É inegável que a Marvel Studios tem um problema com seus vilões.

» Siga o Bastidores no Facebook , Instagram e no Twitter para saber todas as notícias sobre cinema «

Geralmente são personagens flácidos e com motivações fracas, servindo apenas para servir à fórmula básica dos filmes super-heróis e apresentar um desafio mínimo para o protagonista. Tivemos algumas exceções, o que nos inspirou a fazer esse ranking com todos os vilões principais do MCU até agora, contando apenas as aparições no cinema – então nada de Kilgrave ou Rei do Crime aqui. 

Atenção aos Spoilers

Vamos lá:

27. Malekith | Thor: O Mundo Sombrio

Sinceramente… Alguém lembra desse cara? Que belo desperdício de Christopher Eccleston, que acaba preso a um personagem genérico e de ambições clichês, sem falar em um visual pouco memorável e motivações fracas. 

26. Dormammu | Doutor Estranho

Não é exatamente justo julgar ainda o vilão extradimensional Dormammu, que apenas apareceu no clímax de Doutor Estranho. Porém, ele está por trás de todos os eventos, e o embate decisivo do filme é com sua face gigante e sinistra. Porém, além da voz e o visual interessante, de nada serve a presença do ser no filme, que é facilmente derrotado com o poder da Joia do Infinito do Tempo.

25. Whiplash | Homem de Ferro 2

Essa é triste. Foi durante a renascença de Mickey Rourke, que experimentava uma nova gama de papéis em Hollywood após sua performance destruidora em O Lutador. Bem… Rourke acabou destruído pelo péssimo Ivan Vanko no segundo filme do Homem de Ferro, preso a uma caricatura russa que parecia estar atuando em outro tom, com trejeitos estranhos e um hábito vergonhoso de trocar ideia com um pássaro. O visual dos chicotes elétricos é até bacana durante sua primeira aparição, mas até isso é estragado quando o personagem veste uma… armadura. Próximo.

24. Fantasma | Homem-Formiga e a Vespa

Por mais que Hannah John-Kamen seja uma ótima atriz e confira muita presença em sua interpretação, a Fantasma é um dos piores exemplos de antagonista que o cinema de quadrinhos já nos ofereceu. Tem habilidades visualmente fascinantes, mas uma motivação extremamente mal escrita e desenvolvida, além de servir mais como um mero “obstáculo” aos protagonistas do que uma vilã realmente importante para a trama. Um grande desperdício.

24. Laufey | Thor

Rei dos Gigantes de Gelo, Laufey é um vilão mediano para Thor. Traz um visual memorável e um trabalho de maquiagem impecável, mas é apenas um incentivo para que Loki siga em frente com suas ações e serve como saco de pancadas para o martelo do protagonista.

22. Aldrich Killian | Homem de Ferro 3

Lá vamos nós para a polêmica do Mandarim. Mesmo que Aldrich Killian tenha uma introdução apropriada e uma performance divertida de Guy Pearce, o sujeito é uma das figuras mais ridículas e vergonhosas a já figurar em um filme da Marvel. Não fosse o desnecessário e cartunesco fato de Killian cuspir fogo e regenerar seus membros, mas ainda há uma confusão do roteiro em estabelecê-lo como o verdadeiro Mandarim, trazendo um dragão tatuado no peito. Killian só merece créditos nessa lista por ter trazido um bom plano e realmente ter ferrado com Tony Stark durante boa parte do filme.

21. Alexander Pierce | Capitão América 2: O Soldado Invernal

Um vilão que achamos ser um dos mocinhos, Alexander Pierce é o responsável por manter a HIDRA viva dentro da SHIELD, e por seguir com um programa perigoso que monitorará todos os cidadãos do planeta. É um personagem fraquíssimo e sem poucos atrativos, apenas contando com a maravilhosa presença do veterano Robert Redford, mas nada além disso.

20. Ayesha | Guardiões da Galáxia Vol. 2

Principal figura nos bastidores na segunda aventura dos Guardiões, Ayesha é uma das comandantes da raça dos Soberanos, um povo altamente prestigiado e glorioso. A performance de Elizabeth Debicki faz valer a presença, e também o incrível cuidado com o visual e figurino da personagem, mas convenhamos… É totalmente inútil e sem o menor senso de ameaça, tendo uma frota inteira de naves que é incapaz de acertar um único tiro.

19. Ronan, O Acusador | Guardiões da Galáxia

O aspecto mais fraco de um grande filme, Ronan é mais um caso de um vilão sem força o bastante para mover a história, mas há alguns elementos aqui que justificam sua posição na lista. A primeira é a ótima performance de Lee Pace, que traz seu papel mais diferente e surge completamente transformado, com uma voz grave e uma maquiagem realmente amedrontadora. A motivação de Ronan também é interessante, seguindo uma linha de fanatismo religioso e uma vingança pelo massacre de seu povo. E com todo esse background forte, é de se impressionar que o vilão surja tão… Dispensável. É literalmente chamado de bebê chorão e é distraído por um número de dança.

