em , ,

Apostas para o Oscar 2021 – Quem vai ganhar e quem deveria

O Oscar 2021 vai acontecer neste domingo (25), coroando uma das temporadas de prêmios mais incomuns de todos os tempos. Em tempos de pandemia, é até difícil se importar com a famosa premiação da Academia, e o estado do mundo claramente se reflete na qualidade dos indicados, mas ainda assim preparamos algumas previsões.

Abaixo, separamos nossas apostas e desejos pessoais para cada uma das categorias do Oscar.

Confira!

Melhor Filme

Quem vai ganhar: Nomadland

Em um ano bem prejudicado pela pandemia, a temporada de prêmios ficou todos esses meses gritando para Nomadland, o drama existencial de Chloé Zhao que conta com uma intimista visão do interior dos EUA. E não parece que isso será diferente, já que o longa da Searchlight faturou vitórias importantes no PGA, DGA, BAFTA e Critics Choice Awards. Apesar de uma possível ameaça de Os 7 de Chicago (pelo contexto político), Nomadland é o franco favorito.

Quem deveria ganhar: Meu Pai

Melhor Direção

Quem vai ganhar: Chloé Zhao – Nomadland

Não existe outra resposta para essa pergunta. O percurso de Zhao ao longo de toda a temporada foi quase que invicto, com a cineasta faturando o DGA, BAFTA e incontáveis prêmios com a crítica desde o final do ano passado. É um trabalho competente, e que colocará Chloé Zhao como apenas a segunda mulher a vencer o Oscar de Direção, e a primeira mulher asiática a fazê-lo. Ninguém tira essa estatueta de Nomadland.

Quem deveria ganhar: Emerald Fennell – Bela Vingança

Melhor Ator

Quem vai ganhar: Chadwick Boseman – A Voz Suprema do Blues

Uma das grandes tragédias de 2020 no mundo do entretenimento foi a morte prematura de Chadwick Boseman, justamente quando o ator entregaria seu trabalho mais poderoso com A Voz Suprema do Blues. É argumentável que Boseman não seja a melhor atuação entre os indicados, vide o estrondoso trabalho de Anthony Hopkins em Meu Pai, mas a Academia certamente homenageará o ator com uma vitória póstuma.

Quem deveria ganhar: Anthony Hopkins – Meu Pai

Melhor Atriz

Quem vai ganhar: Viola Davis – A Voz Suprema do Blues

Esta certamente é a categoria mais imprevisível da noite. Não existe uma atriz favorita, todas as indicadas ganharam prêmios importantes ao longo da temporada e seja lá quem abrir o envelope neste dia 25, será uma surpresa. Porém, pela força do SAG, a aposta aqui vai para Viola Davis, que se tornaria apenas a segunda mulher negra a vencer na categoria.

Quem deveria ganhar: Vanessa Kirby – Pieces of a Woman

Melhor Ator Coadjuvante

Quem vai ganhar: Daniel Kaluuya – Judas e o Messias Negro

Se a categoria de Atriz promete ser uma surpresa, a de Ator Coadjuvante oferece um caminho bem mais claro. Interpretando o revolucionário Fred Hamtpon em Judas e o Messias Negro, Daniel Kaluuya oferece um trabalho notável, e que foi reconhecido com vitórias no SAG, Globo de Ouro, BAFTA e Critic’s Choice. Uma vitória fácil para Kaluuya.

Quem deveria ganhar: Leslie Odom Jr. – Uma Noite em Miami

Melhor Atriz Coadjuvante

Quem vai ganhar: Yuh-jung Youn – Minari: Em Busca da Felicidade

Uma categoria que começou cheia de possibilidades no começo da temporada, e até abriu um sorriso para uma possível vitória de Maria Bakalova em Borat, mas que agora está bem direcionada para que Yuh-jung Youn seja coroada. Ela venceu o SAG e o BAFTA na categoria, e é certamente o maior destaque de Minari.

