Qualquer um dentre os 67 milhões de filipinos e as centenas de milhões de outras pessoas que estão logadas à internet pode ser vítima de um caso amoroso fraudulento, a qualquer momento. Essas fraudes não são fáceis de resolver, visto que não se sabe como começar a procurar pela pessoa.

De acordo com a PNP-ACG, um grupo policial filipino responsável pela investigação de crimes cibernéticos, o problema é que “esses ‘casos amorosos’ são crimes em que a vítima tem consentimento do que faz”. Segundo o porta-voz da ACG, Artemio Cinco, “legalmente, esse é um caso de estafa, uma ofensa privada que requer um relator privado”.

“Precisamos deles para preencher um caso para que investiguemos. Sem eles, não podemos fazer nada”, ele acrescentou.

Segundo o BBB, Better Business Bureau, tais casos estão em um dos maiores golpes nos Estados Unidos e no Canadá, no qual as vítimas perderam, no total, quase um bilhão de dólares apenas nos últimos três anos. Também houve um crescimento de pessoas que caem nas enganações – de 21 mil em 2015 para 28 mil no ano passado. A maior parte deles, de acordo com a companhia em questão, encontrou os golpistas em sites de relacionamento.

“Quando o relacionamento parece estar ficando sério, o suposto ‘caso’ começa a ter problemas de saúde ou emergências familiares, ou quer planejar uma visita. Não importa a história, o pedido é sempre o mesmo: eles precisam de dinheiro. E logo depois que você transfere a quantia, há outro pedido, e outro, e outro. Ou então o golpista para de se comunicar”, disse o porta-voz da BBB.

Comente!