em

Lista | As 15 Melhores colaborações entre Christopher Nolan e Hans Zimmer

É maravilhoso quando um diretor e um compositor falam a mesma língua. Steven Spielberg com John Williams, Sergio Leone com Ennio Morricone e, até mais recentemente, David Fincher com Trent Reznor e Atticus Ross. Porém, uma das colaborações do tipo que mais ganha força atualmente é a de Christopher Nolan com o alemão Hans Zimmer, que juntos já forneceram algumas das melhores peças musicais que o cinema já ouviu nesses últimos anos.

Em uma tarefa difícil, eu e Matheus Fragata tentamos selecionar e ordenar as 15 melhores faixas de trilha sonora que Zimmer já tenha criado para os filmes de Nolan.

Prepare os fones de ouvido e confira:

15. Half Remembered Dream | Hans Zimmer

A Origem

O famoso BRAAAAAAUN não poderia ficar de fora. Praticamente a assinatura da trilha de A Origem, os gravíssimos trompetes fornecem o clima adequado para a bombástica cena de abertura do filme, voltando pontualmente durante as cenas de ação. Além de impactante, também serve à trama por sua relação com a música diegética de Edith Piaf usada pelos personagens.

14. Mountains | Hans Zimmer

Interestelar

Zimmer sempre foi um especialista na arte de criar tensão, e tivemos uma amostra excepcional dessa característica em uma das melhores cenas de Interestelar. Quando os personagens exploram um planeta todo formado por água, ouvimos o barulho de algo que se assemelha a um relógio, que lentamente vai ficando mais intenso enquanto o órgão a vapor ganha mais peso. Sensacional.

13. Home | Hans Zimmer e Benjamin Wallfisch

 Dunkirk

O trabalho de Hans Zimmer em Dunkirk é coisa de louco. Completamente intenso e atmosférica, a música nunca deixa o espectador respirar, mantendo-nos em tensão extrema durante toda a projeção, e em Home temos uma das amostras mais perturbadoras com os sons que nos remetem à motores de aviões. Porém, nosso primeiro respiro acontece aqui, quando temos uma revelação milagrosa e absolutamente positiva dentro da história, que garante uma orquestra alegre e triunfante. Ufa!

12. Mombasa | Hans Zimmer

A Origem

Zimmer sempre foi um louco por tambores e baterias, então ele está praticamente em casa com essa faixa pulsante! Misturando todas as batidas com a guitarra característica do tema de A Origem e um set de cordas intensas, Mombasa é utilizada durante a maioria das cenas de ação do filme, mais especificamente na perseguição a pé na cidade africana, garantindo a dose apropriada de excitação e dinamismo que o longa requer. Não que venha ao caso, mas é uma ótima pedida para os viciados em academia!

11. The Mole | Hans Zimmer

Dunkirk

Primeira faixa de sua última colaboração com Nolan, The Mole nos confirma que Dunkirk realmente é um filme de suspense. Através de sons abstratos e uma percussão de cordas aterrorizantes, Zimmer parece mais próximo do trabalho de Joseph Bishara em Invocação do Mal, oferecendo algo atmosférico e inquietante, já jogando o espectador em meio à tensão.

10. Molossus | Hans Zimmer e James Newton Howard

Batman Begins

Não é fácil superar o tema icônico de Danny Elfman para o Batman, mas Zimmer e James Newton Howard ofereceram algo arrasador com a trilha sonora do ótimo Batman Begins, que marca o início da colaboração do compositor com Nolan. Apostando em algo mais próximo de ação e energia, Molossus acompanha a cena em que o Batmóvel é perseguido pela polícia, e a orquestra da dupla consegue criar algo heróico, misterioso e dramático. Pode não ser algo tão melódico quanto Elfman, mas certamente é um dos pontos altos dessa colaboração.

9.  Supermarine | Hans Zimmer

Dunkirk

Aliando tensão com ação, Supermarine oferece uma das faixas mais energéticas e intensas de Dunkirk. Com um som de relógio presente durante toda sua duração, a música oferece suspense e ânimo para as cenas envolvendo os pilotos de aviões spitfire no conflito, com batidas e uma orquestra sintetizada trazendo barulhos e sons oníricos; vide o “motiff” principal que parece se assemelhar a uma alarme.

8. Gotham’s Reckoning | Hans Zimmer

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Depois de ter oferecido uma série de temas memoráveis para os personagens do Morcego, com Batman Begins e O Cavaleiro das Trevas sendo conquistas musicais excedentes de expectativas, Zimmer se via novamente diante do desafio de compor o tema para mais um vilão da trilogia. Inspirando-se na força bruta e no caráter do mercenário Bane, eis que o compositor aposta em um canto de dialeto árabe, preenchido por tambores e baterias pesadas. Uma criação original e que rapidamente se tornou um ícone. Deshi basara!