Quem deveria ganhar: Maria Bakalova – Borat: Fita de Filme Seguinte

Melhor Roteiro Original

Quem vai ganhar: Bela Vingança

Quando vemos o nome de Aaron Sorkin entre os indicados, é sempre bom apostar na máquina de escrever humana! E até parecia que Os 7 de Chicago seria o favorito nessa categoria, mas a força de Emerald Fennell com Bela Vingança foi crescendo exponencialmente, com vitórias no BAFTA e WGA. Será uma vitória bem merecida para aquele que, talvez, seja o texto mais original da temporada.

Quem deveria ganhar: Bela Vingança

Melhor Roteiro Adaptado

Quem vai ganhar: Meu Pai

Aqui, o favorito Nomadland pode faturar mais um Oscar para Chloé Zhao (que além de dirigir, escreveu e montou o longa todo), mas há uma curiosa competição. Borat: Fita de Cinema Seguinte venceu o WGA nessa categoria, enquanto o excelente Meu Pai saiu coroado no BAFTA. Creio que a Academia não vai deixar o trabalho de Florian Zeller sem nada na estante, então a aposta fica para essa maravilhosa adaptação teatral.

Quem deveria ganhar: Uma Noite em Miami…

Melhor Filme de Animação

Quem vai ganhar: Soul

Se a categoria de Melhor Filme sofreu com a ausência de outros lançamentos, a de animação é quase uma raspada de fundo de balde. Porém, o ótimo Soul se destaca e deve garantir mais uma vitória fácil para a Pixar, apesar da campanha forte da Apple TV+ pelo belo Wolfwalkers.

Quem deveria ganhar: Soul

Melhor Filme Internacional

Quem vai ganhar: Druk: Mais uma Rodada

O Brasil ficou fora da lista mais uma vez, e ainda que não tenhamos uma força da natureza como Parasita, a corrida está bem apontada para a Dinamarca. Druk: Mais Uma Rodada foi bem aclamado em festivais e ganhou prêmios importantes, e o grande fator está na categoria de Direção: a indicação de Thomas Vinterberg ali já sela a vitória do filme aqui.

Quem deveria ganhar: Druk: Mais uma Rodada

Melhor Documentário

Quem vai ganhar: Meu Professor Polvo

A categoria de documentários sempre apronta algumas surpresas ao longo da temporada, e o favorito As Mortes de Dick Johnson acabou ficando de fora. Ainda assim, a Netflix ainda deve sair vitoriosa aqui, seja por Crip Camp: Revolução por Inclusão (que tem o peso da família Obama na produção) ou o premiado Meu Professor Polvo. A aposta fica no segundo.

Quem deveria ganhar: Collective

Melhor Design de Produção

Quem vai ganhar: Mank

Quando Mank foi anunciado, parecia que finalmente teríamos um grande campeão do Oscar para David Fincher a própria Netflix. Porém, agora parece que essa vitória técnica será a única estatueta que o longa sobre Cidadão Kane vai faturar, visto as vitórias no BAFTA, Art Directors’ Guild e outros sindicatos. Uma vitória expressiva.

Quem deveria ganhar: Meu Pai

Melhor Fotografia

Quem vai ganhar: Nomadland

A rapa de Nomadland vai se estender até o trabalho de fotografia de Joshua James Richards, que capturou belas imagens com luz natural no interior dos EUA, sendo reconhecido no BAFTA. Porém, há uma possibilidade do trabalho preto e branco belíssimo de Mank ser reconhecido aqui, já que o longa venceu um prêmio importante no American Society of Cinematographers.

Quem deveria ganhar: Mank

Melhor Figurino

Quem vai ganhar: A Voz Suprema do Blues

Uma categoria que sempre se beneficia de filmes de época, como os indicados indicam. Apesar de Emma ter o trabalho mais tradicional e que geralmente atrai prêmios, A Voz Suprema do Blues impressionou na temporada, tendo colecionados prêmios no BAFTA, Costume Designers Guild e Critics’ Choice Awards.

