O culto aos vampiros é algo que está enraizado na cultura pop, desde o livro do lord Drácula escrito por Bram Stoker ao clássico filme Nosferatu, de F.W. Murnau. Atualmente estamos vendo um boom de produções audiovisuais sobre vampiros, um exemplo foi a bem sucedida (na bilheteria) saga Crepúsculo e a franquia Anjos da Noite, protagonizada por Kate Beckinsale.

E parece que a FOX resolveu investir no gênero com a nova série The Passage, em que é descoberto um vírus que transforma pessoas em vampiros. Alguns cientistas começam a estudá-lo para tentar encontrar a um jeito de imunizar a população mundial contra todas as doenças existentes. Óbvio que precisam de cobaias, e para isso o agente Brad Wolgast (Mark-Paul Gosselaar) é chamado para levar uma órfã de 6 anos para realizar pesquisas, e durante a missão acaba mudando de ideia e em vez de levá-la para os experimentos começa a defendê-la dos agentes malvados. 

A premissa é bastante interessante, principalmente seus 15 minutos iniciais quando encontram um vampiro secular em uma caverna. Essa cena inicial prende a atenção do telespectador e gera interesse em continuar a assistir a série. Só que o que parecia ser algo bacana acaba caindo na armadilha que inúmeras outras produções acabaram caindo, que foi a de colocar uma criança em risco e a de dar um jeito dela escapar e encontrar alguém para tomar conta dela contra as forças do mal.

Isso é uma decisão equivocada do roteiro e uma escolha preguiçosa, pois já foi visto em muitos filmes e séries, além de não ser nada original. A idéia de colocar uma criança como a personagem principal não é o problema e sim o fato dela se tornar tão importante a ponto do governo americano precisar criar um caos pelo país para ir atrás dela. O roteiro poderia ter trabalhado melhor essa questão da menina e sua importância. Parece que do nada a garota se tornou a escolhida perfeita.

Fora o personagem de Mark-Paul, que mesmo sabendo o porque dele ter tomado tal atitude de salvar a criança não convence, pois uma pessoa paga para fazer o serviço e ainda mais um agente do nada vira uma pessoa moralista e acaba se tornando a resistência contra o sistema. Se isso acontecesse no terceiro ou quarto episódio seria mais interessante do que jogar isso de cara apenas para criar cenas de ação e tentar prender o público em frente a TV.

Nesse primeiro episódio ficaram algumas dúvidas sobre alguns personagens em como irão se desenvolver no restante da trama e aonde realmente a série quer chegar. Ou decidem se os dois vão fugir o tempo todo ou se irão lutar contra o sistema e contra os cientistas que mesmo tendo um bom propósito precisam de cobaias para seus testes. Não ficou claro também a importância do personagem da agência que contratou os agentes do FBI e nem se tem um segredo maior por trás de todo seu plano, seria algo inteligente e que poderia criar algo a mais para a trama. 

O suspense inicial foi trocado por uma história rasa e simples, poderiam ter feito algo mais focado no terror, mas resolveram transformar toda a história em quase um filme de sessão da tarde com altas confusões. É uma série que ainda pode mudar muita coisa em sua narrativa, mas neste primeiro episódio não gerou curiosidade nem vontade de continuar a assisti-la.

The Passage – 01×01: Pilot (The Passage, 2019 – EUA)

Criado por: Jeremy Carver
Direção:Jason Ensler, Allison Liddi-Brown, Jessica Lowrey, Jeffrey Nachmanoff, Eduardo Sanchez-Ubanell, Marcos Siega, Mark Tonderai, Ti West
Roteiro: Justin Cronin, Liz Heldens, Kate Erickson, Joy Blake, Peter Elkoff, Daniel T. Thomsen, Vanessa Gomez, C.A. Johnson, Dennis Saldua
Elenco: Mark-Paul Gosselaar, Saniyya Sidney, Jamie McShane, Caroline Chikezie, Emmanuelle Chriqui, Brianne Howey, McKinley Belcher, Henry Ian Cusick, Vincent Piazza
Emissora: Fox
Gênero: Ação, Aventura, Drama
Duração: 50 minutos