7. Dream is Collapsing | Hans Zimmer e Jonny Marr

A Origem

Sempre experimentando instrumentos diferentes, a escolha de Zimmer para o tema central de A Origem é curiosa: enquanto todos lembram dos trompetes sintetizados, o principal tema do longa é marcado por uma guitarra suave, muitíssimo bem executada por Jonny Marr. A faixa traz um ar cool e apropriado para a temática, logo apostando em uma grande orquestra com cordas e uma percussão intensa para representar o desespero e a urgência das missões do grupo.

6. Cornfield Chase | Hans Zimmer

Interestelar

Quando Zimmer mergulhou de cabeça na ficção científica de Nolan, ele teve uma ideia peculiar: usar um pesado órgão de igreja, a vapor, para conduzir a principal porção da trilha. Uma decisão que logo se mostraria como genial quando ouvimos a primeira grande peça com o instrumento, na cena em que Cooper e seus filhos perseguem um drone descontrolado por um milharal. A impressão que se tem é que 4 braços estão operando ali, dada a variedade de notas e a velocidade da percussão, que oferece algo mágico e divertido, capturando bem o espírito do filme.

5. Mind if I Cut in? | Hans Zimmer

Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge

Outra figura marcante para Zimmer oferecer um tema musical? Sem problema. Novamente buscando uma melodia que adeque-se ao estilo e temperamento de seu respectivo personagem, o compositor aposta em um piano slick e traduz a personalidade atrevida e ligeira da Selina Kyle de Anne Hathaway, oferecendo – além do maravilhoso e viciante motiff – uma nota que deliberadamente desafina no final, quase criando um “miau” graças à sua extensão – isso é brilhante, ou o quê? Isso sem falar nos violinos e cellos que a seguem, mantendo esse mesmo estilo sedutor e digno da Mulher-Gato.

4. Stay | Hans Zimmer

Interestelar

Stay é o tema principal de Interestelar. É o tema sobre o amor paterno de Cooper e Murph. Mas além de ser uma melodia doce e um tanto fúnebre, Stay funciona como um grande resumo do primeiro ato do filme. Zimmer, sabiamente, insere barulhos das lufadas de vento que carregam a poeira que trouxe o apocalipse para a terra. Entre essas inserções sonoras, escutamos o órgão respirar enquanto dispõe as longas notas musicais. Ainda triste, há tons mais heroicos para Stay. A jornada de Cooper para o espaço finalmente começa e a melodia também se transforma para potencializar a ação. No minuto final, o verdadeiro clímax surge, acompanhada da contagem regressiva tão bem inserida na mixagem final do filme. A música praticamente impulsiona o lançamento do foguete para o desconhecido até desaparecer “voando”. Cooper foi embora.

3. Why So Serious? | Hans Zimmer e James Newton Howard

Batman: O Cavaleiro das Trevas

Como descrever musicalmente o antagonista perfeito? O que faz a música de um vilão ser tão memorável? Indo para um caminho totalmente minimalista, Zimmer e James Newton Howard entregam um tema perfeito para o Coringa de Heath Ledger, onde temos apenas duas notas estendidas de um violoncelo elétrico produzindo um som perturbador e inquietate, que imediatamente nos faz ligá-lo ao personagem no segundo filme do Batman. Além dessa introdução marcante, a faixa evolui para uma composição punk rock ao trazer mais cordas, cellos e até uma guitarra, marcando a cena do assalto a banco que abre o filme.

2. Time

A Origem

Ao longo de A Origem, tivemos uma trilha excessivamente barulhenta. Explosiva, energética e que ditava muito bem o ritmo da ação e das situações paralelas durante a missão do grupo. Porém, a sequência final do filme abraça um lado mais calmo, na mais pura definição musical de catarse que Hans Zimmer poderia executar, com essa belíssima Time. Um piano delicado vai crescendo para liderar uma orquestra heróica e triunfante, seguindo a sensação de missão bem sucedida de Cobb e sua equipe… Até os segundos finais. Um Zimmer delicado e surpreendente.

1. No Time for Caution

Interestelar

A música pode fazer toda uma cena. Vemos muito isso nas colaborações de Hans Zimmer com Christopher Nolan, que já nos renderam exemplos formidáveis como todos puderam ver aqui. Porém, acredito fortemente que o ápice dessa conquista está aqui, com No Time for Caution, faixa que acompanha a inebriante sequência em que Cooper realiza uma ancoragem perigosa e desesperada em uma Endurance danificada, rendendo aquela que indubitavelmente é a melhor cena de Interestelar. O uso pesado do órgão aqui é uma coisa simplesmente inexplicável. Um milagre.

Gostou da seleção? Qual a sua música preferida da colaboração dessa dupla?

Leia mais sobre Christopher Nolan

O que você achou desta publicação?

Avatar

Publicado por Lucas Nascimento

Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Loading…

0

Comente!

HBO é hackeada e roteiro do próximo episódio de GOT pode ter vazado

Bumblebee | John Cena vai protagonizar derivado de Transformers