Quem deveria ganhar: Mulan

Melhor Maquiagem & Cabelo

Quem vai ganhar: A Voz Suprema do Blues

Assim como na categoria anterior, temos um caminho bem apontado para a vitória de A Voz Suprema do Blues, especialmente pela caracterização de Viola Davis na personagem titular de Ma Rainey. Se há algum filme que poderia surpreender é Era Uma Vez um Sonho, pela ótima transformação de Glenn Close.

Quem deveria ganhar: Pinóquio

Melhor Montagem

Quem vai ganhar: O Som do Silêncio

Uma categoria que realmente está muito bem preenchida. Qualquer um dos vencedores é digno de levar a estatueta, mas os sinais apontam para um reconhecimento de O Som do Silêncio, que venceu no BAFTA. Na lanterna, Os 7 de Chicago pode sair vitorioso mesmo que não seja para ficar de mãos vazias (algo que a caríssima campanha da Netflix certamente não quer).

Quem deveria ganhar: Meu Pai

Melhores Efeitos Visuais

Quem vai ganhar: Tenet

O mesmo pensamento dos filmes de animação se aplica aqui: literalmente tivemos sobras, já que a maioria dos filmes blockbusters acabaram adiados. Assim, o caminho para que os efeitos impressionantes de Tenet vençam fica ainda mais livre, apesar da pesada campanha da Netflix para reconhecer O Céu da Meia-Noite. Essa uma categoria onde os filmes de Christopher Nolan costumam se dar bem.

Quem deveria ganhar: Tenet

Melhor Som

Quem vai ganhar: O Som do Silêncio 

Pela primeira vez, agora temos apenas uma categoria para reconhecer o trabalho sonoro no cinema (o que é uma decisão bem infeliz, sinceramente). Aqui, teremos uma vitória extremamente merecida de O Som do Silêncio, um dos poucos filmes (ao lado da mixagem em mono de Mank) que realmente usa o som de forma criativa para contar sua história.

Quem deveria ganhar: O Som do Silêncio

Melhor Trilha Sonora

Quem vai ganhar: Soul

Essa é uma das vitórias mais fáceis da noite toda. A maravilhosa trilha sonora de Trent Reznor, Atticus Ross e John Baptiste para Soul ganhou praticamente tudo ao longo dos últimos meses (Globo de Ouro, BAFTA, Critics Choice) e se destaca como uma das mais fáceis previsões desse Oscar.

Quem deveria ganhar: Tenet, que nem foi indicada?!

Melhor Canção Original

Quem vai ganhar: “Speak Now” – Uma Noite em Miami…

Entre bons candidatos na mistura, talvez a mais belíssima seja a simples e intimista canção de Leslie Oddom Jr. para Uma Noite em Miami, capturando bem o estilo de Sam Cooke no ótimo filme de Regina King. Ainda assim, o apelo popular de “Husavik” em Festival Eurovision da Canção: A Saga de Sigrit & Lars é forte (e merecido!) assim como a possibilidade de premiar Diane Warren por “Io Sí (Seen)”, de Rosa e Molmo.

Quem deveria ganhar: “Speak Now” – Uma Noite em Miami…

O que você achou desta publicação?

Publicado por Lucas Nascimento

Estudante de audiovisual e apaixonado por cinema, usa este como grande professor e sonha em tornar seus sonhos realidade ou pelo menos se divertir na longa estrada da vida. De blockbusters a filmes de arte, aprecia o estilo e o trabalho de cineastas, atores e roteiristas, dos quais Stanley Kubrick e Alfred Hitchcock servem como maiores inspirações. Testemunhem, e nos encontramos em Valhalla.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Diretor de Velozes e Furiosos 9 consultou cientistas para fazer cena no espaço

Sony faz acordo e filmes da empresa serão lançados nas plataformas da Disney nos EUA