18. Kaecilius | Doutor Estranho

Quando se tem Mads Mikkelsen no papel, não é difícil encontrar uma boa performance ali. E, de fato, o ator dinamarquês faz o que pode para tornar o vilão principal de Doutor Estranho uma figura interessante, mas acaba sendo mais um exemplar genérico. Mesmo que parta de uma motivação bacana, a de um homem que deseja encontrar a imortalidade e derrotar o Tempo, Kaecilius não tem força ou identidade o bastante para tornar-se memorável – e seu visual, com os olhos rachados, é mais bobo do que ameaçador. Porém, ganha créditos por ter conseguido realmente matar um dos personagens centrais do filme.

17. Justin Hammer | Homem de Ferro 2

Claro, Justin Hammer é um perdedor. Ele não consegue provocar o menor efeito nos planos de Tony Stark, e nem é capaz de controlar outro vilão ou aprender a dar um soco. Porém, é o tipo de vilão empresário a qual Sam Rockwell é capaz de conferir muito carisma, promovendo um aspecto egocêntrico e divertido ao vilão.

16. General Ross | O Incrível Hulk

Grande figura antagonista de O Incrível Hulk, o General Ross é um líder militar implacável e obcecado. Sua perseguição por Bruce Banner e sua mutação do Hulk o levam a contratar Emil Blonsky para ajudar na caçada, e nem mesmo sua filha é capaz de ficar em seu caminho. O personagem também aparece em Guerra Civil, e de certa forma representa toda a questão do Acordo que separa os Vingadores, então merece um ponto duplo.

15. Darren Cross/Jaqueta Amarela | Homem-Formiga

Mais uma variação do empresário megalomaníaco, o Jaqueta Amarela ao menos pode valoriar-se da ótima performance de Corey Stoll, que faz de Darren Cross um sujeito claramente desequilibrado e movido por sua busca por poder. O vilão tem um plano razoável e um traje realmente ameaçador e bem resolvido, mas confesso que foi mesmo a cena em que Darren “derrete” um de seus competidores e o joga na privada que o diferencia dos clichês de outros personagens da lista.

14. Hela | Thor: Ragnarok

Uma das grandes atrizes da geração, Cate Blanchett dando vida à Deusa da Morte é daquelas ideias boas demais pra ser verdade. E, de fato, a atriz faz de Hela uma presença magnética e memorável, ainda mais por Blanchett estar claramente se divertindo ao interpretar uma personagem tão maléfica e caricaturial. Hela impressiona pelo visual, a galhada e também a inesperada ligação com Thor, Odin e Loki, e ainda que suas motivações sejam unidimensionais, é uma ameaça de peso.

13. Ultron | Vingadores: Era de Ultron

Ultron é um caso complicado. A filosofia do vilão e sua motivação são aspectos que funcionam, especialmente a visão do andróide em curar o mundo e enxergar a raça humana como principal causa de seus problemas. A performance mocap e vocal de James Spader também confere muita personalidade ao vilão, mas ainda falta algo. A escrita de Joss Whedon acaba transformando a figura em uma máquina de frases de efeito e piadinhas estranhas, o que enfraquecem um pouco seu impacto.

12. Emil Blonsky/Abominável | O Incrível Hulk

Tim Roth é sempre uma presença agradável em qualquer projeto, e foi muito interessante vê-lo sair na mão com o Hulk. Tudo bem que sua forma mutada como o gigante Abominável não é a melhor coisa do mundo, e garante apenas umas trocas de soco em CGI, mas quando temos Blonsky correndo como o Capitão América e encarando o Golias Esmeralda diretamente no rosto, vemos ali um antagonista admirável.

11. Obadiah Stane/O Monge de Ferro | Homem de Ferro

Mais um exemplo de um vilão nebuloso das HQs que ganha um retrato um tanto diferente em sua versão dos cinemas. Obadiah Stane é o sócio invejoso de Stark, e toda essa dinâmica funciona principalmente pela ótima performance de Jeff Bridges, que oferece muito cinismo e ambição para o sujeito. Confesso que é uma figura mais interessante nos bastidores, mas que vira “apenas mais um” quando veste sua imponente armadura do Monge de Ferro.

10. Mandarim | Homem de Ferro 3

OK, essa é polêmica. O Mandarim de Ben Kinglsey não tem absolutamente nada a ver com sua versão dos quadrinhos, seja na mudança da etnia até o fato de este personagem ser um completo impostor, uma mera fachada para que Aldrich Killian possa seguir em frente com seus planos. Mas é de se admirar a ousadia de uma reviravolta dessas, e o incrível talento de Kingsley em criar as duas facetas distintas do personagem, seja no ameaçador Mandarim que figura nas transmissões midiáticas ou no fanfarrão Trevor Slattery.

