Quem assistiu Caixa de Pássaros (Bird Box), novo filme original da Netflix, possivelmente ficou com uma grande dúvida sobre o que seria o tal monstro que todos estavam enxergando, algo que a produção não se esforçou muito em nos contar.

Entretanto, um artista plástico envolvido na produção do filme, publicou em seu Instagram uma escultura oficial da criatura que apareceria em cortes anteriores ao final que foi disponibilizado na Netflix.

Confira:

Recentemente, segundo entrevista dada para o site bloody disgusting estas criaturas nas quais se fala durante todo o tempo no longa quase foram mostradas. Na entrevista a diretora Susanne Bier e o roteirista Erick Heisserer falaram a respeito dessa questão.

“Houve uma época em que um dos produtores dizia ‘Não, você precisa ver algo em algum momento’ e me obrigou a escrever essencialmente uma sequência de pesadelo pela qual Malorie passa naquela casa”, contou o roteirista.

Na trama, a atriz Sandra Bullock (Um Sonho Possível) interpreta Malorie, que presencia acontecimentos estranhos e acaba ficando presa em uma casa e sofrendo o pânico de enfrentar algo que pode ser visto, mas que ao o enxergar a tal forma a pessoa acaba se suicidando.

Eric continuou dizendo que a tal criatura era parecida com uma cobra com um rosto infantil deformado: “Era como uma cobra e eu fiquei: ‘eu não quero ver quando acontecer pela primeira vez. Apenas a traga para o quarto. Nós vamos filmar a cena. Eu me viro e ele está assim (rosnando para mim). Está me fazendo rir. É apenas um bebê muito gordo”, finalizou Eric.

A diretora Susanne Bier também comentou sobre o assunto: “É tão fácil se tornar engraçado. Nós realmente gravamos isso e gastamos muita energia, mas toda vez que eu vi, não ficaria tenso. Vai ser engraçado. No começo, Sandy ficou tipo “não quero ver” porque achava que era assustador. Então foi como ‘Não mostre para mim porque [eu vou rir]’. Toda vez que eu fazia isso, eu achava que isso arruinaria o filme.’

Continuou falando que não faria sentido usar as criaturas “O que quer que esses seres sejam, eles tocam em seu mais profundo medo. Todo o medo mais profundo vai ser diferente da outra pessoa. Eu acho que de repente assumir uma forma concreta para ilustrar se torna fraca. Onde o conceito é realmente forte, tentar ilustrá-lo é meio que sem sentido. Então, teria sido a decisão errada.”

Confira nossa crítica e nosso final explicado de Caixa de Pássaros.