Muitos de vocês devem saber, ou não, que as cores têm uma influência significativa no nosso humor. Dizem que o vermelho pode estimular nosso apetite, e é por isso que é mais provável que ele seja usado em restaurantes, em vez de azul, o qual supostamente suprime o apetite.

Cada cor está associada a várias emoções que, como um todo, podem influenciar nosso humor.

Por exemplo, o rosa é geralmente associado à felicidade e compaixão, mas também é muito estereotipada como sendo um símbolo de fraqueza ou de feminilidade. Entretanto, o que muitos não sabem é que, os psicólogos há muito argumentam que a visão diária a cor pode ter um efeito calmante sobre as pessoas.

E por isso, prisões suíças estão pintando suas celas de rosa como uma maneira de conter o comportamento agressivo dos condenados, aliás, essa mesma medida tenha sido adotada por outros países europeus nos últimos anos.

Contudo, existem controvérsias, pois há quem ache que a medida além de ser degradante e manipuladora, também vem sido descrito como humilhante.

Um ex-detento de uma prisão suíça afirmou ao jornal britânico The Telegraph que ficou em uma cela que segundo ele, parecia:

“o quarto de uma garotinha”

O primeiro a exibir a ideia de usar rosa nas prisões para conter a agressão de presos foi o pesquisador Alexander Schauss, que no final da década de 1970 realizou uma série de experimentos para demonstrar o poder da cor no comportamento humano.

Na época, dois oficiais navais, Gene Baker e Ron Mille, ficaram tão impressionados com as descobertas de Schauss que pintaram as celas de suas bases navais com a controversa cor e logo depois relataram uma mudança drástica no comportamento dos prisioneiros. Onde, aparentemente, todos eles ficaram consideravelmente menos agressivos.

Desde então, a cor ficou conhecida como Baker-Miller Pink e passou a ser usada por vários guardas da prisão ao longo dos anos 80.

Em 2011, a psicóloga suíça Daniela Späth decidiu realizar seus próprios experimentos com seu próprio tom de rosa, uma versão mais pálida e suave que ela própria batizou de “Cool Down Pink”.

Ela foi aplicado às celas de 10 prisões em toda a Suíça e, em um período de quatro anos, os funcionários da prisão relataram um comportamento menos agressivo dos prisioneiros que foram colocados nas células cor-de-rosa em comparação aos das celas regulares.

O Cool Down Pink então se tornou o novo Baker-Miller Pink, e está lentamente se espalhando nas prisões fora da Suíça.

A agência de notícias Sputnik, apoiada pelo Kremlin, sugere que a cor também é usada em prisões alemãs como as de Dortmund, Hagen, Kleve e Attendorn.

O Cool Down Pink continua a ser usado em algumas prisões suíças, e por enquanto, continua sendo útil para conter a agressividade dos detentos.