Com a estreia de Lino, muitos se perguntaram se havia animação no Brasil. Sim, temos muitas, mas elas são desconhecidas do grande público. Vamos lembrar de cinco longas feitos por animadores brasileiros, mostrando o quanto é diverso e não se resume apenas a medias-metragens da Turma da Mônica. Vamos lá:

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

5. Cassiopeia – O Filme

Lançado em 1996, ele só não foi considerado a primeiro filmes em animação 3D na história por questões de meses, por conta do lançamento de Toy Story. Dirigido por Clóvis Pereira, o longa conta a história de uma invasão ao planeta Ateneia, que faz parte da constelação Cassiopeia. Embora a animação esteja um pouco datada, é um filme que tem ideias bem interessantes.

4. Wood & Stock: Sexo, Óregano e Rock N’Roll

Baseado nos personagens do cartunista Angeli, o longa dirigido por Otto Guerra, conseguiu captar muito bem o estilo sujo das tiras do autor. Guerra já havia feito Rock & Hudson: Os Caubóis Gays, que também era politicamente incorreta. Para os fãs de Angeli, é um prato cheio que tem o seu sensor de humor ácido, além de referências a suas outras obras.

3. Minhocas

A primeira animação brasileira em stop motion. Inspirado no curta homonino, o filme conta a histórias de três jovens minhocas que  lutam conta a tirania do terrível tatu-bola, intitulado de Big Wig. Foi um grande sucesso de crítica vencendo onze prêmios no Brasil, incluindo Animamundi e Festival de Gramado, e o prêmio de excelência JVC Tokio Video Festival.

2. Uma História de Amor e Fúria

Estreia da direção do roteirista Luiz Bolognesi (Bicho de Sete Cabeças e Como Nossos Pais). Ele conta a história do Brasil na visão de um guerreiro imortal que sobrevive desde as colonizações até um futuro pós-apocalíptico em que o Brasil é dominado por uma ditadura evangélica. É uma animação ambiciosa que faz uma revisão política da história do país. Conta com as vozes de Selton Mello e Camila Pitanga, o filme venceu o grande do festival de animação francês, Annecy.

1. O Menino e o Mundo

Indicado ao Oscar de Melhor Animação, o segundo longa de Alê Abreu encantou a todos pela sua sinceridade. Além de misturar vários tipos de animação que dão um belíssimo resultado na tela, Abreu usa de um ponto de partida simples com a história de um menino que vai procurar o seu pai, para fazer uma crítica ao consumismo e a desigualdade social. Um filme comovente e importante.

Comente!