9. O Abutre | Homem-Aranha: De Volta ao Lar

O primeiro vilão do Homem-Aranha a embarcar no MCU, tivemos uma grande surpresa com o Abutre de Michael Keaton. Na pele de um funcionário negligenciado pelo governo, vemos a formação de um antagonista muito bem definida e com motivações bem exploradas pelo texto, que ainda confere ao personagem um upgrade notável na roupa de pássaro, tornando-a mais táctil e tecnológica. E, claro, a presença carismática de Keaton eleva o nível do vilão muito acima.

8. O Soldado Invernal | Capitão América 2: O Soldado Invernal

Sim, o novo alter ego de Buck Barnes posteriormente acaba voltando a tornar-se um aliado do Capitão América, mas sua introdução em Soldado Invernal é fabulosa. Como um assassino profissional misterioso e impecável, o Soldado traz algumas das melhores cenas de luta com o protagonista, além de possuir um visual ameaçador e ser um dos poucos vilões do MCU que tem um tema musical marcante e icônico, cortesia de Henry Jackman. Além disso, é o tipo de vilão que tem uma ligação muito próxima com o herói, algo que sempre traz arcos interessantes.

7. Helmut Zemo | Capitão América: Guerra Civil

Outro personagem que não tem nada a ver com os quadrinhos, não podemos ignorar o quão poderoso este Zemo de Daniel Bruhl foi capaz de ser. Atuando como um manipulador por trás dos eventos da Guerra Civil, Zemo é um homem comum que deseja vingar sua família, morta no incidente em Sokovia que indiretamente foi provocado pelos Vingadores no segundo filme. Trocando os socos por uma motivação que todos são capazes de compreender, Zemo conseguiu derrotar os Vingadores e provocar um conflito aparentemente irremediável entre eles.

6. Nebulosa | Guardiões da GaláxiaGuardiões da Galáxia Vol. 2

Uma das filhas de Thanos, é uma das personagens menos interessantes do primeiro filme, rendendo apenas uma presença visual marcante. Porém, o segundo filme mergulha fundo nas motivações de Nebulosa, tornando todas as suas ações mais compreensíveis e até simpatizantes. Assim como o Soldado Invernal, também acaba pendendo para o lado da luz, mas sua trajetória até lá é o mais interessante.

5. Caveira Vermelha | Capitão América: O Primeiro Vingador

Pouca coisa pode ser pior do que um nazista, então o primeiro filme do Capitão América acerta ao menos na escolha do antagonista, que ainda tem a sorte de ser vivido pelo grande Hugo Weaving. Mesmo que seja mais um vilão que quer dominar o mundo, a visão do Caveira Vermelha é uma das mais fortes e memoráveis do MCU até agora, assumindo uma figura que é personificação do mal e saboreia essa posição. Weaving eleva o material, e a maquiagem prática em seu rosto permanece memorável até hoje.

4. Ego | Guardiões da Galáxia Vol. 2

Finalmente. Depois de 15 filmes e uma série de vilões descartáveis e genéricos, eis que finalmente a Marvel Studios nos oferece um antagonista digno de reconhecimento e que merece ser colocado entre os melhores do gênero. Vivido por um intenso e carismático Kurt Russell, Ego é literalmente um planeta vivo, e a força de suas ações é gigantesca graças à sua conexão paterna com Peter Quill, sendo uma figura manipuladora e que realmente tem um propósito bem explorado. 

3. Loki | Thor e Os Vingadores

Dentre todos os outros vilões do MCU, Loki é um deus entre formigas. A perfeita combinação de carisma intenso, visual icônico e planos e motivações completamente fortes. Tom Hiddleston é um dos melhores atores a já aparecer no gênero, e o fato de que Loki ser apenas um personagem que busca reconhecimento e admiração de seu pai torna tudo mais humano, ironicamente.

2. Erik Killmonger | Pantera Negra

Mesmo que pareça apenas a versão “negativa” do herói principal, o que Michael B. Jordan e Ryan Coogler atingem com o vilão Erik Killmonger é algo especial para o gênero. Quando o antagonista da história tem talento, boas justificativas e um discurso incisivo sobre desigualdade e privilégio que colocam tanto o protagonista quanto o público em xeque, é sinal de que o trabalho foi bem feito. Um dos grandes vilões a surgir no gênero de quadrinhos.

1. Thanos | Vingadores: Guerra Infinita

Durante o processo de divulgação, Kevin Feige se disse na intenção de criar o novo Darth Vader do cinema com a estreia do aguardado Thanos como antagonista central. Talvez não tenha chegado nesse nível (afinal, é Vader), mas o Titã Louco está muito bem representado. É uma figura complexa e cativante, contando com um excepcional Josh Brolin, que impressiona por oferecer tanto o lado sinistro e maquiavélico de Thanos, quanto sua tristeza no “dever espiritual” de garantir equilíbrio ao Universo, e como este fardo lhe fere e rende consequências inesperadas. Um vilão poderoso e com real senso de perigo.

Leia mais sobre Marvel Studios

Comente!