os roteiros completos. Só recebemos nossas cenas, então não temos ideia do tom.”

Round 6 está totalmente disponível na Netflix.

O que você achou desta publicação?

Publicado por Matheus Fragata

Editor-geral do Bastidores, formado em Cinema seguindo o sonho de me tornar Diretor de Fotografia. Sou apaixonado por filmes desde que nasci, além de ser fã inveterado do cinema silencioso e do grande mestre Hitchcock. Acredito no cinema contemporâneo, tenho fé em remakes e reboots, aposto em David Fincher e me divirto com as bobagens hollywoodianas.

Um Comentário

Leave a Reply

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Petição contra armas em sets de gravação é criada após morte em set de Rust

James Michael Tyler, o Gunther de Friends, morre aos 59 anos